O Fruto

A Corte Animal


Sou patriota do meu coração
Defendo as trincheiras do meu precipício
Inúmeros tons de vermelhos correm em minhas veias
Mas é meu espírito quem se diz mestiço

Nada, nada, nada de novo
E lá vamos nós tudo de novo
Nada, nada, nada de novo
E lá vamos nós tudo de novo

Eu sou fruto do que acredito ser
Eu sou tudo que a óptica tenta ver
Eu sou a raiz
Sou meu país
Logo falho sou descaso
Sou o adeus da nossa partida

Sou a media de toda minha luz
Subjetivo é o amor que dispersa em reflexo
Ouço o sentido das formas ao meu redor
Somos um só corpo, razão, angustia e sexo

Nada, nada, nada de novo
E lá vamos nós tudo de novo
Nada, nada, nada de novo
E lá vamos nós tudo de novo

Eu sou fruto do que acredito ser
Eu sou tudo que a óptica tenta ver
Eu sou a raiz
Sou meu país
Logo falho sou descaso
Sou o adeus da nossa partida

Declaramos independência
Mas minha real liberdade não está em lemas
E sim nos dilemas

Compositor: James Guará; Gabriel Zarro; Arthur Bueno; Daniel Elias;

Letra enviada por James Fabrício Daniel

Encontrou algum erro na letra? Por favor, envie uma correção >

Compartilhe
esta música

Ouça estações relacionadas a A Corte Animal no Vagalume.FM

MIX DE MÚSICAS