Muito mais que só letras de músicas

  • Vagalume
  • A-Z
  • Estilos
  • Top 100
  • Playlists
  • Hot Spots
  • Notícias
  • Play
    PLAY

    Tropeiro
    O Quilimero assunta meu irirmão
    iantes mêrmo que nóis dois saudemo
    eu te pregunto naquele refrão
    qui na fartura nóis sempre cantemo
    na cantiga tá chuveno?
    ribeirão estão incheno?
    na catinga tá chuveno?
    ribeirão estão incheno?
    me arresponda meu irirmão
    cuma o povo de lá tão.

    Quilimero
    Só a terra que você dexô
    quinda tá lá num ritirou-se não
    os povos as gente
    os bichos as coisa tudo
    uns ritirou-se in pirigrinação
    os ôtro os mais velho mais cabiçudo
    voltaro pru qui era pru pó do chão
    adispois de cumê tudo
    cumêr' precata surrão
    cumêr' côro de rabudo
    cumêr' cururú rodão
    e as cacimbas do ri Gavião
    já deu mais de duas cova d'um cristão
    inté aquela a da cara fêa
    se veno só dexô a tyerra alêa
    foi nas pidrinha cova de serêa
    vê sua madrinha
    evêi de mão c'ua vea
    na catinga morreu tudo
    qui nem percisô caxão
    meu compadre João Barbudo
    num cumpriu obrigação
    vai prá mais de duas lua
    que meu pai mandô eu i no Nazaré
    buscá u'a quarta de farinha
    eu e o meu irmão Zé Bento
    vinha andano a pé
    mãe lua magrinha qui está no céu
    será qui cuano eu chegue
    in minha terra
    aína vô incontra o qui é meu
    será qui Deus do céu aqui na terra
    de nosso povo intonce se isqueceu
    na catinga morreu tudo
    qui nem percisô caxão
    meu compadre João Barbudo
    num cumpriu a obrigação

    Comente
    user 300 caracteres restantes. Enviar

    Todas as letras de Xangai

    Publicidade
    A Pergunta - Xangai - VAGALUME
    Play
    PLAY

    Tropeiro
    O Quilimero assunta meu irirmão
    iantes mêrmo que nóis dois saudemo
    eu te pregunto naquele refrão
    qui na fartura nóis sempre cantemo
    na cantiga tá chuveno?
    ribeirão estão incheno?
    na catinga tá chuveno?
    ribeirão estão incheno?
    me arresponda meu irirmão
    cuma o povo de lá tão.

    Quilimero
    Só a terra que você dexô
    quinda tá lá num ritirou-se não
    os povos as gente
    os bichos as coisa tudo
    uns ritirou-se in pirigrinação
    os ôtro os mais velho mais cabiçudo
    voltaro pru qui era pru pó do chão
    adispois de cumê tudo
    cumêr' precata surrão
    cumêr' côro de rabudo
    cumêr' cururú rodão
    e as cacimbas do ri Gavião
    já deu mais de duas cova d'um cristão
    inté aquela a da cara fêa
    se veno só dexô a tyerra alêa
    foi nas pidrinha cova de serêa
    vê sua madrinha
    evêi de mão c'ua vea
    na catinga morreu tudo
    qui nem percisô caxão
    meu compadre João Barbudo
    num cumpriu obrigação
    vai prá mais de duas lua
    que meu pai mandô eu i no Nazaré
    buscá u'a quarta de farinha
    eu e o meu irmão Zé Bento
    vinha andano a pé
    mãe lua magrinha qui está no céu
    será qui cuano eu chegue
    in minha terra
    aína vô incontra o qui é meu
    será qui Deus do céu aqui na terra
    de nosso povo intonce se isqueceu
    na catinga morreu tudo
    qui nem percisô caxão
    meu compadre João Barbudo
    num cumpriu a obrigação

    Comente
    user 300 caracteres restantes. Enviar

    Todas as letras de Xangai

    Publicidade
    A Pergunta - Xangai - VAGALUME
    Play
    PLAY

    Tropeiro
    O Quilimero assunta meu irirmão
    iantes mêrmo que nóis dois saudemo
    eu te pregunto naquele refrão
    qui na fartura nóis sempre cantemo
    na cantiga tá chuveno?
    ribeirão estão incheno?
    na catinga tá chuveno?
    ribeirão estão incheno?
    me arresponda meu irirmão
    cuma o povo de lá tão.

    Quilimero
    Só a terra que você dexô
    quinda tá lá num ritirou-se não
    os povos as gente
    os bichos as coisa tudo
    uns ritirou-se in pirigrinação
    os ôtro os mais velho mais cabiçudo
    voltaro pru qui era pru pó do chão
    adispois de cumê tudo
    cumêr' precata surrão
    cumêr' côro de rabudo
    cumêr' cururú rodão
    e as cacimbas do ri Gavião
    já deu mais de duas cova d'um cristão
    inté aquela a da cara fêa
    se veno só dexô a tyerra alêa
    foi nas pidrinha cova de serêa
    vê sua madrinha
    evêi de mão c'ua vea
    na catinga morreu tudo
    qui nem percisô caxão
    meu compadre João Barbudo
    num cumpriu obrigação
    vai prá mais de duas lua
    que meu pai mandô eu i no Nazaré
    buscá u'a quarta de farinha
    eu e o meu irmão Zé Bento
    vinha andano a pé
    mãe lua magrinha qui está no céu
    será qui cuano eu chegue
    in minha terra
    aína vô incontra o qui é meu
    será qui Deus do céu aqui na terra
    de nosso povo intonce se isqueceu
    na catinga morreu tudo
    qui nem percisô caxão
    meu compadre João Barbudo
    num cumpriu a obrigação

    Comente
    user 300 caracteres restantes. Enviar

    Todas as letras de Xangai

    Publicidade
    A Pergunta - Xangai - VAGALUME
    Play
    PLAY

    Tropeiro
    O Quilimero assunta meu irirmão
    iantes mêrmo que nóis dois saudemo
    eu te pregunto naquele refrão
    qui na fartura nóis sempre cantemo
    na cantiga tá chuveno?
    ribeirão estão incheno?
    na catinga tá chuveno?
    ribeirão estão incheno?
    me arresponda meu irirmão
    cuma o povo de lá tão.

    Quilimero
    Só a terra que você dexô
    quinda tá lá num ritirou-se não
    os povos as gente
    os bichos as coisa tudo
    uns ritirou-se in pirigrinação
    os ôtro os mais velho mais cabiçudo
    voltaro pru qui era pru pó do chão
    adispois de cumê tudo
    cumêr' precata surrão
    cumêr' côro de rabudo
    cumêr' cururú rodão
    e as cacimbas do ri Gavião
    já deu mais de duas cova d'um cristão
    inté aquela a da cara fêa
    se veno só dexô a tyerra alêa
    foi nas pidrinha cova de serêa
    vê sua madrinha
    evêi de mão c'ua vea
    na catinga morreu tudo
    qui nem percisô caxão
    meu compadre João Barbudo
    num cumpriu obrigação
    vai prá mais de duas lua
    que meu pai mandô eu i no Nazaré
    buscá u'a quarta de farinha
    eu e o meu irmão Zé Bento
    vinha andano a pé
    mãe lua magrinha qui está no céu
    será qui cuano eu chegue
    in minha terra
    aína vô incontra o qui é meu
    será qui Deus do céu aqui na terra
    de nosso povo intonce se isqueceu
    na catinga morreu tudo
    qui nem percisô caxão
    meu compadre João Barbudo
    num cumpriu a obrigação

    Comente
    user 300 caracteres restantes. Enviar

    Todas as letras de Xangai

    Publicidade
    A Pergunta - Xangai - VAGALUME
    Play
    PLAY

    Tropeiro
    O Quilimero assunta meu irirmão
    iantes mêrmo que nóis dois saudemo
    eu te pregunto naquele refrão
    qui na fartura nóis sempre cantemo
    na cantiga tá chuveno?
    ribeirão estão incheno?
    na catinga tá chuveno?
    ribeirão estão incheno?
    me arresponda meu irirmão
    cuma o povo de lá tão.

    Quilimero
    Só a terra que você dexô
    quinda tá lá num ritirou-se não
    os povos as gente
    os bichos as coisa tudo
    uns ritirou-se in pirigrinação
    os ôtro os mais velho mais cabiçudo
    voltaro pru qui era pru pó do chão
    adispois de cumê tudo
    cumêr' precata surrão
    cumêr' côro de rabudo
    cumêr' cururú rodão
    e as cacimbas do ri Gavião
    já deu mais de duas cova d'um cristão
    inté aquela a da cara fêa
    se veno só dexô a tyerra alêa
    foi nas pidrinha cova de serêa
    vê sua madrinha
    evêi de mão c'ua vea
    na catinga morreu tudo
    qui nem percisô caxão
    meu compadre João Barbudo
    num cumpriu obrigação
    vai prá mais de duas lua
    que meu pai mandô eu i no Nazaré
    buscá u'a quarta de farinha
    eu e o meu irmão Zé Bento
    vinha andano a pé
    mãe lua magrinha qui está no céu
    será qui cuano eu chegue
    in minha terra
    aína vô incontra o qui é meu
    será qui Deus do céu aqui na terra
    de nosso povo intonce se isqueceu
    na catinga morreu tudo
    qui nem percisô caxão
    meu compadre João Barbudo
    num cumpriu a obrigação

    Comente
    user 300 caracteres restantes. Enviar

    Todas as letras de Xangai

    Publicidade
    A Pergunta - Xangai - VAGALUME
    Play
    PLAY

    Tropeiro
    O Quilimero assunta meu irirmão
    iantes mêrmo que nóis dois saudemo
    eu te pregunto naquele refrão
    qui na fartura nóis sempre cantemo
    na cantiga tá chuveno?
    ribeirão estão incheno?
    na catinga tá chuveno?
    ribeirão estão incheno?
    me arresponda meu irirmão
    cuma o povo de lá tão.

    Quilimero
    Só a terra que você dexô
    quinda tá lá num ritirou-se não
    os povos as gente
    os bichos as coisa tudo
    uns ritirou-se in pirigrinação
    os ôtro os mais velho mais cabiçudo
    voltaro pru qui era pru pó do chão
    adispois de cumê tudo
    cumêr' precata surrão
    cumêr' côro de rabudo
    cumêr' cururú rodão
    e as cacimbas do ri Gavião
    já deu mais de duas cova d'um cristão
    inté aquela a da cara fêa
    se veno só dexô a tyerra alêa
    foi nas pidrinha cova de serêa
    vê sua madrinha
    evêi de mão c'ua vea
    na catinga morreu tudo
    qui nem percisô caxão
    meu compadre João Barbudo
    num cumpriu obrigação
    vai prá mais de duas lua
    que meu pai mandô eu i no Nazaré
    buscá u'a quarta de farinha
    eu e o meu irmão Zé Bento
    vinha andano a pé
    mãe lua magrinha qui está no céu
    será qui cuano eu chegue
    in minha terra
    aína vô incontra o qui é meu
    será qui Deus do céu aqui na terra
    de nosso povo intonce se isqueceu
    na catinga morreu tudo
    qui nem percisô caxão
    meu compadre João Barbudo
    num cumpriu a obrigação

    Comente
    user 300 caracteres restantes. Enviar

    Todas as letras de Xangai

    Publicidade
    A Pergunta - Xangai - VAGALUME
    Play
    PLAY

    Tropeiro
    O Quilimero assunta meu irirmão
    iantes mêrmo que nóis dois saudemo
    eu te pregunto naquele refrão
    qui na fartura nóis sempre cantemo
    na cantiga tá chuveno?
    ribeirão estão incheno?
    na catinga tá chuveno?
    ribeirão estão incheno?
    me arresponda meu irirmão
    cuma o povo de lá tão.

    Quilimero
    Só a terra que você dexô
    quinda tá lá num ritirou-se não
    os povos as gente
    os bichos as coisa tudo
    uns ritirou-se in pirigrinação
    os ôtro os mais velho mais cabiçudo
    voltaro pru qui era pru pó do chão
    adispois de cumê tudo
    cumêr' precata surrão
    cumêr' côro de rabudo
    cumêr' cururú rodão
    e as cacimbas do ri Gavião
    já deu mais de duas cova d'um cristão
    inté aquela a da cara fêa
    se veno só dexô a tyerra alêa
    foi nas pidrinha cova de serêa
    vê sua madrinha
    evêi de mão c'ua vea
    na catinga morreu tudo
    qui nem percisô caxão
    meu compadre João Barbudo
    num cumpriu obrigação
    vai prá mais de duas lua
    que meu pai mandô eu i no Nazaré
    buscá u'a quarta de farinha
    eu e o meu irmão Zé Bento
    vinha andano a pé
    mãe lua magrinha qui está no céu
    será qui cuano eu chegue
    in minha terra
    aína vô incontra o qui é meu
    será qui Deus do céu aqui na terra
    de nosso povo intonce se isqueceu
    na catinga morreu tudo
    qui nem percisô caxão
    meu compadre João Barbudo
    num cumpriu a obrigação

    Comente
    user 300 caracteres restantes. Enviar

    Todas as letras de Xangai

    Publicidade
    A Pergunta - Xangai - VAGALUME
    Play
    PLAY

    Tropeiro
    O Quilimero assunta meu irirmão
    iantes mêrmo que nóis dois saudemo
    eu te pregunto naquele refrão
    qui na fartura nóis sempre cantemo
    na cantiga tá chuveno?
    ribeirão estão incheno?
    na catinga tá chuveno?
    ribeirão estão incheno?
    me arresponda meu irirmão
    cuma o povo de lá tão.

