Foska

18 K


Desacredita os bico que vê
Arte marginal, os moleque é mil grau
Os cachorro latiu, zé porva me viu
É no berro que o bonde acordou geral
Madruga, calada várias história
Sempre na memória vão prevalecer
De todos rolê testada, cabada
Frustado o maluco teve que correr
Adrenalina correndo na veia
Tento por tudo na bola de meia
Janela no centro, por fora ou por dentro
Liga o ggo que é só rolê de teia
Gordão deu a fita, lá na avenida, rolê borrifa
É só os caipira
Fora da mira dos coxa, dentro da mira das mina
Viatura nem me viu na neblina
É lata na mão e o coração na boca
Chavoso de bag de toca
No mais estilo vida loca
Na mochila só as collor da foska
Parceiro na mente aquele objetivo
Essa porra eu faço por amor
Parceiro eu nem precisei de um motivo
Na rua somos os temidos
Éoterror pra quem for inimigo
012 Nóis tá envolvido, cansado de ser oprimido
A tinta é munição traçante, perigo constante
Mas nóis não é bandido
Mataram nossos irmãos
Mas o movimento continua vivo
Amizade cultiva, é isso que fica
As letras o tempo apaga
No fruto ligeiro moleque
Foi nos corre pra voltar com a lata
De cada veneno, hoje se eu lembro
Mó nostalgia, dou até risada
De cada rabisco uma história
E essa história o dinheiro não paga
Vários processo é meu protesto
Foda-se valeu a pena
Devagar e sempre
Não se engane que ainda nóis causa problema
Terror pro sistema
Ódio do bico que passa fitando de nave na pista
Pode dobrar esses porcos na rua
Que nóis continua e é só terrorista
Salve há todos pixador
Veste a camisa malokeiro
É o lado oculto da arte
Enquanto arti$tá$ fazem dinheiro

Foska nêgo, antes dela passar
Se a barca vira embaça, acabou de me arrastar
Os porcos tão na caça, inimigo é de graça
E no beral sobe a fumaça

Letra enviada por Contatoknk

Encontrou algum erro na letra? Por favor, envie uma correção >

Compartilhe
esta música

Ouça estações relacionadas a 18 K no Vagalume.FM

MIX DE MÚSICAS