3030

Zebra

3030


Vivendo o externo do dilema
Desinfluenciado pela rotina do sistema
Quero que se foda a crítica
Vagabundo vai falar como se fosse um problema
Aí, faz assim, faz o teu que eu faço o meu
Minha parte quem faz sou eu, até o fim
Ninguém muda isso de mim
Quanto tempo pra entender?
Que o importante é viver
o que for de valor seu
Enquanto andando eu seguir o contr√°rio
no ponto de vista dos engravatado
ordin√°rio num lema prec√°rio
num é páreo pra bater de frente com a força dos mc
Potência sonora pra persuadir
Sem necessidade de insistir
N√£o me deixo iludir
Conheço essa história de "cor"
Julgado desde menor
"Se forma" dizia minha vó
Meu pai me falou "Quer fazer dinheiro então canta forró"
que a vida te cobra, e nem que eu vá só
Prefiro ser a zebra e trilhar meu caminho sozinho
num sonho de louco
do que ser um fudido, perdido, rendido a gravata de nó
Me reprimam vai, tanto faz
Num quero essa vida meu pai
J√° n√£o aguento mais todos iguais
Que se foda emissora e jornais
Se ligou então, isso num é alienação
tu que acaba alienado de tanta televis√£o
Com a frieza de um chacal
nem vem falar mal do meu nome
Se eu brotar no seu quintal, papagaio some
Se der Zebra no final, o le√£o dorme com fome
E se depender de mim eles nem comem
O tempo para, congela a realidade l√° fora
Luz da sirene no rosto, minha m√£e que chora
Diz a história: Mal elemento, desgosto, ele é a escória
Puxa a pistola no posto e agora implora
Sai memória
Eu volto pro agora e que quero a vitória
na tragetória, cheia de glória
Eu tenho alguns planos insanos pra mim e pros manos
Eu entro flipando e driblando os problemas
Tipo um espartano lutando na cena
Eu sou a zebra que ataca o porco e a hiena
Patr√Ķes e sistemas
Padr√Ķes, esquemas
Arte real, mundo abstrato
pinto esse quadro, mesmo quando n√£o me enquadro
Somos o jogo inverso
tachados de malucos do universo
Esse é o estipulado, eu mais amei
Meus sonhos eu n√£o me deixei levar
√Č muita conspira√ß√£o tentando nos normalizar
Deu zebra na situação, vai ser difícil aturar
num safari gigante n√£o v√£o poder nos calar
Avante no além, destemido na trilhada do caminho
Sigo naquilo que vai me trazem o bem
e ainda tem quem fica desacreditando
A desesperança deles só acaba nos motivando
Com a frieza de um chacal
Se eu brotar no seu quintal, papagaio
Se der zebra no final
E se depender de mim
Isso é um jogo maldito, mal pago e mal visto
Minha mente é insana, terra de "Nínguem"
To rindo com as hienas da savana
Conheço meu habitat, Catch a Fire
Um louco no Safari, n√£o pare de sonhar
N√£o me compare a outro animal
Instinto é sobrevivência, experiência tem peso
N√£o fique surpreso com o original
Ninguém sai ileso, vai da zebra no final
O melhor ficou surpreso com o diferencial
√Ēoo√īoo 3030 e Cam Cam e Dinastia
Deu zebra, é dia da caça
Hoje, o jogo do bicho da praça
Deu soco, deu tiro, desgraça
os loucos quebraram a banca
e no deserto de camelo, o seu manga larga de raça
Viverá a nova trágica história do Asa Branca
Do sert√£o
Morreu de sede o seu alaz√£o
no limite, cavalo paraguaio no grid
Famílias se dividem na risada de Davi
Vendo Golias ali
Deitado no ch√£o
Com a frieza de um chacal
nem vem falar mal do meu nome
Se eu brotar no seu quintal, papagaio some
Se der Zebra no final, o le√£o dorme com fome
E se depender de mim eles nem comem
Tentaram me p√īr no zool√≥gico, fato
Não aceitei, cavei um buraco e saí em Tóquio, é mato
Esse é meu papo de visão de falcão
Sou da cor dessa cidade, tipo um camale√£o
Vivo em paz entre os meus iguais, tipo um indígena
Odeio suas sociais, me sinto um alienígena
√Č a Dinastia da selva, to com meus Camaradas
Meu bonde é pesadão, taí mais uma pedrada
H√°a

Letra enviada por

Encontrou algum erro na letra? Por favor, envie uma correção >

Compartilhe
esta m√ļsica

Ou√ßa esta√ß√Ķes relacionadas a 3030 no Vagalume.FM

√öLTIMAS

ESTA√á√ēES

ARTISTAS RELACIONADOS