    Quilimero
    Só a terra que você dexô
    quinda tá lá num ritirou-se não
    os povos as gente
    os bichos as coisa tudo
    uns ritirou-se in pirigrinação
    os ôtro os mais velho mais cabiçudo
    voltaro pru qui era pru pó do chão
    adispois de cumê tudo
    cumêr' precata surrão
    cumêr' côro de rabudo
    cumêr' cururú rodão
    e as cacimbas do ri Gavião
    já deu mais de duas cova d'um cristão
    inté aquela a da cara fêa
    se veno só dexô a tyerra alêa
    foi nas pidrinha cova de serêa
    vê sua madrinha
    evêi de mão c'ua vea
    na catinga morreu tudo
    qui nem percisô caxão
    meu compadre João Barbudo
    num cumpriu obrigação
    vai prá mais de duas lua
    que meu pai mandô eu i no Nazaré
    buscá u'a quarta de farinha
    eu e o meu irmão Zé Bento
    vinha andano a pé
    mãe lua magrinha qui está no céu
    será qui cuano eu chegue
    in minha terra
    aína vô incontra o qui é meu
    será qui Deus do céu aqui na terra
    de nosso povo intonce se isqueceu
    na catinga morreu tudo
    qui nem percisô caxão
    meu compadre João Barbudo
    num cumpriu a obrigação

    Comente
    user 300 caracteres restantes. Enviar

    Todas as letras de Xangai

    Publicidade
    A Pergunta - Xangai - VAGALUME
    Play
    PLAY

    Tropeiro
    O Quilimero assunta meu irirmão
    iantes mêrmo que nóis dois saudemo
    eu te pregunto naquele refrão
    qui na fartura nóis sempre cantemo
    na cantiga tá chuveno?
    ribeirão estão incheno?
    na catinga tá chuveno?
    ribeirão estão incheno?
    me arresponda meu irirmão
    cuma o povo de lá tão.

    Quilimero
    Só a terra que você dexô
    quinda tá lá num ritirou-se não
    os povos as gente
    os bichos as coisa tudo
    uns ritirou-se in pirigrinação
    os ôtro os mais velho mais cabiçudo
    voltaro pru qui era pru pó do chão
    adispois de cumê tudo
    cumêr' precata surrão
    cumêr' côro de rabudo
    cumêr' cururú rodão
    e as cacimbas do ri Gavião
    já deu mais de duas cova d'um cristão
    inté aquela a da cara fêa
    se veno só dexô a tyerra alêa
    foi nas pidrinha cova de serêa
    vê sua madrinha
    evêi de mão c'ua vea
    na catinga morreu tudo
    qui nem percisô caxão
    meu compadre João Barbudo
    num cumpriu obrigação
    vai prá mais de duas lua
    que meu pai mandô eu i no Nazaré
    buscá u'a quarta de farinha
    eu e o meu irmão Zé Bento
    vinha andano a pé
    mãe lua magrinha qui está no céu
    será qui cuano eu chegue
    in minha terra
    aína vô incontra o qui é meu
    será qui Deus do céu aqui na terra
    de nosso povo intonce se isqueceu
    na catinga morreu tudo
    qui nem percisô caxão
    meu compadre João Barbudo
    num cumpriu a obrigação

    Comente
    user 300 caracteres restantes. Enviar

    Todas as letras de Xangai

    Publicidade
    A Pergunta - Xangai - VAGALUME
    Play
    PLAY

    Tropeiro
    O Quilimero assunta meu irirmão
    iantes mêrmo que nóis dois saudemo
    eu te pregunto naquele refrão
    qui na fartura nóis sempre cantemo
    na cantiga tá chuveno?
    ribeirão estão incheno?
    na catinga tá chuveno?
    ribeirão estão incheno?
    me arresponda meu irirmão
    cuma o povo de lá tão.

    Quilimero
    Só a terra que você dexô
    quinda tá lá num ritirou-se não
    os povos as gente
    os bichos as coisa tudo
    uns ritirou-se in pirigrinação
    os ôtro os mais velho mais cabiçudo
    voltaro pru qui era pru pó do chão
    adispois de cumê tudo
    cumêr' precata surrão
    cumêr' côro de rabudo
    cumêr' cururú rodão
    e as cacimbas do ri Gavião
    já deu mais de duas cova d'um cristão
    inté aquela a da cara fêa
    se veno só dexô a tyerra alêa
    foi nas pidrinha cova de serêa
    vê sua madrinha
    evêi de mão c'ua vea
    na catinga morreu tudo
    qui nem percisô caxão
    meu compadre João Barbudo
    num cumpriu obrigação
    vai prá mais de duas lua
    que meu pai mandô eu i no Nazaré
    buscá u'a quarta de farinha
    eu e o meu irmão Zé Bento
    vinha andano a pé
    mãe lua magrinha qui está no céu
    será qui cuano eu chegue
    in minha terra
    aína vô incontra o qui é meu
    será qui Deus do céu aqui na terra
    de nosso povo intonce se isqueceu
    na catinga morreu tudo
    qui nem percisô caxão
    meu compadre João Barbudo
    num cumpriu a obrigação

    Comente
    user 300 caracteres restantes. Enviar

    Todas as letras de Xangai

    Publicidade
    A Pergunta - Xangai - VAGALUME
    Play
    PLAY

    Tropeiro
    O Quilimero assunta meu irirmão
    iantes mêrmo que nóis dois saudemo
    eu te pregunto naquele refrão
    qui na fartura nóis sempre cantemo
    na cantiga tá chuveno?
    ribeirão estão incheno?
    na catinga tá chuveno?
    ribeirão estão incheno?
    me arresponda meu irirmão
    cuma o povo de lá tão.

    Quilimero
    Só a terra que você dexô
    quinda tá lá num ritirou-se não
    os povos as gente
    os bichos as coisa tudo
    uns ritirou-se in pirigrinação
    os ôtro os mais velho mais cabiçudo
    voltaro pru qui era pru pó do chão
    adispois de cumê tudo
    cumêr' precata surrão
    cumêr' côro de rabudo
    cumêr' cururú rodão
    e as cacimbas do ri Gavião
    já deu mais de duas cova d'um cristão
    inté aquela a da cara fêa
    se veno só dexô a tyerra alêa
    foi nas pidrinha cova de serêa
    vê sua madrinha
    evêi de mão c'ua vea
    na catinga morreu tudo
    qui nem percisô caxão
    meu compadre João Barbudo
    num cumpriu obrigação
    vai prá mais de duas lua
    que meu pai mandô eu i no Nazaré
    buscá u'a quarta de farinha
    eu e o meu irmão Zé Bento
    vinha andano a pé
    mãe lua magrinha qui está no céu
    será qui cuano eu chegue
    in minha terra
    aína vô incontra o qui é meu
    será qui Deus do céu aqui na terra
    de nosso povo intonce se isqueceu
    na catinga morreu tudo
    qui nem percisô caxão
    meu compadre João Barbudo
    num cumpriu a obrigação

    Comente
    user 300 caracteres restantes. Enviar

    Todas as letras de Xangai

    Publicidade
    A Pergunta - Xangai - VAGALUME
    Play
    PLAY

    Tropeiro
    O Quilimero assunta meu irirmão
    iantes mêrmo que nóis dois saudemo
    eu te pregunto naquele refrão
    qui na fartura nóis sempre cantemo
    na cantiga tá chuveno?
    ribeirão estão incheno?
    na catinga tá chuveno?
    ribeirão estão incheno?
    me arresponda meu irirmão
    cuma o povo de lá tão.

    Quilimero
    Só a terra que você dexô
    quinda tá lá num ritirou-se não
    os povos as gente
    os bichos as coisa tudo
    uns ritirou-se in pirigrinação
    os ôtro os mais velho mais cabiçudo
    voltaro pru qui era pru pó do chão
    adispois de cumê tudo
    cumêr' precata surrão
    cumêr' côro de rabudo
    cumêr' cururú rodão
    e as cacimbas do ri Gavião
    já deu mais de duas cova d'um cristão
    inté aquela a da cara fêa
    se veno só dexô a tyerra alêa
    foi nas pidrinha cova de serêa
    vê sua madrinha
    evêi de mão c'ua vea
    na catinga morreu tudo
    qui nem percisô caxão
    meu compadre João Barbudo
    num cumpriu obrigação
    vai prá mais de duas lua
    que meu pai mandô eu i no Nazaré
    buscá u'a quarta de farinha
    eu e o meu irmão Zé Bento
    vinha andano a pé
    mãe lua magrinha qui está no céu
    será qui cuano eu chegue
    in minha terra
    aína vô incontra o qui é meu
    será qui Deus do céu aqui na terra
    de nosso povo intonce se isqueceu
    na catinga morreu tudo
    qui nem percisô caxão
    meu compadre João Barbudo
    num cumpriu a obrigação

    Comente
    user 300 caracteres restantes. Enviar

    Todas as letras de Xangai

    Publicidade
    A Pergunta - Xangai - VAGALUME
    Play
    PLAY

    Tropeiro
    O Quilimero assunta meu irirmão
    iantes mêrmo que nóis dois saudemo
    eu te pregunto naquele refrão
    qui na fartura nóis sempre cantemo
    na cantiga tá chuveno?
    ribeirão estão incheno?
    na catinga tá chuveno?
    ribeirão estão incheno?
    me arresponda meu irirmão
    cuma o povo de lá tão.

    Quilimero
    Só a terra que você dexô
    quinda tá lá num ritirou-se não
    os povos as gente
    os bichos as coisa tudo
    uns ritirou-se in pirigrinação
    os ôtro os mais velho mais cabiçudo
    voltaro pru qui era pru pó do chão
    adispois de cumê tudo
    cumêr' precata surrão
    cumêr' côro de rabudo
    cumêr' cururú rodão
    e as cacimbas do ri Gavião
    já deu mais de duas cova d'um cristão
    inté aquela a da cara fêa
    se veno só dexô a tyerra alêa
    foi nas pidrinha cova de serêa
    vê sua madrinha
    evêi de mão c'ua vea
    na catinga morreu tudo
    qui nem percisô caxão
    meu compadre João Barbudo
    num cumpriu obrigação
    vai prá mais de duas lua
    que meu pai mandô eu i no Nazaré
    buscá u'a quarta de farinha
    eu e o meu irmão Zé Bento
    vinha andano a pé
    mãe lua magrinha qui está no céu
    será qui cuano eu chegue
    in minha terra
    aína vô incontra o qui é meu
    será qui Deus do céu aqui na terra
    de nosso povo intonce se isqueceu
    na catinga morreu tudo
    qui nem percisô caxão
    meu compadre João Barbudo
    num cumpriu a obrigação

    Comente
    user 300 caracteres restantes. Enviar

    Todas as letras de Xangai

    Publicidade
    A Pergunta - Xangai - VAGALUME
    Play
    PLAY

    Tropeiro
    O Quilimero assunta meu irirmão
    iantes mêrmo que nóis dois saudemo
    eu te pregunto naquele refrão
    qui na fartura nóis sempre cantemo
    na cantiga tá chuveno?
    ribeirão estão incheno?
    na catinga tá chuveno?
    ribeirão estão incheno?
    me arresponda meu irirmão
    cuma o povo de lá tão.

    Quilimero
    Só a terra que você dexô
    quinda tá lá num ritirou-se não
    os povos as gente
    os bichos as coisa tudo
    uns ritirou-se in pirigrinação
    os ôtro os mais velho mais cabiçudo
    voltaro pru qui era pru pó do chão
    adispois de cumê tudo
    cumêr' precata surrão
    cumêr' côro de rabudo
    cumêr' cururú rodão
    e as cacimbas do ri Gavião
    já deu mais de duas cova d'um cristão
    inté aquela a da cara fêa
    se veno só dexô a tyerra alêa
    foi nas pidrinha cova de serêa
    vê sua madrinha
    evêi de mão c'ua vea
    na catinga morreu tudo
    qui nem percisô caxão
    meu compadre João Barbudo
    num cumpriu obrigação
    vai prá mais de duas lua
    que meu pai mandô eu i no Nazaré
    buscá u'a quarta de farinha
    eu e o meu irmão Zé Bento
    vinha andano a pé
    mãe lua magrinha qui está no céu
    será qui cuano eu chegue
    in minha terra
    aína vô incontra o qui é meu
    será qui Deus do céu aqui na terra
    de nosso povo intonce se isqueceu
    na catinga morreu tudo
    qui nem percisô caxão
    meu compadre João Barbudo
    num cumpriu a obrigação

    Comente
    user 300 caracteres restantes. Enviar

    Todas as letras de Xangai

    Publicidade
    A Pergunta - Xangai - VAGALUME
    Play
    PLAY

    Tropeiro
    O Quilimero assunta meu irirmão
    iantes mêrmo que nóis dois saudemo
    eu te pregunto naquele refrão
    qui na fartura nóis sempre cantemo
    na cantiga tá chuveno?
    ribeirão estão incheno?
    na catinga tá chuveno?
    ribeirão estão incheno?
    me arresponda meu irirmão
    cuma o povo de lá tão.

