Página inicial > Clássico > A > A Barca do Sol > Corsário Satã

Corsário Satã

A Barca do Sol


No quarto oco do inquieto sonho mudo
Roubado à noite, que não pára de passar
Respiro o ar por entre gotas de perigo
Duas janelas que não param de chamar
Uma janela corre por fora
Um sol que nasce e depois vai embora, vai embora

Outra janela é sangue vermelho
Quatro punhais cravados no espelho
Como os falcões que sobrevoam a cidade
Pirata negro, velas soltas sobre o mar
Onde um bandido solitário, passo antigo
Duas janelas que não param de chamar, de chamar, de chamar

Outra janela é sangue vermelho
Quatro punhais cravados no espelho
Quatro punhais cravados no espelho

Compositor: Nando Carneiro - João Carlos Pádua

Encontrou algum erro na letra? Por favor, envie uma correção >

Compartilhe
esta música

Ouça estações relacionadas a A Barca do Sol no Vagalume.FM

MIX DE MÚSICAS

ARTISTAS RELACIONADOS