Em Vultos

A Corte Animal


Te ver me lembra
Uma praia distante tão bela
Para alguém da cidade
Mas não olhe não
Continue andando
Um globo de cristal
Observa sonhos e ansiedade

Não quero voltar
Para aquele lugar
Onde o céu paira sobre ombros
De quem olha pra cima

Sempre tem alguém do seu lado
Alguém, alguém, alguém em São Paulo
Sempre tem alguém no seu raio
Em sua intimidade
Sempre tem alguém do seu lado
Alguém, alguém, alguém em São Paulo
Sempre tem alguém no seu raio
Em sua intimidade

Te ver me lembra
Como é bom ser contra a corrente
Contra o amor e sua politicagem
Mas não olhe não
Continua andando
Duvide deles e não de si
Duvide da bondade e sua mensagem

Eu quero te amar
Em qualquer lugar
Onde Vênus cobre meu corpo
Com espuma do mar
Porque sei que somos
A doença do século
Porque sei que somos
A doença do século
A doença do século
Eu sei que somos
A doença, baby

(Teletela, teletela)

Sempre tem alguém do seu lado
Alguém, alguém, alguém em São Paulo
Sempre tem alguém no seu raio
Em sua intimidade
Sempre tem alguém do seu lado
Alguém, alguém, alguém em São Paulo
Sempre tem alguém no seu raio
Em sua intimidade

Compositor: Arthur Bueno / Daniel Elias / Gabriel Zarro / James Guará

Letra enviada por James Fabrício Daniel

Encontrou algum erro na letra? Por favor, envie uma correção >

Compartilhe
esta música

Ouça estações relacionadas a A Corte Animal no Vagalume.FM

MIX DE MÚSICAS