    Quilimero
    Só a terra que você dexô
    quinda tá lá num ritirou-se não
    os povos as gente
    os bichos as coisa tudo
    uns ritirou-se in pirigrinação
    os ôtro os mais velho mais cabiçudo
    voltaro pru qui era pru pó do chão
    adispois de cumê tudo
    cumêr' precata surrão
    cumêr' côro de rabudo
    cumêr' cururú rodão
    e as cacimbas do ri Gavião
    já deu mais de duas cova d'um cristão
    inté aquela a da cara fêa
    se veno só dexô a tyerra alêa
    foi nas pidrinha cova de serêa
    vê sua madrinha
    evêi de mão c'ua vea
    na catinga morreu tudo
    qui nem percisô caxão
    meu compadre João Barbudo
    num cumpriu obrigação
    vai prá mais de duas lua
    que meu pai mandô eu i no Nazaré
    buscá u'a quarta de farinha
    eu e o meu irmão Zé Bento
    vinha andano a pé
    mãe lua magrinha qui está no céu
    será qui cuano eu chegue
    in minha terra
    aína vô incontra o qui é meu
    será qui Deus do céu aqui na terra
    de nosso povo intonce se isqueceu
    na catinga morreu tudo
    qui nem percisô caxão
    meu compadre João Barbudo
    num cumpriu a obrigação

    Comente
    user 300 caracteres restantes. Enviar

    Todas as letras de Xangai

    Publicidade
    A Pergunta - Xangai - VAGALUME
    Play
    PLAY

    Tropeiro
    O Quilimero assunta meu irirmão
    iantes mêrmo que nóis dois saudemo
    eu te pregunto naquele refrão
    qui na fartura nóis sempre cantemo
    na cantiga tá chuveno?
    ribeirão estão incheno?
    na catinga tá chuveno?
    ribeirão estão incheno?
    me arresponda meu irirmão
    cuma o povo de lá tão.

    Quilimero
    Só a terra que você dexô
    quinda tá lá num ritirou-se não
    os povos as gente
    os bichos as coisa tudo
    uns ritirou-se in pirigrinação
    os ôtro os mais velho mais cabiçudo
    voltaro pru qui era pru pó do chão
    adispois de cumê tudo
    cumêr' precata surrão
    cumêr' côro de rabudo
    cumêr' cururú rodão
    e as cacimbas do ri Gavião
    já deu mais de duas cova d'um cristão
    inté aquela a da cara fêa
    se veno só dexô a tyerra alêa
    foi nas pidrinha cova de serêa
    vê sua madrinha
    evêi de mão c'ua vea
    na catinga morreu tudo
    qui nem percisô caxão
    meu compadre João Barbudo
    num cumpriu obrigação
    vai prá mais de duas lua
    que meu pai mandô eu i no Nazaré
    buscá u'a quarta de farinha
    eu e o meu irmão Zé Bento
    vinha andano a pé
    mãe lua magrinha qui está no céu
    será qui cuano eu chegue
    in minha terra
    aína vô incontra o qui é meu
    será qui Deus do céu aqui na terra
    de nosso povo intonce se isqueceu
    na catinga morreu tudo
    qui nem percisô caxão
    meu compadre João Barbudo
    num cumpriu a obrigação

    Comente
    user 300 caracteres restantes. Enviar

    Todas as letras de Xangai

    Publicidade
    A Pergunta - Xangai - VAGALUME
    Play
    PLAY

    Tropeiro
    O Quilimero assunta meu irirmão
    iantes mêrmo que nóis dois saudemo
    eu te pregunto naquele refrão
    qui na fartura nóis sempre cantemo
    na cantiga tá chuveno?
    ribeirão estão incheno?
    na catinga tá chuveno?
    ribeirão estão incheno?
    me arresponda meu irirmão
    cuma o povo de lá tão.

    Quilimero
    Só a terra que você dexô
    quinda tá lá num ritirou-se não
    os povos as gente
    os bichos as coisa tudo
    uns ritirou-se in pirigrinação
    os ôtro os mais velho mais cabiçudo
    voltaro pru qui era pru pó do chão
    adispois de cumê tudo
    cumêr' precata surrão
    cumêr' côro de rabudo
    cumêr' cururú rodão
    e as cacimbas do ri Gavião
    já deu mais de duas cova d'um cristão
    inté aquela a da cara fêa
    se veno só dexô a tyerra alêa
    foi nas pidrinha cova de serêa
    vê sua madrinha
    evêi de mão c'ua vea
    na catinga morreu tudo
    qui nem percisô caxão
    meu compadre João Barbudo
    num cumpriu obrigação
    vai prá mais de duas lua
    que meu pai mandô eu i no Nazaré
    buscá u'a quarta de farinha
    eu e o meu irmão Zé Bento
    vinha andano a pé
    mãe lua magrinha qui está no céu
    será qui cuano eu chegue
    in minha terra
    aína vô incontra o qui é meu
    será qui Deus do céu aqui na terra
    de nosso povo intonce se isqueceu
    na catinga morreu tudo
    qui nem percisô caxão
    meu compadre João Barbudo
    num cumpriu a obrigação

    Comente
    user 300 caracteres restantes. Enviar

    Todas as letras de Xangai

    Publicidade
    A Pergunta - Xangai - VAGALUME
    Play
    PLAY

    Tropeiro
    O Quilimero assunta meu irirmão
    iantes mêrmo que nóis dois saudemo
    eu te pregunto naquele refrão
    qui na fartura nóis sempre cantemo
    na cantiga tá chuveno?
    ribeirão estão incheno?
    na catinga tá chuveno?
    ribeirão estão incheno?
    me arresponda meu irirmão
    cuma o povo de lá tão.

    Quilimero
    Só a terra que você dexô
    quinda tá lá num ritirou-se não
    os povos as gente
    os bichos as coisa tudo
    uns ritirou-se in pirigrinação
    os ôtro os mais velho mais cabiçudo
    voltaro pru qui era pru pó do chão
    adispois de cumê tudo
    cumêr' precata surrão
    cumêr' côro de rabudo
    cumêr' cururú rodão
    e as cacimbas do ri Gavião
    já deu mais de duas cova d'um cristão
    inté aquela a da cara fêa
    se veno só dexô a tyerra alêa
    foi nas pidrinha cova de serêa
    vê sua madrinha
    evêi de mão c'ua vea
    na catinga morreu tudo
    qui nem percisô caxão
    meu compadre João Barbudo
    num cumpriu obrigação
    vai prá mais de duas lua
    que meu pai mandô eu i no Nazaré
    buscá u'a quarta de farinha
    eu e o meu irmão Zé Bento
    vinha andano a pé
    mãe lua magrinha qui está no céu
    será qui cuano eu chegue
    in minha terra
    aína vô incontra o qui é meu
    será qui Deus do céu aqui na terra
    de nosso povo intonce se isqueceu
    na catinga morreu tudo
    qui nem percisô caxão
    meu compadre João Barbudo
    num cumpriu a obrigação

    Comente
    user 300 caracteres restantes. Enviar

    Todas as letras de Xangai

    Publicidade
    A Pergunta - Xangai - VAGALUME
    Play
    PLAY

    Tropeiro
    O Quilimero assunta meu irirmão
    iantes mêrmo que nóis dois saudemo
    eu te pregunto naquele refrão
    qui na fartura nóis sempre cantemo
    na cantiga tá chuveno?
    ribeirão estão incheno?
    na catinga tá chuveno?
    ribeirão estão incheno?
    me arresponda meu irirmão
    cuma o povo de lá tão.

    Quilimero
    Só a terra que você dexô
    quinda tá lá num ritirou-se não
    os povos as gente
    os bichos as coisa tudo
    uns ritirou-se in pirigrinação
    os ôtro os mais velho mais cabiçudo
    voltaro pru qui era pru pó do chão
    adispois de cumê tudo
    cumêr' precata surrão
    cumêr' côro de rabudo
    cumêr' cururú rodão
    e as cacimbas do ri Gavião
    já deu mais de duas cova d'um cristão
    inté aquela a da cara fêa
    se veno só dexô a tyerra alêa
    foi nas pidrinha cova de serêa
    vê sua madrinha
    evêi de mão c'ua vea
    na catinga morreu tudo
    qui nem percisô caxão
    meu compadre João Barbudo
    num cumpriu obrigação
    vai prá mais de duas lua
    que meu pai mandô eu i no Nazaré
    buscá u'a quarta de farinha
    eu e o meu irmão Zé Bento
    vinha andano a pé
    mãe lua magrinha qui está no céu
    será qui cuano eu chegue
    in minha terra
    aína vô incontra o qui é meu
    será qui Deus do céu aqui na terra
    de nosso povo intonce se isqueceu
    na catinga morreu tudo
    qui nem percisô caxão
    meu compadre João Barbudo
    num cumpriu a obrigação

    Comente
    user 300 caracteres restantes. Enviar

    Todas as letras de Xangai

    Publicidade
    A Pergunta - Xangai - VAGALUME
    Play
    PLAY

    Tropeiro
    O Quilimero assunta meu irirmão
    iantes mêrmo que nóis dois saudemo
    eu te pregunto naquele refrão
    qui na fartura nóis sempre cantemo
    na cantiga tá chuveno?
    ribeirão estão incheno?
    na catinga tá chuveno?
    ribeirão estão incheno?
    me arresponda meu irirmão
    cuma o povo de lá tão.

    Quilimero
    Só a terra que você dexô
    quinda tá lá num ritirou-se não
    os povos as gente
    os bichos as coisa tudo
    uns ritirou-se in pirigrinação
    os ôtro os mais velho mais cabiçudo
    voltaro pru qui era pru pó do chão
    adispois de cumê tudo
    cumêr' precata surrão
    cumêr' côro de rabudo
    cumêr' cururú rodão
    e as cacimbas do ri Gavião
    já deu mais de duas cova d'um cristão
    inté aquela a da cara fêa
    se veno só dexô a tyerra alêa
    foi nas pidrinha cova de serêa
    vê sua madrinha
    evêi de mão c'ua vea
    na catinga morreu tudo
    qui nem percisô caxão
    meu compadre João Barbudo
    num cumpriu obrigação
    vai prá mais de duas lua
    que meu pai mandô eu i no Nazaré
    buscá u'a quarta de farinha
    eu e o meu irmão Zé Bento
    vinha andano a pé
    mãe lua magrinha qui está no céu
    será qui cuano eu chegue
    in minha terra
    aína vô incontra o qui é meu
    será qui Deus do céu aqui na terra
    de nosso povo intonce se isqueceu
    na catinga morreu tudo
    qui nem percisô caxão
    meu compadre João Barbudo
    num cumpriu a obrigação

    Comente
    user 300 caracteres restantes. Enviar

    Todas as letras de Xangai

    Publicidade
    A Pergunta - Xangai - VAGALUME
    Play
    PLAY

    Tropeiro
    O Quilimero assunta meu irirmão
    iantes mêrmo que nóis dois saudemo
    eu te pregunto naquele refrão
    qui na fartura nóis sempre cantemo
    na cantiga tá chuveno?
    ribeirão estão incheno?
    na catinga tá chuveno?
    ribeirão estão incheno?
    me arresponda meu irirmão
    cuma o povo de lá tão.

    Quilimero
    Só a terra que você dexô
    quinda tá lá num ritirou-se não
    os povos as gente
    os bichos as coisa tudo
    uns ritirou-se in pirigrinação
    os ôtro os mais velho mais cabiçudo
    voltaro pru qui era pru pó do chão
    adispois de cumê tudo
    cumêr' precata surrão
    cumêr' côro de rabudo
    cumêr' cururú rodão
    e as cacimbas do ri Gavião
    já deu mais de duas cova d'um cristão
    inté aquela a da cara fêa
    se veno só dexô a tyerra alêa
    foi nas pidrinha cova de serêa
    vê sua madrinha
    evêi de mão c'ua vea
    na catinga morreu tudo
    qui nem percisô caxão
    meu compadre João Barbudo
    num cumpriu obrigação
    vai prá mais de duas lua
    que meu pai mandô eu i no Nazaré
    buscá u'a quarta de farinha
    eu e o meu irmão Zé Bento
    vinha andano a pé
    mãe lua magrinha qui está no céu
    será qui cuano eu chegue
    in minha terra
    aína vô incontra o qui é meu
    será qui Deus do céu aqui na terra
    de nosso povo intonce se isqueceu
    na catinga morreu tudo
    qui nem percisô caxão
    meu compadre João Barbudo
    num cumpriu a obrigação

    Comente
    user 300 caracteres restantes. Enviar

    Todas as letras de Xangai

    Publicidade
    A Pergunta - Xangai - VAGALUME
    Play
    PLAY

    Tropeiro
    O Quilimero assunta meu irirmão
    iantes mêrmo que nóis dois saudemo
    eu te pregunto naquele refrão
    qui na fartura nóis sempre cantemo
    na cantiga tá chuveno?
    ribeirão estão incheno?
    na catinga tá chuveno?
    ribeirão estão incheno?
    me arresponda meu irirmão
    cuma o povo de lá tão.

    Quilimero
    Só a terra que você dexô
    quinda tá lá num ritirou-se não
    os povos as gente
    os bichos as coisa tudo
    uns ritirou-se in pirigrinação
    os ôtro os mais velho mais cabiçudo
    voltaro pru qui era pru pó do chão
    adispois de cumê tudo
    cumêr' precata surrão
    cumêr' côro de rabudo
    cumêr' cururú rodão
    e as cacimbas do ri Gavião
    já deu mais de duas cova d'um cristão
    inté aquela a da cara fêa
    se veno só dexô a tyerra alêa
    foi nas pidrinha cova de serêa
    vê sua madrinha
    evêi de mão c'ua vea
    na catinga morreu tudo
    qui nem percisô caxão
    meu compadre João Barbudo
    num cumpriu obrigação
    vai prá mais de duas lua
    que meu pai mandô eu i no Nazaré
    buscá u'a quarta de farinha
    eu e o meu irmão Zé Bento
    vinha andano a pé
    mãe lua magrinha qui está no céu
    será qui cuano eu chegue
    in minha terra
    aína vô incontra o qui é meu
    será qui Deus do céu aqui na terra
    de nosso povo intonce se isqueceu
    na catinga morreu tudo
    qui nem percisô caxão
    meu compadre João Barbudo
    num cumpriu a obrigação

    Comente
    user 300 caracteres restantes. Enviar

    Todas as letras de Xangai

    Publicidade
    A Pergunta - Xangai - VAGALUME
    Play
    PLAY

    Tropeiro
    O Quilimero assunta meu irirmão
    iantes mêrmo que nóis dois saudemo
    eu te pregunto naquele refrão
    qui na fartura nóis sempre cantemo
    na cantiga tá chuveno?
    ribeirão estão incheno?
    na catinga tá chuveno?
    ribeirão estão incheno?
    me arresponda meu irirmão
    cuma o povo de lá tão.

