• Vagalume
  • A-Z
  • Estilos
  • Top 100
  • Playlists
  • Rádio
  • Hot Spots
  • Notícias
  • Play
    PLAY

    [Refrão: Pablo Martins]
    Na raiva da santa me benzo
    E a sorte se sente forçada a me abençoar
    Controlo a arrogância e confio na rua
    Que ela me ensina o que eu precisar

    [Verso 1: Mc Xamã]
    Eu quero mais é que tu morra
    Quem tá falando aqui é o novo dono dessa porra
    É ele mesmo, corra
    Cuidado pro senhor não perder o seu Bulova
    Odeio o Mel Gibson, prefiro o Danny Glover
    É a máquina mortífera, Xamã, game over
    Sua planta sonífera da cor do pé de couve
    Minha sogra era uma víbora
    eu não sei o que é que houve
    Mais brabo da área dela vende Avon, Natura e Dove
    Eu soube que o seu ídolo é fã do próprio cover
    Eu subornei o cupido hoje ele tá de Land Rover
    O alemão fodido, teu x-9 morre hoje
    Me olha e fica bege, eu te olho e me dá nojo
    1kilo de problema pra tua vida
    Minha caneta tá no estojo
    Eu escrevi isso aqui enquanto eu fazia um miojo
    Não tente me enganar com esse seu sutiã de bojo
    Ela é de touro, do pelo louro
    Eu rimo com swing, tu com estilingue de soro
    Se a minha mãe tivesse aqui te dava um couro
    1kilo, Dj Grego não atura desaforo
    Avisa o disco voador que os humanos já foram
    Avisa o disco voador que os humanos já foram

    [Verso 2: Ct]
    É por amor e por dinheiro
    na cidade desespero e pecado
    Uns pesadelos pesado
    Cê passa a ter uns presságio e ver uns fantasmas
    Tudo é corriqueiro e quem não tá ligeiro empaca
    Destino é certeiro e quem tá no erro paga
    Quem tem lábia mete o 7, Augustinho Carrara
    E é nessa que vários vão querer fazer carreira
    Então para e não me encara com essa cara feia
    Essa careta de capeta, pelo amor de Deus, aceita
    Quem falou que a boca é tua? É caixa baixa, vagabundo
    Conquistamos a rua e a meta é conquistar o mundo
    1kilo no bagulho, fazendo barulho
    Clássico de rua, papo de futuro
    Caro como ouro, raro, puro
    Quero topo, zero o jogo, se desacredita, 'pera um pouco
    Que nós incinera, é fogo nos racista
    que desconsidera o povo
    Que gera miséria e guerra nessa terra de Malboro
    E eu sigo

    [Refrão: Pablo Martins]
    Na raiva da santa me benzo
    E a sorte se sente forçada a me abençoar
    Controlo a arrogância e confio na rua
    Que ela me ensina o que eu precisar

    [Verso 3: Pelé Milflows]
    Eu tô buscando inspiração, padrinho, aperta outro
    É tanta coisa pra pensar que quase fico louco
    Me esgoelando em cada show por falta de retorno
    Às vezes a melhor alternativa é voltar pro morro
    Mas lá também não tem retorno
    Se pá, tô fodido
    Cadê meus amigos
    Que estavam comigo no início da jornada
    Agora vou ter um filho, oito meses pra ser rico
    Tô achando que vai dar merda
    Pois tô pique tudo ou nada
    Mano, tô vivendo o jogo nessa estrada
    Pelo visto não dá pra voltar mais, mano
    Eles tão achando que é mole chegar no meu lugar
    Então deixa o povo falar o que eles querem escutar
    Eu tô sem tempo pra me atrasar menor
    Nem adianta tentar pelar

    [Verso 4: Sant]
    Eu sou o mundo ao norte
    E o terror é todo seu
    Bilhões na conta de Sant
    Falar o quê? G8 quer fumar na Blunt
    Antes que eles me encontrem
    Horizontes a frente
    Os que tentaram, aos montes, perecem
    Perante meus semelhantes, nem um colega
    Não tô pra festa
    Tô aqui pra meter bala quando o bicho pega
    Quem entrega a mente e o coração?
    As vadias no teu colchão fazem lembrar do que tu nega
    Incapaz de se apaixonar, inapto a se adaptar
    É o que se alega?
    São novos tempos
    Pulem dos barcos, arrega
    Suas velas só seguiam velhos ventos às cegas
    Faltaram lágrimas, mas não tintas
    Até que as páginas sejam extintas
    Tem coisa que o tempo não limpa, é triste e vão
    Mas é que a vida é um par ou ímpar, decide à mão

    [Refrão: Pablo Martins & Sant]
    Na raiva da santa me benzo
    E a sorte se sente forçada a me abençoar
    Pelo comprometimento à continuidade
    Luz, a tudo que é de verdade
    Controlo a arrogância e confio na rua
    Que ela me ensina o que eu precisar

    [Verso 5: Dk]
    Sai do modo silencioso, entrei no modo explosão
    Essa é a lei do retorno pro terror dos alemão
    Tô fumando um beck com o piloto
    ouvindo Eduardo Facção
    Enquanto Crivella chama a aeromoça
    pro banheiro do avião
    Xamã, sangue indígena, colei com flow alienígena
    Santificado seja o dia, poetas com anomalia
    Esquece pílulas e seringas, sua novela favorita
    Seu Gardenal, seu Rivotril, tu só precisa dessas rimas
    Sistema de ensino falido, assim que se forma o caô
    Sem salário pro professor, vamos cancelar o ano lírico
    Tô com as nota fiscal de toda vez que eu fui no inferno
    Vim do futuro com novidades, tipo desenho do Simpson
    Eu fui filho de bandido, eu não fui filho de francisco
    Ou vocês votem direito, ou seus filhos correm risco
    Esse é o mundo avançado, atualizado, que me cansa
    Bem vindo a terra onde criança faz criança
    Pago dez mil de plantão pra ter paz na minha favela
    Pago cem mil de munição se for preciso fazer guerra
    Em francês, stratégie, esse é o conceito de estratégia
    Não é porque nós paga arrego
    que quer dizer que nós arrega
    Vocês querem acabar com a cena
    eu vou pegar cês um por um
    Botar num quarto trancado pra jogar baleia azul
    Viemos revolucionar a indústria
    ganhar dinheiro com a música
    Quando tu ver o bonde passando
    pode ligar o disque denúncia

    [Refrão: Pablo Martins]
    Na raiva da santa me benzo
    E a sorte se sente forçada a me abençoar
    Controlo a arrogância e confio na rua
    Que ela me ensina o que eu precisar

    Letra enviada por Vinícius Araújo
    Encontrou algum erro na letra? Por favor, envie uma correção »

    Comente
    user 300 caracteres restantes. Enviar

    Todas as letras de 1Kilo

    Publicidade
    Notícias
    Mais notícias »
    Hot Spot
    Top Músicas do Vagalume
    Top 100 »

    As informações deste site são postadas integralmente pelos usuários. É importante dizer que é possível que os dados estejam desatualizados ou incorretos, sendo assim, o Vagalume exime-se de qualquer responsabilidade sobre as informações publicadas.Caso haja interesse em remover ou alterar alguma informação, entre em contato conosco.


    É permitida somente a visualização no site das letras de músicas encontradas aqui, vedada sua reprodução através de quaisquer outros meios (Lei 9610/98).Todas as letras de músicas são propriedade dos seus respectivos autores e divulgadas somente para fins educacionais.All lyrics are property and copyright of their owners. All lyrics are provided for educational purposes only.