Órfãos

A Corte Animal


Estive pensando se o que sinto assim
Pensa tanto em mim
Em se tratando de ideais são só juras desleais
Hoje a noite é uma criança molestada
Em busca de luz no corredor
Soprando feridas adotadas pelo sorriso
Que restou

Órfãos inocentes
Atirando pedras contra a janela
Órfãos delinqüentes
De joelhos numa capela
Órfãos
Órfãos

Pouco a pouco, pouco me importa
Com o que acontece
Decompomos canções e virtudes
Em fermento da prata
Traguei bocejos preguei desejos
Que se quebram a margem do que penso
Ó consciência vulgo dependência
Propagada em silencio

Órfãos inocentes
Atirando pedras contra a janela
Órfãos delinqüentes
De joelhos numa capela
Órfãos
Órfãos

Quais serão suas ultimas palavras
Quais serão suas ultimas palavras
(Quais serão) ?
(Quais serão) ?
Um árduo desabafo ou uma canção de amor
Um árduo desabafo ou uma canção de amor
Bem eu não sei são iguais, vai saber

Compositor: James Guará; Gabriel Zarro; Arthur Bueno; Daniel Elias;

Letra enviada por James Fabrício Daniel

Encontrou algum erro na letra? Por favor, envie uma correção >

Compartilhe
esta música

Ouça estações relacionadas a A Corte Animal no Vagalume.FM

MIX DE MÚSICAS