    Quilimero
    Só a terra que você dexô
    quinda tá lá num ritirou-se não
    os povos as gente
    os bichos as coisa tudo
    uns ritirou-se in pirigrinação
    os ôtro os mais velho mais cabiçudo
    voltaro pru qui era pru pó do chão
    adispois de cumê tudo
    cumêr' precata surrão
    cumêr' côro de rabudo
    cumêr' cururú rodão
    e as cacimbas do ri Gavião
    já deu mais de duas cova d'um cristão
    inté aquela a da cara fêa
    se veno só dexô a tyerra alêa
    foi nas pidrinha cova de serêa
    vê sua madrinha
    evêi de mão c'ua vea
    na catinga morreu tudo
    qui nem percisô caxão
    meu compadre João Barbudo
    num cumpriu obrigação
    vai prá mais de duas lua
    que meu pai mandô eu i no Nazaré
    buscá u'a quarta de farinha
    eu e o meu irmão Zé Bento
    vinha andano a pé
    mãe lua magrinha qui está no céu
    será qui cuano eu chegue
    in minha terra
    aína vô incontra o qui é meu
    será qui Deus do céu aqui na terra
    de nosso povo intonce se isqueceu
    na catinga morreu tudo
    qui nem percisô caxão
    meu compadre João Barbudo
    num cumpriu a obrigação

    Comente
    user 300 caracteres restantes. Enviar

    Todas as letras de Xangai

    Publicidade
    A Pergunta - Xangai - VAGALUME
    Play
    PLAY

    Tropeiro
    O Quilimero assunta meu irirmão
    iantes mêrmo que nóis dois saudemo
    eu te pregunto naquele refrão
    qui na fartura nóis sempre cantemo
    na cantiga tá chuveno?
    ribeirão estão incheno?
    na catinga tá chuveno?
    ribeirão estão incheno?
    me arresponda meu irirmão
    cuma o povo de lá tão.

    Quilimero
    Só a terra que você dexô
    quinda tá lá num ritirou-se não
    os povos as gente
    os bichos as coisa tudo
    uns ritirou-se in pirigrinação
    os ôtro os mais velho mais cabiçudo
    voltaro pru qui era pru pó do chão
    adispois de cumê tudo
    cumêr' precata surrão
    cumêr' côro de rabudo
    cumêr' cururú rodão
    e as cacimbas do ri Gavião
    já deu mais de duas cova d'um cristão
    inté aquela a da cara fêa
    se veno só dexô a tyerra alêa
    foi nas pidrinha cova de serêa
    vê sua madrinha
    evêi de mão c'ua vea
    na catinga morreu tudo
    qui nem percisô caxão
    meu compadre João Barbudo
    num cumpriu obrigação
    vai prá mais de duas lua
    que meu pai mandô eu i no Nazaré
    buscá u'a quarta de farinha
    eu e o meu irmão Zé Bento
    vinha andano a pé
    mãe lua magrinha qui está no céu
    será qui cuano eu chegue
    in minha terra
    aína vô incontra o qui é meu
    será qui Deus do céu aqui na terra
    de nosso povo intonce se isqueceu
    na catinga morreu tudo
    qui nem percisô caxão
    meu compadre João Barbudo
    num cumpriu a obrigação

    Comente
    user 300 caracteres restantes. Enviar

    Todas as letras de Xangai

    Publicidade
    A Pergunta - Xangai - VAGALUME
    Play
    PLAY

    Tropeiro
    O Quilimero assunta meu irirmão
    iantes mêrmo que nóis dois saudemo
    eu te pregunto naquele refrão
    qui na fartura nóis sempre cantemo
    na cantiga tá chuveno?
    ribeirão estão incheno?
    na catinga tá chuveno?
    ribeirão estão incheno?
    me arresponda meu irirmão
    cuma o povo de lá tão.

    Quilimero
    Só a terra que você dexô
    quinda tá lá num ritirou-se não
    os povos as gente
    os bichos as coisa tudo
    uns ritirou-se in pirigrinação
    os ôtro os mais velho mais cabiçudo
    voltaro pru qui era pru pó do chão
    adispois de cumê tudo
    cumêr' precata surrão
    cumêr' côro de rabudo
    cumêr' cururú rodão
    e as cacimbas do ri Gavião
    já deu mais de duas cova d'um cristão
    inté aquela a da cara fêa
    se veno só dexô a tyerra alêa
    foi nas pidrinha cova de serêa
    vê sua madrinha
    evêi de mão c'ua vea
    na catinga morreu tudo
    qui nem percisô caxão
    meu compadre João Barbudo
    num cumpriu obrigação
    vai prá mais de duas lua
    que meu pai mandô eu i no Nazaré
    buscá u'a quarta de farinha
    eu e o meu irmão Zé Bento
    vinha andano a pé
    mãe lua magrinha qui está no céu
    será qui cuano eu chegue
    in minha terra
    aína vô incontra o qui é meu
    será qui Deus do céu aqui na terra
    de nosso povo intonce se isqueceu
    na catinga morreu tudo
    qui nem percisô caxão
    meu compadre João Barbudo
    num cumpriu a obrigação

    Comente
    user 300 caracteres restantes. Enviar

    Todas as letras de Xangai

    Publicidade
    A Pergunta - Xangai - VAGALUME
    Play
    PLAY

    Tropeiro
    O Quilimero assunta meu irirmão
    iantes mêrmo que nóis dois saudemo
    eu te pregunto naquele refrão
    qui na fartura nóis sempre cantemo
    na cantiga tá chuveno?
    ribeirão estão incheno?
    na catinga tá chuveno?
    ribeirão estão incheno?
    me arresponda meu irirmão
    cuma o povo de lá tão.

    Quilimero
    Só a terra que você dexô
    quinda tá lá num ritirou-se não
    os povos as gente
    os bichos as coisa tudo
    uns ritirou-se in pirigrinação
    os ôtro os mais velho mais cabiçudo
    voltaro pru qui era pru pó do chão
    adispois de cumê tudo
    cumêr' precata surrão
    cumêr' côro de rabudo
    cumêr' cururú rodão
    e as cacimbas do ri Gavião
    já deu mais de duas cova d'um cristão
    inté aquela a da cara fêa
    se veno só dexô a tyerra alêa
    foi nas pidrinha cova de serêa
    vê sua madrinha
    evêi de mão c'ua vea
    na catinga morreu tudo
    qui nem percisô caxão
    meu compadre João Barbudo
    num cumpriu obrigação
    vai prá mais de duas lua
    que meu pai mandô eu i no Nazaré
    buscá u'a quarta de farinha
    eu e o meu irmão Zé Bento
    vinha andano a pé
    mãe lua magrinha qui está no céu
    será qui cuano eu chegue
    in minha terra
    aína vô incontra o qui é meu
    será qui Deus do céu aqui na terra
    de nosso povo intonce se isqueceu
    na catinga morreu tudo
    qui nem percisô caxão
    meu compadre João Barbudo
    num cumpriu a obrigação

    Comente
    user 300 caracteres restantes. Enviar

    Todas as letras de Xangai

    Publicidade
    A Pergunta - Xangai - VAGALUME
    Play
    PLAY

    Tropeiro
    O Quilimero assunta meu irirmão
    iantes mêrmo que nóis dois saudemo
    eu te pregunto naquele refrão
    qui na fartura nóis sempre cantemo
    na cantiga tá chuveno?
    ribeirão estão incheno?
    na catinga tá chuveno?
    ribeirão estão incheno?
    me arresponda meu irirmão
    cuma o povo de lá tão.

    Quilimero
    Só a terra que você dexô
    quinda tá lá num ritirou-se não
    os povos as gente
    os bichos as coisa tudo
    uns ritirou-se in pirigrinação
    os ôtro os mais velho mais cabiçudo
    voltaro pru qui era pru pó do chão
    adispois de cumê tudo
    cumêr' precata surrão
    cumêr' côro de rabudo
    cumêr' cururú rodão
    e as cacimbas do ri Gavião
    já deu mais de duas cova d'um cristão
    inté aquela a da cara fêa
    se veno só dexô a tyerra alêa
    foi nas pidrinha cova de serêa
    vê sua madrinha
    evêi de mão c'ua vea
    na catinga morreu tudo
    qui nem percisô caxão
    meu compadre João Barbudo
    num cumpriu obrigação
    vai prá mais de duas lua
    que meu pai mandô eu i no Nazaré
    buscá u'a quarta de farinha
    eu e o meu irmão Zé Bento
    vinha andano a pé
    mãe lua magrinha qui está no céu
    será qui cuano eu chegue
    in minha terra
    aína vô incontra o qui é meu
    será qui Deus do céu aqui na terra
    de nosso povo intonce se isqueceu
    na catinga morreu tudo
    qui nem percisô caxão
    meu compadre João Barbudo
    num cumpriu a obrigação

    Comente
    user 300 caracteres restantes. Enviar

    Todas as letras de Xangai

    Publicidade
    A Pergunta - Xangai - VAGALUME
    Play
    PLAY

    Tropeiro
    O Quilimero assunta meu irirmão
    iantes mêrmo que nóis dois saudemo
    eu te pregunto naquele refrão
    qui na fartura nóis sempre cantemo
    na cantiga tá chuveno?
    ribeirão estão incheno?
    na catinga tá chuveno?
    ribeirão estão incheno?
    me arresponda meu irirmão
    cuma o povo de lá tão.

    Quilimero
    Só a terra que você dexô
    quinda tá lá num ritirou-se não
    os povos as gente
    os bichos as coisa tudo
    uns ritirou-se in pirigrinação
    os ôtro os mais velho mais cabiçudo
    voltaro pru qui era pru pó do chão
    adispois de cumê tudo
    cumêr' precata surrão
    cumêr' côro de rabudo
    cumêr' cururú rodão
    e as cacimbas do ri Gavião
    já deu mais de duas cova d'um cristão
    inté aquela a da cara fêa
    se veno só dexô a tyerra alêa
    foi nas pidrinha cova de serêa
    vê sua madrinha
    evêi de mão c'ua vea
    na catinga morreu tudo
    qui nem percisô caxão
    meu compadre João Barbudo
    num cumpriu obrigação
    vai prá mais de duas lua
    que meu pai mandô eu i no Nazaré
    buscá u'a quarta de farinha
    eu e o meu irmão Zé Bento
    vinha andano a pé
    mãe lua magrinha qui está no céu
    será qui cuano eu chegue
    in minha terra
    aína vô incontra o qui é meu
    será qui Deus do céu aqui na terra
    de nosso povo intonce se isqueceu
    na catinga morreu tudo
    qui nem percisô caxão
    meu compadre João Barbudo
    num cumpriu a obrigação

    Comente
    user 300 caracteres restantes. Enviar

    Todas as letras de Xangai

    Publicidade
    A Pergunta - Xangai - VAGALUME
    Play
    PLAY

    Tropeiro
    O Quilimero assunta meu irirmão
    iantes mêrmo que nóis dois saudemo
    eu te pregunto naquele refrão
    qui na fartura nóis sempre cantemo
    na cantiga tá chuveno?
    ribeirão estão incheno?
    na catinga tá chuveno?
    ribeirão estão incheno?
    me arresponda meu irirmão
    cuma o povo de lá tão.

    Quilimero
    Só a terra que você dexô
    quinda tá lá num ritirou-se não
    os povos as gente
    os bichos as coisa tudo
    uns ritirou-se in pirigrinação
    os ôtro os mais velho mais cabiçudo
    voltaro pru qui era pru pó do chão
    adispois de cumê tudo
    cumêr' precata surrão
    cumêr' côro de rabudo
    cumêr' cururú rodão
    e as cacimbas do ri Gavião
    já deu mais de duas cova d'um cristão
    inté aquela a da cara fêa
    se veno só dexô a tyerra alêa
    foi nas pidrinha cova de serêa
    vê sua madrinha
    evêi de mão c'ua vea
    na catinga morreu tudo
    qui nem percisô caxão
    meu compadre João Barbudo
    num cumpriu obrigação
    vai prá mais de duas lua
    que meu pai mandô eu i no Nazaré
    buscá u'a quarta de farinha
    eu e o meu irmão Zé Bento
    vinha andano a pé
    mãe lua magrinha qui está no céu
    será qui cuano eu chegue
    in minha terra
    aína vô incontra o qui é meu
    será qui Deus do céu aqui na terra
    de nosso povo intonce se isqueceu
    na catinga morreu tudo
    qui nem percisô caxão
    meu compadre João Barbudo
    num cumpriu a obrigação

    Comente
    user 300 caracteres restantes. Enviar

    Todas as letras de Xangai

    Publicidade
    A Pergunta - Xangai - VAGALUME
    Play
    PLAY

    Tropeiro
    O Quilimero assunta meu irirmão
    iantes mêrmo que nóis dois saudemo
    eu te pregunto naquele refrão
    qui na fartura nóis sempre cantemo
    na cantiga tá chuveno?
    ribeirão estão incheno?
    na catinga tá chuveno?
    ribeirão estão incheno?
    me arresponda meu irirmão
    cuma o povo de lá tão.

