• Vagalume
  • A-Z
  • Estilos
  • Top 100
  • Playlists
  • Rádio
  • Hot Spots
  • Notícias
  • PLAY

    Encontrou algum erro na letra ou tradução? Colabore com a gente clicando nas frases abaixo ou enviando uma correção completa »
    Break
    Indeed I have sucked it up to heights
    Unknown to those outside
    My body has contained and suppressed
    And swallowed and abetted
    Oh I am a stranger to myself
    Beneath altruism dwells
    A force uncontended
    A voice that is tempered
    To boiled and unhindered

    Who am I kidding?
    I am not some Mother Theresa
    If I don't say something soon
    I will break from the weight of the high road I take
    No

    Indeed I need my chance to fail
    Some room to unravel
    I need a chance to blame for two minutes
    Unbridled, unbrazened
    So I need imaginings of maiming
    Fantasies of outright screaming
    I need a chance to thrash for minutes
    Uncontained, unforgiving

    Who am I kidding?
    I am not some Mother Theresa
    If I don't do something soon
    I will die from restraint
    As a sick subjugate
    No

    I will move beyond, I'm certain of that
    The sooner I go the quicker I'll be back
    I would not threaten or cause you any harm
    Have to get this out or my light will go out

    Who am I kidding?
    I am not some Mother Theresa
    If I don't do something soon
    I will die from restraint
    As a sick subjugate
    No
    "Quebrar”
    Na real, eu já agüentei isso ao máximo
    Sem que ninguém soubesse
    Meu corpo conteve, suprimiu, engoliu e foi cumplice
    Oh, eu sou uma estranha para mim mesma
    Abaixo do altruísmo reside
    Uma força que não foi combatida
    Uma voz que vai de comportada
    A agressiva e desimpedida

    A quem eu estou enganando?
    Eu não sou nenhuma Madre Tereza
    Se eu não disser algo logo
    Eu vou quebrar com o peso de optar pelo caminho mais fácil
    Não...

    Na real, eu preciso da minha chance para falhar
    Um espaço para desatar
    Eu preciso de uma chance para culpar por dois minutos
    Desordenada e sem bravura
    Oh, eu preciso das fantasias de ferir severamente
    De gritar abertamente
    Eu preciso de uma chance para espancar por minutos
    Sem conter, sem perdão

    A quem eu estou enganando?
    Eu não sou nenhuma Madre Tereza
    Se eu não fizer algo logo
    Eu vou morrer de restrição
    Submeter como uma doente
    Não...

    Eu vou seguir em frente, estou certa disso
    Quanto mais cedo eu for, mas rápido eu voltarei
    Eu não o ameaçaria ou te faria mal nenhum
    Tenho que me livrar disso ou minha luz se apagará

    A quem eu estou enganando?
    Eu não sou nenhuma Madre Tereza
    Se eu não fizer algo logo
    Eu vou morrer de restrição
    Submeter como uma doente
    Não...




    Comente
    user 300 caracteres restantes. Enviar

    Todas as letras de Alanis Morissette

    Publicidade
    Notícias
    Mais notícias »
    Hot Spot
    Top Músicas do Vagalume
    Top 100 »

    As informações deste site são postadas integralmente pelos usuários. É importante dizer que é possível que os dados estejam desatualizados ou incorretos, sendo assim, o Vagalume exime-se de qualquer responsabilidade sobre as informações publicadas.Caso haja interesse em remover ou alterar alguma informação, entre em contato conosco.


    É permitida somente a visualização no site das letras de músicas encontradas aqui, vedada sua reprodução através de quaisquer outros meios (Lei 9610/98).Todas as letras de músicas são propriedade dos seus respectivos autores e divulgadas somente para fins educacionais.All lyrics are property and copyright of their owners. All lyrics are provided for educational purposes only.