    Quilimero
    Só a terra que você dexô
    quinda tá lá num ritirou-se não
    os povos as gente
    os bichos as coisa tudo
    uns ritirou-se in pirigrinação
    os ôtro os mais velho mais cabiçudo
    voltaro pru qui era pru pó do chão
    adispois de cumê tudo
    cumêr' precata surrão
    cumêr' côro de rabudo
    cumêr' cururú rodão
    e as cacimbas do ri Gavião
    já deu mais de duas cova d'um cristão
    inté aquela a da cara fêa
    se veno só dexô a tyerra alêa
    foi nas pidrinha cova de serêa
    vê sua madrinha
    evêi de mão c'ua vea
    na catinga morreu tudo
    qui nem percisô caxão
    meu compadre João Barbudo
    num cumpriu obrigação
    vai prá mais de duas lua
    que meu pai mandô eu i no Nazaré
    buscá u'a quarta de farinha
    eu e o meu irmão Zé Bento
    vinha andano a pé
    mãe lua magrinha qui está no céu
    será qui cuano eu chegue
    in minha terra
    aína vô incontra o qui é meu
    será qui Deus do céu aqui na terra
    de nosso povo intonce se isqueceu
    na catinga morreu tudo
    qui nem percisô caxão
    meu compadre João Barbudo
    num cumpriu a obrigação

    Comente
    user 300 caracteres restantes. Enviar

    Todas as letras de Xangai

    Publicidade
    A Pergunta - Xangai - VAGALUME
    Play
    PLAY

    Tropeiro
    O Quilimero assunta meu irirmão
    iantes mêrmo que nóis dois saudemo
    eu te pregunto naquele refrão
    qui na fartura nóis sempre cantemo
    na cantiga tá chuveno?
    ribeirão estão incheno?
    na catinga tá chuveno?
    ribeirão estão incheno?
    me arresponda meu irirmão
    cuma o povo de lá tão.

    Quilimero
    Só a terra que você dexô
    quinda tá lá num ritirou-se não
    os povos as gente
    os bichos as coisa tudo
    uns ritirou-se in pirigrinação
    os ôtro os mais velho mais cabiçudo
    voltaro pru qui era pru pó do chão
    adispois de cumê tudo
    cumêr' precata surrão
    cumêr' côro de rabudo
    cumêr' cururú rodão
    e as cacimbas do ri Gavião
    já deu mais de duas cova d'um cristão
    inté aquela a da cara fêa
    se veno só dexô a tyerra alêa
    foi nas pidrinha cova de serêa
    vê sua madrinha
    evêi de mão c'ua vea
    na catinga morreu tudo
    qui nem percisô caxão
    meu compadre João Barbudo
    num cumpriu obrigação
    vai prá mais de duas lua
    que meu pai mandô eu i no Nazaré
    buscá u'a quarta de farinha
    eu e o meu irmão Zé Bento
    vinha andano a pé
    mãe lua magrinha qui está no céu
    será qui cuano eu chegue
    in minha terra
    aína vô incontra o qui é meu
    será qui Deus do céu aqui na terra
    de nosso povo intonce se isqueceu
    na catinga morreu tudo
    qui nem percisô caxão
    meu compadre João Barbudo
    num cumpriu a obrigação

    Comente
    user 300 caracteres restantes. Enviar

    Todas as letras de Xangai

    Publicidade
    A Pergunta - Xangai - VAGALUME
    Play
    PLAY

    Tropeiro
    O Quilimero assunta meu irirmão
    iantes mêrmo que nóis dois saudemo
    eu te pregunto naquele refrão
    qui na fartura nóis sempre cantemo
    na cantiga tá chuveno?
    ribeirão estão incheno?
    na catinga tá chuveno?
    ribeirão estão incheno?
    me arresponda meu irirmão
    cuma o povo de lá tão.

    Quilimero
    Só a terra que você dexô
    quinda tá lá num ritirou-se não
    os povos as gente
    os bichos as coisa tudo
    uns ritirou-se in pirigrinação
    os ôtro os mais velho mais cabiçudo
    voltaro pru qui era pru pó do chão
    adispois de cumê tudo
    cumêr' precata surrão
    cumêr' côro de rabudo
    cumêr' cururú rodão
    e as cacimbas do ri Gavião
    já deu mais de duas cova d'um cristão
    inté aquela a da cara fêa
    se veno só dexô a tyerra alêa
    foi nas pidrinha cova de serêa
    vê sua madrinha
    evêi de mão c'ua vea
    na catinga morreu tudo
    qui nem percisô caxão
    meu compadre João Barbudo
    num cumpriu obrigação
    vai prá mais de duas lua
    que meu pai mandô eu i no Nazaré
    buscá u'a quarta de farinha
    eu e o meu irmão Zé Bento
    vinha andano a pé
    mãe lua magrinha qui está no céu
    será qui cuano eu chegue
    in minha terra
    aína vô incontra o qui é meu
    será qui Deus do céu aqui na terra
    de nosso povo intonce se isqueceu
    na catinga morreu tudo
    qui nem percisô caxão
    meu compadre João Barbudo
    num cumpriu a obrigação

    Comente
    user 300 caracteres restantes. Enviar

    Todas as letras de Xangai

    Publicidade
    A Pergunta - Xangai - VAGALUME
    Play
    PLAY

    Tropeiro
    O Quilimero assunta meu irirmão
    iantes mêrmo que nóis dois saudemo
    eu te pregunto naquele refrão
    qui na fartura nóis sempre cantemo
    na cantiga tá chuveno?
    ribeirão estão incheno?
    na catinga tá chuveno?
    ribeirão estão incheno?
    me arresponda meu irirmão
    cuma o povo de lá tão.

    Quilimero
    Só a terra que você dexô
    quinda tá lá num ritirou-se não
    os povos as gente
    os bichos as coisa tudo
    uns ritirou-se in pirigrinação
    os ôtro os mais velho mais cabiçudo
    voltaro pru qui era pru pó do chão
    adispois de cumê tudo
    cumêr' precata surrão
    cumêr' côro de rabudo
    cumêr' cururú rodão
    e as cacimbas do ri Gavião
    já deu mais de duas cova d'um cristão
    inté aquela a da cara fêa
    se veno só dexô a tyerra alêa
    foi nas pidrinha cova de serêa
    vê sua madrinha
    evêi de mão c'ua vea
    na catinga morreu tudo
    qui nem percisô caxão
    meu compadre João Barbudo
    num cumpriu obrigação
    vai prá mais de duas lua
    que meu pai mandô eu i no Nazaré
    buscá u'a quarta de farinha
    eu e o meu irmão Zé Bento
    vinha andano a pé
    mãe lua magrinha qui está no céu
    será qui cuano eu chegue
    in minha terra
    aína vô incontra o qui é meu
    será qui Deus do céu aqui na terra
    de nosso povo intonce se isqueceu
    na catinga morreu tudo
    qui nem percisô caxão
    meu compadre João Barbudo
    num cumpriu a obrigação

    Comente
    user 300 caracteres restantes. Enviar

    Todas as letras de Xangai

    Publicidade
    A Pergunta - Xangai - VAGALUME
    Play
    PLAY

    Tropeiro
    O Quilimero assunta meu irirmão
    iantes mêrmo que nóis dois saudemo
    eu te pregunto naquele refrão
    qui na fartura nóis sempre cantemo
    na cantiga tá chuveno?
    ribeirão estão incheno?
    na catinga tá chuveno?
    ribeirão estão incheno?
    me arresponda meu irirmão
    cuma o povo de lá tão.

    Quilimero
    Só a terra que você dexô
    quinda tá lá num ritirou-se não
    os povos as gente
    os bichos as coisa tudo
    uns ritirou-se in pirigrinação
    os ôtro os mais velho mais cabiçudo
    voltaro pru qui era pru pó do chão
    adispois de cumê tudo
    cumêr' precata surrão
    cumêr' côro de rabudo
    cumêr' cururú rodão
    e as cacimbas do ri Gavião
    já deu mais de duas cova d'um cristão
    inté aquela a da cara fêa
    se veno só dexô a tyerra alêa
    foi nas pidrinha cova de serêa
    vê sua madrinha
    evêi de mão c'ua vea
    na catinga morreu tudo
    qui nem percisô caxão
    meu compadre João Barbudo
    num cumpriu obrigação
    vai prá mais de duas lua
    que meu pai mandô eu i no Nazaré
    buscá u'a quarta de farinha
    eu e o meu irmão Zé Bento
    vinha andano a pé
    mãe lua magrinha qui está no céu
    será qui cuano eu chegue
    in minha terra
    aína vô incontra o qui é meu
    será qui Deus do céu aqui na terra
    de nosso povo intonce se isqueceu
    na catinga morreu tudo
    qui nem percisô caxão
    meu compadre João Barbudo
    num cumpriu a obrigação

    Comente
    user 300 caracteres restantes. Enviar

    Todas as letras de Xangai

    Publicidade
    A Pergunta - Xangai - VAGALUME
    Play
    PLAY

    Tropeiro
    O Quilimero assunta meu irirmão
    iantes mêrmo que nóis dois saudemo
    eu te pregunto naquele refrão
    qui na fartura nóis sempre cantemo
    na cantiga tá chuveno?
    ribeirão estão incheno?
    na catinga tá chuveno?
    ribeirão estão incheno?
    me arresponda meu irirmão
    cuma o povo de lá tão.

    Quilimero
    Só a terra que você dexô
    quinda tá lá num ritirou-se não
    os povos as gente
    os bichos as coisa tudo
    uns ritirou-se in pirigrinação
    os ôtro os mais velho mais cabiçudo
    voltaro pru qui era pru pó do chão
    adispois de cumê tudo
    cumêr' precata surrão
    cumêr' côro de rabudo
    cumêr' cururú rodão
    e as cacimbas do ri Gavião
    já deu mais de duas cova d'um cristão
    inté aquela a da cara fêa
    se veno só dexô a tyerra alêa
    foi nas pidrinha cova de serêa
    vê sua madrinha
    evêi de mão c'ua vea
    na catinga morreu tudo
    qui nem percisô caxão
    meu compadre João Barbudo
    num cumpriu obrigação
    vai prá mais de duas lua
    que meu pai mandô eu i no Nazaré
    buscá u'a quarta de farinha
    eu e o meu irmão Zé Bento
    vinha andano a pé
    mãe lua magrinha qui está no céu
    será qui cuano eu chegue
    in minha terra
    aína vô incontra o qui é meu
    será qui Deus do céu aqui na terra
    de nosso povo intonce se isqueceu
    na catinga morreu tudo
    qui nem percisô caxão
    meu compadre João Barbudo
    num cumpriu a obrigação

    Comente
    user 300 caracteres restantes. Enviar

    Todas as letras de Xangai

    Publicidade
    A Pergunta - Xangai - VAGALUME
    Play
    PLAY

    Tropeiro
    O Quilimero assunta meu irirmão
    iantes mêrmo que nóis dois saudemo
    eu te pregunto naquele refrão
    qui na fartura nóis sempre cantemo
    na cantiga tá chuveno?
    ribeirão estão incheno?
    na catinga tá chuveno?
    ribeirão estão incheno?
    me arresponda meu irirmão
    cuma o povo de lá tão.

    Quilimero
    Só a terra que você dexô
    quinda tá lá num ritirou-se não
    os povos as gente
    os bichos as coisa tudo
    uns ritirou-se in pirigrinação
    os ôtro os mais velho mais cabiçudo
    voltaro pru qui era pru pó do chão
    adispois de cumê tudo
    cumêr' precata surrão
    cumêr' côro de rabudo
    cumêr' cururú rodão
    e as cacimbas do ri Gavião
    já deu mais de duas cova d'um cristão
    inté aquela a da cara fêa
    se veno só dexô a tyerra alêa
    foi nas pidrinha cova de serêa
    vê sua madrinha
    evêi de mão c'ua vea
    na catinga morreu tudo
    qui nem percisô caxão
    meu compadre João Barbudo
    num cumpriu obrigação
    vai prá mais de duas lua
    que meu pai mandô eu i no Nazaré
    buscá u'a quarta de farinha
    eu e o meu irmão Zé Bento
    vinha andano a pé
    mãe lua magrinha qui está no céu
    será qui cuano eu chegue
    in minha terra
    aína vô incontra o qui é meu
    será qui Deus do céu aqui na terra
    de nosso povo intonce se isqueceu
    na catinga morreu tudo
    qui nem percisô caxão
    meu compadre João Barbudo
    num cumpriu a obrigação

    Comente
    user 300 caracteres restantes. Enviar

    Todas as letras de Xangai

    Publicidade
    A Pergunta - Xangai - VAGALUME
    Play
    PLAY

    Tropeiro
    O Quilimero assunta meu irirmão
    iantes mêrmo que nóis dois saudemo
    eu te pregunto naquele refrão
    qui na fartura nóis sempre cantemo
    na cantiga tá chuveno?
    ribeirão estão incheno?
    na catinga tá chuveno?
    ribeirão estão incheno?
    me arresponda meu irirmão
    cuma o povo de lá tão.

    Quilimero
    Só a terra que você dexô
    quinda tá lá num ritirou-se não
    os povos as gente
    os bichos as coisa tudo
    uns ritirou-se in pirigrinação
    os ôtro os mais velho mais cabiçudo
    voltaro pru qui era pru pó do chão
    adispois de cumê tudo
    cumêr' precata surrão
    cumêr' côro de rabudo
    cumêr' cururú rodão
    e as cacimbas do ri Gavião
    já deu mais de duas cova d'um cristão
    inté aquela a da cara fêa
    se veno só dexô a tyerra alêa
    foi nas pidrinha cova de serêa
    vê sua madrinha
    evêi de mão c'ua vea
    na catinga morreu tudo
    qui nem percisô caxão
    meu compadre João Barbudo
    num cumpriu obrigação
    vai prá mais de duas lua
    que meu pai mandô eu i no Nazaré
    buscá u'a quarta de farinha
    eu e o meu irmão Zé Bento
    vinha andano a pé
    mãe lua magrinha qui está no céu
    será qui cuano eu chegue
    in minha terra
    aína vô incontra o qui é meu
    será qui Deus do céu aqui na terra
    de nosso povo intonce se isqueceu
    na catinga morreu tudo
    qui nem percisô caxão
    meu compadre João Barbudo
    num cumpriu a obrigação

    Comente
    user 300 caracteres restantes. Enviar

    Todas as letras de Xangai

    Publicidade
    A Pergunta - Xangai - VAGALUME
    Play
    PLAY

    Tropeiro
    O Quilimero assunta meu irirmão
    iantes mêrmo que nóis dois saudemo
    eu te pregunto naquele refrão
    qui na fartura nóis sempre cantemo
    na cantiga tá chuveno?
    ribeirão estão incheno?
    na catinga tá chuveno?
    ribeirão estão incheno?
    me arresponda meu irirmão
    cuma o povo de lá tão.

    Quilimero
    Só a terra que você dexô
    quinda tá lá num ritirou-se não
    os povos as gente
    os bichos as coisa tudo
    uns ritirou-se in pirigrinação
    os ôtro os mais velho mais cabiçudo
    voltaro pru qui era pru pó do chão
    adispois de cumê tudo
    cumêr' precata surrão
    cumêr' côro de rabudo
    cumêr' cururú rodão
    e as cacimbas do ri Gavião
    já deu mais de duas cova d'um cristão
    inté aquela a da cara fêa
    se veno só dexô a tyerra alêa
    foi nas pidrinha cova de serêa
    vê sua madrinha
    evêi de mão c'ua vea
    na catinga morreu tudo
    qui nem percisô caxão
    meu compadre João Barbudo
    num cumpriu obrigação
    vai prá mais de duas lua
    que meu pai mandô eu i no Nazaré
    buscá u'a quarta de farinha
    eu e o meu irmão Zé Bento
    vinha andano a pé
    mãe lua magrinha qui está no céu
    será qui cuano eu chegue
    in minha terra
    aína vô incontra o qui é meu
    será qui Deus do céu aqui na terra
    de nosso povo intonce se isqueceu
    na catinga morreu tudo
    qui nem percisô caxão
    meu compadre João Barbudo
    num cumpriu a obrigação

    Comente
    user 300 caracteres restantes. Enviar

    Todas as letras de Xangai

    Publicidade
    A Pergunta - Xangai - VAGALUME
    Play
    PLAY

    Tropeiro
    O Quilimero assunta meu irirmão
    iantes mêrmo que nóis dois saudemo
    eu te pregunto naquele refrão
    qui na fartura nóis sempre cantemo
    na cantiga tá chuveno?
    ribeirão estão incheno?
    na catinga tá chuveno?
    ribeirão estão incheno?
    me arresponda meu irirmão
    cuma o povo de lá tão.

    Quilimero
    Só a terra que você dexô
    quinda tá lá num ritirou-se não
    os povos as gente
    os bichos as coisa tudo
    uns ritirou-se in pirigrinação
    os ôtro os mais velho mais cabiçudo
    voltaro pru qui era pru pó do chão
    adispois de cumê tudo
    cumêr' precata surrão
    cumêr' côro de rabudo
    cumêr' cururú rodão
    e as cacimbas do ri Gavião
    já deu mais de duas cova d'um cristão
    inté aquela a da cara fêa
    se veno só dexô a tyerra alêa
    foi nas pidrinha cova de serêa
    vê sua madrinha
    evêi de mão c'ua vea
    na catinga morreu tudo
    qui nem percisô caxão
    meu compadre João Barbudo
    num cumpriu obrigação
    vai prá mais de duas lua
    que meu pai mandô eu i no Nazaré
    buscá u'a quarta de farinha
    eu e o meu irmão Zé Bento
    vinha andano a pé
    mãe lua magrinha qui está no céu
    será qui cuano eu chegue
    in minha terra
    aína vô incontra o qui é meu
    será qui Deus do céu aqui na terra
    de nosso povo intonce se isqueceu
    na catinga morreu tudo
    qui nem percisô caxão
    meu compadre João Barbudo
    num cumpriu a obrigação

    Comente
    user 300 caracteres restantes. Enviar

    Todas as letras de Xangai

    Publicidade
    A Pergunta - Xangai - VAGALUME
    Play
    PLAY

    Tropeiro
    O Quilimero assunta meu irirmão
    iantes mêrmo que nóis dois saudemo
    eu te pregunto naquele refrão
    qui na fartura nóis sempre cantemo
    na cantiga tá chuveno?
    ribeirão estão incheno?
    na catinga tá chuveno?
    ribeirão estão incheno?
    me arresponda meu irirmão
    cuma o povo de lá tão.

    Quilimero
    Só a terra que você dexô
    quinda tá lá num ritirou-se não
    os povos as gente
    os bichos as coisa tudo
    uns ritirou-se in pirigrinação
    os ôtro os mais velho mais cabiçudo
    voltaro pru qui era pru pó do chão
    adispois de cumê tudo
    cumêr' precata surrão
    cumêr' côro de rabudo
    cumêr' cururú rodão
    e as cacimbas do ri Gavião
    já deu mais de duas cova d'um cristão
    inté aquela a da cara fêa
    se veno só dexô a tyerra alêa
    foi nas pidrinha cova de serêa
    vê sua madrinha
    evêi de mão c'ua vea
    na catinga morreu tudo
    qui nem percisô caxão
    meu compadre João Barbudo
    num cumpriu obrigação
    vai prá mais de duas lua
    que meu pai mandô eu i no Nazaré
    buscá u'a quarta de farinha
    eu e o meu irmão Zé Bento
    vinha andano a pé
    mãe lua magrinha qui está no céu
    será qui cuano eu chegue
    in minha terra
    aína vô incontra o qui é meu
    será qui Deus do céu aqui na terra
    de nosso povo intonce se isqueceu
    na catinga morreu tudo
    qui nem percisô caxão
    meu compadre João Barbudo
    num cumpriu a obrigação

    Comente
    user 300 caracteres restantes. Enviar

    Todas as letras de Xangai

    Publicidade
    A Pergunta - Xangai - VAGALUME
    Play
    PLAY

    Tropeiro
    O Quilimero assunta meu irirmão
    iantes mêrmo que nóis dois saudemo
    eu te pregunto naquele refrão
    qui na fartura nóis sempre cantemo
    na cantiga tá chuveno?
    ribeirão estão incheno?
    na catinga tá chuveno?
    ribeirão estão incheno?
    me arresponda meu irirmão
    cuma o povo de lá tão.

    Quilimero
    Só a terra que você dexô
    quinda tá lá num ritirou-se não
    os povos as gente
    os bichos as coisa tudo
    uns ritirou-se in pirigrinação
    os ôtro os mais velho mais cabiçudo
    voltaro pru qui era pru pó do chão
    adispois de cumê tudo
    cumêr' precata surrão
    cumêr' côro de rabudo
    cumêr' cururú rodão
    e as cacimbas do ri Gavião
    já deu mais de duas cova d'um cristão
    inté aquela a da cara fêa
    se veno só dexô a tyerra alêa
    foi nas pidrinha cova de serêa
    vê sua madrinha
    evêi de mão c'ua vea
    na catinga morreu tudo
    qui nem percisô caxão
    meu compadre João Barbudo
    num cumpriu obrigação
    vai prá mais de duas lua
    que meu pai mandô eu i no Nazaré
    buscá u'a quarta de farinha
    eu e o meu irmão Zé Bento
    vinha andano a pé
    mãe lua magrinha qui está no céu
    será qui cuano eu chegue
    in minha terra
    aína vô incontra o qui é meu
    será qui Deus do céu aqui na terra
    de nosso povo intonce se isqueceu
    na catinga morreu tudo
    qui nem percisô caxão
    meu compadre João Barbudo
    num cumpriu a obrigação

    Comente
    user 300 caracteres restantes. Enviar

    Todas as letras de Xangai

    Publicidade
    A Pergunta - Xangai - VAGALUME
    Play
    PLAY

    Tropeiro
    O Quilimero assunta meu irirmão
    iantes mêrmo que nóis dois saudemo
    eu te pregunto naquele refrão
    qui na fartura nóis sempre cantemo
    na cantiga tá chuveno?
    ribeirão estão incheno?
    na catinga tá chuveno?
    ribeirão estão incheno?
    me arresponda meu irirmão
    cuma o povo de lá tão.

    Quilimero
    Só a terra que você dexô
    quinda tá lá num ritirou-se não
    os povos as gente
    os bichos as coisa tudo
    uns ritirou-se in pirigrinação
    os ôtro os mais velho mais cabiçudo
    voltaro pru qui era pru pó do chão
    adispois de cumê tudo
    cumêr' precata surrão
    cumêr' côro de rabudo
    cumêr' cururú rodão
    e as cacimbas do ri Gavião
    já deu mais de duas cova d'um cristão
    inté aquela a da cara fêa
    se veno só dexô a tyerra alêa
    foi nas pidrinha cova de serêa
    vê sua madrinha
    evêi de mão c'ua vea
    na catinga morreu tudo
    qui nem percisô caxão
    meu compadre João Barbudo
    num cumpriu obrigação
    vai prá mais de duas lua
    que meu pai mandô eu i no Nazaré
    buscá u'a quarta de farinha
    eu e o meu irmão Zé Bento
    vinha andano a pé
    mãe lua magrinha qui está no céu
    será qui cuano eu chegue
    in minha terra
    aína vô incontra o qui é meu
    será qui Deus do céu aqui na terra
    de nosso povo intonce se isqueceu
    na catinga morreu tudo
    qui nem percisô caxão
    meu compadre João Barbudo
    num cumpriu a obrigação

    Comente
    user 300 caracteres restantes. Enviar

    Todas as letras de Xangai

    Publicidade
    A Pergunta - Xangai - VAGALUME
    Play
    PLAY

    Tropeiro
    O Quilimero assunta meu irirmão
    iantes mêrmo que nóis dois saudemo
    eu te pregunto naquele refrão
    qui na fartura nóis sempre cantemo
    na cantiga tá chuveno?
    ribeirão estão incheno?
    na catinga tá chuveno?
    ribeirão estão incheno?
    me arresponda meu irirmão
    cuma o povo de lá tão.

    Quilimero
    Só a terra que você dexô
    quinda tá lá num ritirou-se não
    os povos as gente
    os bichos as coisa tudo
    uns ritirou-se in pirigrinação
    os ôtro os mais velho mais cabiçudo
    voltaro pru qui era pru pó do chão
    adispois de cumê tudo
    cumêr' precata surrão
    cumêr' côro de rabudo
    cumêr' cururú rodão
    e as cacimbas do ri Gavião
    já deu mais de duas cova d'um cristão
    inté aquela a da cara fêa
    se veno só dexô a tyerra alêa
    foi nas pidrinha cova de serêa
    vê sua madrinha
    evêi de mão c'ua vea
    na catinga morreu tudo
    qui nem percisô caxão
    meu compadre João Barbudo
    num cumpriu obrigação
    vai prá mais de duas lua
    que meu pai mandô eu i no Nazaré
    buscá u'a quarta de farinha
    eu e o meu irmão Zé Bento
    vinha andano a pé
    mãe lua magrinha qui está no céu
    será qui cuano eu chegue
    in minha terra
    aína vô incontra o qui é meu
    será qui Deus do céu aqui na terra
    de nosso povo intonce se isqueceu
    na catinga morreu tudo
    qui nem percisô caxão
    meu compadre João Barbudo
    num cumpriu a obrigação

    Comente
    user 300 caracteres restantes. Enviar

    Todas as letras de Xangai

    Publicidade
    A Pergunta - Xangai - VAGALUME
    Play
    PLAY

    Tropeiro
    O Quilimero assunta meu irirmão
    iantes mêrmo que nóis dois saudemo
    eu te pregunto naquele refrão
    qui na fartura nóis sempre cantemo
    na cantiga tá chuveno?
    ribeirão estão incheno?
    na catinga tá chuveno?
    ribeirão estão incheno?
    me arresponda meu irirmão
    cuma o povo de lá tão.

    Quilimero
    Só a terra que você dexô
    quinda tá lá num ritirou-se não
    os povos as gente
    os bichos as coisa tudo
    uns ritirou-se in pirigrinação
    os ôtro os mais velho mais cabiçudo
    voltaro pru qui era pru pó do chão
    adispois de cumê tudo
    cumêr' precata surrão
    cumêr' côro de rabudo
    cumêr' cururú rodão
    e as cacimbas do ri Gavião
    já deu mais de duas cova d'um cristão
    inté aquela a da cara fêa
    se veno só dexô a tyerra alêa
    foi nas pidrinha cova de serêa
    vê sua madrinha
    evêi de mão c'ua vea
    na catinga morreu tudo
    qui nem percisô caxão
    meu compadre João Barbudo
    num cumpriu obrigação
    vai prá mais de duas lua
    que meu pai mandô eu i no Nazaré
    buscá u'a quarta de farinha
    eu e o meu irmão Zé Bento
    vinha andano a pé
    mãe lua magrinha qui está no céu
    será qui cuano eu chegue
    in minha terra
    aína vô incontra o qui é meu
    será qui Deus do céu aqui na terra
    de nosso povo intonce se isqueceu
    na catinga morreu tudo
    qui nem percisô caxão
    meu compadre João Barbudo
    num cumpriu a obrigação

    Comente
    user 300 caracteres restantes. Enviar

    Todas as letras de Xangai

    Publicidade
    A Pergunta - Xangai - VAGALUME
    Play
    PLAY

    Tropeiro
    O Quilimero assunta meu irirmão
    iantes mêrmo que nóis dois saudemo
    eu te pregunto naquele refrão
    qui na fartura nóis sempre cantemo
    na cantiga tá chuveno?
    ribeirão estão incheno?
    na catinga tá chuveno?
    ribeirão estão incheno?
    me arresponda meu irirmão
    cuma o povo de lá tão.

    Quilimero
    Só a terra que você dexô
    quinda tá lá num ritirou-se não
    os povos as gente
    os bichos as coisa tudo
    uns ritirou-se in pirigrinação
    os ôtro os mais velho mais cabiçudo
    voltaro pru qui era pru pó do chão
    adispois de cumê tudo
    cumêr' precata surrão
    cumêr' côro de rabudo
    cumêr' cururú rodão
    e as cacimbas do ri Gavião
    já deu mais de duas cova d'um cristão
    inté aquela a da cara fêa
    se veno só dexô a tyerra alêa
    foi nas pidrinha cova de serêa
    vê sua madrinha
    evêi de mão c'ua vea
    na catinga morreu tudo
    qui nem percisô caxão
    meu compadre João Barbudo
    num cumpriu obrigação
    vai prá mais de duas lua
    que meu pai mandô eu i no Nazaré
    buscá u'a quarta de farinha
    eu e o meu irmão Zé Bento
    vinha andano a pé
    mãe lua magrinha qui está no céu
    será qui cuano eu chegue
    in minha terra
    aína vô incontra o qui é meu
    será qui Deus do céu aqui na terra
    de nosso povo intonce se isqueceu
    na catinga morreu tudo
    qui nem percisô caxão
    meu compadre João Barbudo
    num cumpriu a obrigação

    Comente
    user 300 caracteres restantes. Enviar

    Todas as letras de Xangai

    Publicidade
    A Pergunta - Xangai - VAGALUME
    Play
    PLAY

    Tropeiro
    O Quilimero assunta meu irirmão
    iantes mêrmo que nóis dois saudemo
    eu te pregunto naquele refrão
    qui na fartura nóis sempre cantemo
    na cantiga tá chuveno?
    ribeirão estão incheno?
    na catinga tá chuveno?
    ribeirão estão incheno?
    me arresponda meu irirmão
    cuma o povo de lá tão.

    Quilimero
    Só a terra que você dexô
    quinda tá lá num ritirou-se não
    os povos as gente
    os bichos as coisa tudo
    uns ritirou-se in pirigrinação
    os ôtro os mais velho mais cabiçudo
    voltaro pru qui era pru pó do chão
    adispois de cumê tudo
    cumêr' precata surrão
    cumêr' côro de rabudo
    cumêr' cururú rodão
    e as cacimbas do ri Gavião
    já deu mais de duas cova d'um cristão
    inté aquela a da cara fêa
    se veno só dexô a tyerra alêa
    foi nas pidrinha cova de serêa
    vê sua madrinha
    evêi de mão c'ua vea
    na catinga morreu tudo
    qui nem percisô caxão
    meu compadre João Barbudo
    num cumpriu obrigação
    vai prá mais de duas lua
    que meu pai mandô eu i no Nazaré
    buscá u'a quarta de farinha
    eu e o meu irmão Zé Bento
    vinha andano a pé
    mãe lua magrinha qui está no céu
    será qui cuano eu chegue
    in minha terra
    aína vô incontra o qui é meu
    será qui Deus do céu aqui na terra
    de nosso povo intonce se isqueceu
    na catinga morreu tudo
    qui nem percisô caxão
    meu compadre João Barbudo
    num cumpriu a obrigação

    Comente
    user 300 caracteres restantes. Enviar

    Todas as letras de Xangai

    Publicidade
    A Pergunta - Xangai - VAGALUME
    Play
    PLAY

    Tropeiro
    O Quilimero assunta meu irirmão
    iantes mêrmo que nóis dois saudemo
    eu te pregunto naquele refrão
    qui na fartura nóis sempre cantemo
    na cantiga tá chuveno?
    ribeirão estão incheno?
    na catinga tá chuveno?
    ribeirão estão incheno?
    me arresponda meu irirmão
    cuma o povo de lá tão.

    Quilimero
    Só a terra que você dexô
    quinda tá lá num ritirou-se não
    os povos as gente
    os bichos as coisa tudo
    uns ritirou-se in pirigrinação
    os ôtro os mais velho mais cabiçudo
    voltaro pru qui era pru pó do chão
    adispois de cumê tudo
    cumêr' precata surrão
    cumêr' côro de rabudo
    cumêr' cururú rodão
    e as cacimbas do ri Gavião
    já deu mais de duas cova d'um cristão
    inté aquela a da cara fêa
    se veno só dexô a tyerra alêa
    foi nas pidrinha cova de serêa
    vê sua madrinha
    evêi de mão c'ua vea
    na catinga morreu tudo
    qui nem percisô caxão
    meu compadre João Barbudo
    num cumpriu obrigação
    vai prá mais de duas lua
    que meu pai mandô eu i no Nazaré
    buscá u'a quarta de farinha
    eu e o meu irmão Zé Bento
    vinha andano a pé
    mãe lua magrinha qui está no céu
    será qui cuano eu chegue
    in minha terra
    aína vô incontra o qui é meu
    será qui Deus do céu aqui na terra
    de nosso povo intonce se isqueceu
    na catinga morreu tudo
    qui nem percisô caxão
    meu compadre João Barbudo
    num cumpriu a obrigação

    Comente
    user 300 caracteres restantes. Enviar

    Todas as letras de Xangai

    Publicidade
    A Pergunta - Xangai - VAGALUME
    Play
    PLAY

    Tropeiro
    O Quilimero assunta meu irirmão
    iantes mêrmo que nóis dois saudemo
    eu te pregunto naquele refrão
    qui na fartura nóis sempre cantemo
    na cantiga tá chuveno?
    ribeirão estão incheno?
    na catinga tá chuveno?
    ribeirão estão incheno?
    me arresponda meu irirmão
    cuma o povo de lá tão.

    Quilimero
    Só a terra que você dexô
    quinda tá lá num ritirou-se não
    os povos as gente
    os bichos as coisa tudo
    uns ritirou-se in pirigrinação
    os ôtro os mais velho mais cabiçudo
    voltaro pru qui era pru pó do chão
    adispois de cumê tudo
    cumêr' precata surrão
    cumêr' côro de rabudo
    cumêr' cururú rodão
    e as cacimbas do ri Gavião
    já deu mais de duas cova d'um cristão
    inté aquela a da cara fêa
    se veno só dexô a tyerra alêa
    foi nas pidrinha cova de serêa
    vê sua madrinha
    evêi de mão c'ua vea
    na catinga morreu tudo
    qui nem percisô caxão
    meu compadre João Barbudo
    num cumpriu obrigação
    vai prá mais de duas lua
    que meu pai mandô eu i no Nazaré
    buscá u'a quarta de farinha
    eu e o meu irmão Zé Bento
    vinha andano a pé
    mãe lua magrinha qui está no céu
    será qui cuano eu chegue
    in minha terra
    aína vô incontra o qui é meu
    será qui Deus do céu aqui na terra
    de nosso povo intonce se isqueceu
    na catinga morreu tudo
    qui nem percisô caxão
    meu compadre João Barbudo
    num cumpriu a obrigação

    Comente
    user 300 caracteres restantes. Enviar

    Todas as letras de Xangai

    Publicidade
    A Pergunta - Xangai - VAGALUME
    Play
    PLAY

    Tropeiro
    O Quilimero assunta meu irirmão
    iantes mêrmo que nóis dois saudemo
    eu te pregunto naquele refrão
    qui na fartura nóis sempre cantemo
    na cantiga tá chuveno?
    ribeirão estão incheno?
    na catinga tá chuveno?
    ribeirão estão incheno?
    me arresponda meu irirmão
    cuma o povo de lá tão.

    Quilimero
    Só a terra que você dexô
    quinda tá lá num ritirou-se não
    os povos as gente
    os bichos as coisa tudo
    uns ritirou-se in pirigrinação
    os ôtro os mais velho mais cabiçudo
    voltaro pru qui era pru pó do chão
    adispois de cumê tudo
    cumêr' precata surrão
    cumêr' côro de rabudo
    cumêr' cururú rodão
    e as cacimbas do ri Gavião
    já deu mais de duas cova d'um cristão
    inté aquela a da cara fêa
    se veno só dexô a tyerra alêa
    foi nas pidrinha cova de serêa
    vê sua madrinha
    evêi de mão c'ua vea
    na catinga morreu tudo
    qui nem percisô caxão
    meu compadre João Barbudo
    num cumpriu obrigação
    vai prá mais de duas lua
    que meu pai mandô eu i no Nazaré
    buscá u'a quarta de farinha
    eu e o meu irmão Zé Bento
    vinha andano a pé
    mãe lua magrinha qui está no céu
    será qui cuano eu chegue
    in minha terra
    aína vô incontra o qui é meu
    será qui Deus do céu aqui na terra
    de nosso povo intonce se isqueceu
    na catinga morreu tudo
    qui nem percisô caxão
    meu compadre João Barbudo
    num cumpriu a obrigação

    Comente
    user 300 caracteres restantes. Enviar

    Todas as letras de Xangai

    Publicidade
    A Pergunta - Xangai - VAGALUME
    Play
    PLAY

    Tropeiro
    O Quilimero assunta meu irirmão
    iantes mêrmo que nóis dois saudemo
    eu te pregunto naquele refrão
    qui na fartura nóis sempre cantemo
    na cantiga tá chuveno?
    ribeirão estão incheno?
    na catinga tá chuveno?
    ribeirão estão incheno?
    me arresponda meu irirmão
    cuma o povo de lá tão.

    Quilimero
    Só a terra que você dexô
    quinda tá lá num ritirou-se não
    os povos as gente
    os bichos as coisa tudo
    uns ritirou-se in pirigrinação
    os ôtro os mais velho mais cabiçudo
    voltaro pru qui era pru pó do chão
    adispois de cumê tudo
    cumêr' precata surrão
    cumêr' côro de rabudo
    cumêr' cururú rodão
    e as cacimbas do ri Gavião
    já deu mais de duas cova d'um cristão
    inté aquela a da cara fêa
    se veno só dexô a tyerra alêa
    foi nas pidrinha cova de serêa
    vê sua madrinha
    evêi de mão c'ua vea
    na catinga morreu tudo
    qui nem percisô caxão
    meu compadre João Barbudo
    num cumpriu obrigação
    vai prá mais de duas lua
    que meu pai mandô eu i no Nazaré
    buscá u'a quarta de farinha
    eu e o meu irmão Zé Bento
    vinha andano a pé
    mãe lua magrinha qui está no céu
    será qui cuano eu chegue
    in minha terra
    aína vô incontra o qui é meu
    será qui Deus do céu aqui na terra
    de nosso povo intonce se isqueceu
    na catinga morreu tudo
    qui nem percisô caxão
    meu compadre João Barbudo
    num cumpriu a obrigação

    Comente
    user 300 caracteres restantes. Enviar

    Todas as letras de Xangai

    Publicidade
    A Pergunta - Xangai - VAGALUME
    Play
    PLAY

    Tropeiro
    O Quilimero assunta meu irirmão
    iantes mêrmo que nóis dois saudemo
    eu te pregunto naquele refrão
    qui na fartura nóis sempre cantemo
    na cantiga tá chuveno?
    ribeirão estão incheno?
    na catinga tá chuveno?
    ribeirão estão incheno?
    me arresponda meu irirmão
    cuma o povo de lá tão.

    Quilimero
    Só a terra que você dexô
    quinda tá lá num ritirou-se não
    os povos as gente
    os bichos as coisa tudo
    uns ritirou-se in pirigrinação
    os ôtro os mais velho mais cabiçudo
    voltaro pru qui era pru pó do chão
    adispois de cumê tudo
    cumêr' precata surrão
    cumêr' côro de rabudo
    cumêr' cururú rodão
    e as cacimbas do ri Gavião
    já deu mais de duas cova d'um cristão
    inté aquela a da cara fêa
    se veno só dexô a tyerra alêa
    foi nas pidrinha cova de serêa
    vê sua madrinha
    evêi de mão c'ua vea
    na catinga morreu tudo
    qui nem percisô caxão
    meu compadre João Barbudo
    num cumpriu obrigação
    vai prá mais de duas lua
    que meu pai mandô eu i no Nazaré
    buscá u'a quarta de farinha
    eu e o meu irmão Zé Bento
    vinha andano a pé
    mãe lua magrinha qui está no céu
    será qui cuano eu chegue
    in minha terra
    aína vô incontra o qui é meu
    será qui Deus do céu aqui na terra
    de nosso povo intonce se isqueceu
    na catinga morreu tudo
    qui nem percisô caxão
    meu compadre João Barbudo
    num cumpriu a obrigação

    Comente
    user 300 caracteres restantes. Enviar

    Todas as letras de Xangai

    Publicidade
    A Pergunta - Xangai - VAGALUME
    Play
    PLAY

    Tropeiro
    O Quilimero assunta meu irirmão
    iantes mêrmo que nóis dois saudemo
    eu te pregunto naquele refrão
    qui na fartura nóis sempre cantemo
    na cantiga tá chuveno?
    ribeirão estão incheno?
    na catinga tá chuveno?
    ribeirão estão incheno?
    me arresponda meu irirmão
    cuma o povo de lá tão.

    Quilimero
    Só a terra que você dexô
    quinda tá lá num ritirou-se não
    os povos as gente
    os bichos as coisa tudo
    uns ritirou-se in pirigrinação
    os ôtro os mais velho mais cabiçudo
    voltaro pru qui era pru pó do chão
    adispois de cumê tudo
    cumêr' precata surrão
    cumêr' côro de rabudo
    cumêr' cururú rodão
    e as cacimbas do ri Gavião
    já deu mais de duas cova d'um cristão
    inté aquela a da cara fêa
    se veno só dexô a tyerra alêa
    foi nas pidrinha cova de serêa
    vê sua madrinha
    evêi de mão c'ua vea
    na catinga morreu tudo
    qui nem percisô caxão
    meu compadre João Barbudo
    num cumpriu obrigação
    vai prá mais de duas lua
    que meu pai mandô eu i no Nazaré
    buscá u'a quarta de farinha
    eu e o meu irmão Zé Bento
    vinha andano a pé
    mãe lua magrinha qui está no céu
    será qui cuano eu chegue
    in minha terra
    aína vô incontra o qui é meu
    será qui Deus do céu aqui na terra
    de nosso povo intonce se isqueceu
    na catinga morreu tudo
    qui nem percisô caxão
    meu compadre João Barbudo
    num cumpriu a obrigação

    Comente
    user 300 caracteres restantes. Enviar

    Todas as letras de Xangai

    Publicidade
    A Pergunta - Xangai - VAGALUME
    Play
    PLAY

    Tropeiro
    O Quilimero assunta meu irirmão
    iantes mêrmo que nóis dois saudemo
    eu te pregunto naquele refrão
    qui na fartura nóis sempre cantemo
    na cantiga tá chuveno?
    ribeirão estão incheno?
    na catinga tá chuveno?
    ribeirão estão incheno?
    me arresponda meu irirmão
    cuma o povo de lá tão.

    Quilimero
    Só a terra que você dexô
    quinda tá lá num ritirou-se não
    os povos as gente
    os bichos as coisa tudo
    uns ritirou-se in pirigrinação
    os ôtro os mais velho mais cabiçudo
    voltaro pru qui era pru pó do chão
    adispois de cumê tudo
    cumêr' precata surrão
    cumêr' côro de rabudo
    cumêr' cururú rodão
    e as cacimbas do ri Gavião
    já deu mais de duas cova d'um cristão
    inté aquela a da cara fêa
    se veno só dexô a tyerra alêa
    foi nas pidrinha cova de serêa
    vê sua madrinha
    evêi de mão c'ua vea
    na catinga morreu tudo
    qui nem percisô caxão
    meu compadre João Barbudo
    num cumpriu obrigação
    vai prá mais de duas lua
    que meu pai mandô eu i no Nazaré
    buscá u'a quarta de farinha
    eu e o meu irmão Zé Bento
    vinha andano a pé
    mãe lua magrinha qui está no céu
    será qui cuano eu chegue
    in minha terra
    aína vô incontra o qui é meu
    será qui Deus do céu aqui na terra
    de nosso povo intonce se isqueceu
    na catinga morreu tudo
    qui nem percisô caxão
    meu compadre João Barbudo
    num cumpriu a obrigação

    Comente
    user 300 caracteres restantes. Enviar

    Todas as letras de Xangai

    Publicidade
    A Pergunta - Xangai - VAGALUME
    Play
    PLAY

    Tropeiro
    O Quilimero assunta meu irirmão
    iantes mêrmo que nóis dois saudemo
    eu te pregunto naquele refrão
    qui na fartura nóis sempre cantemo
    na cantiga tá chuveno?
    ribeirão estão incheno?
    na catinga tá chuveno?
    ribeirão estão incheno?
    me arresponda meu irirmão
    cuma o povo de lá tão.

    Quilimero
    Só a terra que você dexô
    quinda tá lá num ritirou-se não
    os povos as gente
    os bichos as coisa tudo
    uns ritirou-se in pirigrinação
    os ôtro os mais velho mais cabiçudo
    voltaro pru qui era pru pó do chão
    adispois de cumê tudo
    cumêr' precata surrão
    cumêr' côro de rabudo
    cumêr' cururú rodão
    e as cacimbas do ri Gavião
    já deu mais de duas cova d'um cristão
    inté aquela a da cara fêa
    se veno só dexô a tyerra alêa
    foi nas pidrinha cova de serêa
    vê sua madrinha
    evêi de mão c'ua vea
    na catinga morreu tudo
    qui nem percisô caxão
    meu compadre João Barbudo
    num cumpriu obrigação
    vai prá mais de duas lua
    que meu pai mandô eu i no Nazaré
    buscá u'a quarta de farinha
    eu e o meu irmão Zé Bento
    vinha andano a pé
    mãe lua magrinha qui está no céu
    será qui cuano eu chegue
    in minha terra
    aína vô incontra o qui é meu
    será qui Deus do céu aqui na terra
    de nosso povo intonce se isqueceu
    na catinga morreu tudo
    qui nem percisô caxão
    meu compadre João Barbudo
    num cumpriu a obrigação

    Comente
    user 300 caracteres restantes. Enviar

    Todas as letras de Xangai

    Publicidade
    A Pergunta - Xangai - VAGALUME
    Play
    PLAY

    Tropeiro
    O Quilimero assunta meu irirmão
    iantes mêrmo que nóis dois saudemo
    eu te pregunto naquele refrão
    qui na fartura nóis sempre cantemo
    na cantiga tá chuveno?
    ribeirão estão incheno?
    na catinga tá chuveno?
    ribeirão estão incheno?
    me arresponda meu irirmão
    cuma o povo de lá tão.

    Quilimero
    Só a terra que você dexô
    quinda tá lá num ritirou-se não
    os povos as gente
    os bichos as coisa tudo
    uns ritirou-se in pirigrinação
    os ôtro os mais velho mais cabiçudo
    voltaro pru qui era pru pó do chão
    adispois de cumê tudo
    cumêr' precata surrão
    cumêr' côro de rabudo
    cumêr' cururú rodão
    e as cacimbas do ri Gavião
    já deu mais de duas cova d'um cristão
    inté aquela a da cara fêa
    se veno só dexô a tyerra alêa
    foi nas pidrinha cova de serêa
    vê sua madrinha
    evêi de mão c'ua vea
    na catinga morreu tudo
    qui nem percisô caxão
    meu compadre João Barbudo
    num cumpriu obrigação
    vai prá mais de duas lua
    que meu pai mandô eu i no Nazaré
    buscá u'a quarta de farinha
    eu e o meu irmão Zé Bento
    vinha andano a pé
    mãe lua magrinha qui está no céu
    será qui cuano eu chegue
    in minha terra
    aína vô incontra o qui é meu
    será qui Deus do céu aqui na terra
    de nosso povo intonce se isqueceu
    na catinga morreu tudo
    qui nem percisô caxão
    meu compadre João Barbudo
    num cumpriu a obrigação

    Comente
    user 300 caracteres restantes. Enviar

    Todas as letras de Xangai

    Publicidade
    A Pergunta - Xangai - VAGALUME
    Play
    PLAY

    Tropeiro
    O Quilimero assunta meu irirmão
    iantes mêrmo que nóis dois saudemo
    eu te pregunto naquele refrão
    qui na fartura nóis sempre cantemo
    na cantiga tá chuveno?
    ribeirão estão incheno?
    na catinga tá chuveno?
    ribeirão estão incheno?
    me arresponda meu irirmão
    cuma o povo de lá tão.

    Quilimero
    Só a terra que você dexô
    quinda tá lá num ritirou-se não
    os povos as gente
    os bichos as coisa tudo
    uns ritirou-se in pirigrinação
    os ôtro os mais velho mais cabiçudo
    voltaro pru qui era pru pó do chão
    adispois de cumê tudo
    cumêr' precata surrão
    cumêr' côro de rabudo
    cumêr' cururú rodão
    e as cacimbas do ri Gavião
    já deu mais de duas cova d'um cristão
    inté aquela a da cara fêa
    se veno só dexô a tyerra alêa
    foi nas pidrinha cova de serêa
    vê sua madrinha
    evêi de mão c'ua vea
    na catinga morreu tudo
    qui nem percisô caxão
    meu compadre João Barbudo
    num cumpriu obrigação
    vai prá mais de duas lua
    que meu pai mandô eu i no Nazaré
    buscá u'a quarta de farinha
    eu e o meu irmão Zé Bento
    vinha andano a pé
    mãe lua magrinha qui está no céu
    será qui cuano eu chegue
    in minha terra
    aína vô incontra o qui é meu
    será qui Deus do céu aqui na terra
    de nosso povo intonce se isqueceu
    na catinga morreu tudo
    qui nem percisô caxão
    meu compadre João Barbudo
    num cumpriu a obrigação

    Comente
    user 300 caracteres restantes. Enviar

    Todas as letras de Xangai

    Publicidade
    A Pergunta - Xangai - VAGALUME
    Play
    PLAY

    Tropeiro
    O Quilimero assunta meu irirmão
    iantes mêrmo que nóis dois saudemo
    eu te pregunto naquele refrão
    qui na fartura nóis sempre cantemo
    na cantiga tá chuveno?
    ribeirão estão incheno?
    na catinga tá chuveno?
    ribeirão estão incheno?
    me arresponda meu irirmão
    cuma o povo de lá tão.

    Quilimero
    Só a terra que você dexô
    quinda tá lá num ritirou-se não
    os povos as gente
    os bichos as coisa tudo
    uns ritirou-se in pirigrinação
    os ôtro os mais velho mais cabiçudo
    voltaro pru qui era pru pó do chão
    adispois de cumê tudo
    cumêr' precata surrão
    cumêr' côro de rabudo
    cumêr' cururú rodão
    e as cacimbas do ri Gavião
    já deu mais de duas cova d'um cristão
    inté aquela a da cara fêa
    se veno só dexô a tyerra alêa
    foi nas pidrinha cova de serêa
    vê sua madrinha
    evêi de mão c'ua vea
    na catinga morreu tudo
    qui nem percisô caxão
    meu compadre João Barbudo
    num cumpriu obrigação
    vai prá mais de duas lua
    que meu pai mandô eu i no Nazaré
    buscá u'a quarta de farinha
    eu e o meu irmão Zé Bento
    vinha andano a pé
    mãe lua magrinha qui está no céu
    será qui cuano eu chegue
    in minha terra
    aína vô incontra o qui é meu
    será qui Deus do céu aqui na terra
    de nosso povo intonce se isqueceu
    na catinga morreu tudo
    qui nem percisô caxão
    meu compadre João Barbudo
    num cumpriu a obrigação

    Comente
    user 300 caracteres restantes. Enviar

    Todas as letras de Xangai

    Publicidade
    A Pergunta - Xangai - VAGALUME
    Play
    PLAY

    Tropeiro
    O Quilimero assunta meu irirmão
    iantes mêrmo que nóis dois saudemo
    eu te pregunto naquele refrão
    qui na fartura nóis sempre cantemo
    na cantiga tá chuveno?
    ribeirão estão incheno?
    na catinga tá chuveno?
    ribeirão estão incheno?
    me arresponda meu irirmão
    cuma o povo de lá tão.

    Quilimero
    Só a terra que você dexô
    quinda tá lá num ritirou-se não
    os povos as gente
    os bichos as coisa tudo
    uns ritirou-se in pirigrinação
    os ôtro os mais velho mais cabiçudo
    voltaro pru qui era pru pó do chão
    adispois de cumê tudo
    cumêr' precata surrão
    cumêr' côro de rabudo
    cumêr' cururú rodão
    e as cacimbas do ri Gavião
    já deu mais de duas cova d'um cristão
    inté aquela a da cara fêa
    se veno só dexô a tyerra alêa
    foi nas pidrinha cova de serêa
    vê sua madrinha
    evêi de mão c'ua vea
    na catinga morreu tudo
    qui nem percisô caxão
    meu compadre João Barbudo
    num cumpriu obrigação
    vai prá mais de duas lua
    que meu pai mandô eu i no Nazaré
    buscá u'a quarta de farinha
    eu e o meu irmão Zé Bento
    vinha andano a pé
    mãe lua magrinha qui está no céu
    será qui cuano eu chegue
    in minha terra
    aína vô incontra o qui é meu
    será qui Deus do céu aqui na terra
    de nosso povo intonce se isqueceu
    na catinga morreu tudo
    qui nem percisô caxão
    meu compadre João Barbudo
    num cumpriu a obrigação

    Comente
    user 300 caracteres restantes. Enviar

    Todas as letras de Xangai

    Publicidade
    A Pergunta - Xangai - VAGALUME
    Play
    PLAY

    Tropeiro
    O Quilimero assunta meu irirmão
    iantes mêrmo que nóis dois saudemo
    eu te pregunto naquele refrão
    qui na fartura nóis sempre cantemo
    na cantiga tá chuveno?
    ribeirão estão incheno?
    na catinga tá chuveno?
    ribeirão estão incheno?
    me arresponda meu irirmão
    cuma o povo de lá tão.

    Quilimero
    Só a terra que você dexô
    quinda tá lá num ritirou-se não
    os povos as gente
    os bichos as coisa tudo
    uns ritirou-se in pirigrinação
    os ôtro os mais velho mais cabiçudo
    voltaro pru qui era pru pó do chão
    adispois de cumê tudo
    cumêr' precata surrão
    cumêr' côro de rabudo
    cumêr' cururú rodão
    e as cacimbas do ri Gavião
    já deu mais de duas cova d'um cristão
    inté aquela a da cara fêa
    se veno só dexô a tyerra alêa
    foi nas pidrinha cova de serêa
    vê sua madrinha
    evêi de mão c'ua vea
    na catinga morreu tudo
    qui nem percisô caxão
    meu compadre João Barbudo
    num cumpriu obrigação
    vai prá mais de duas lua
    que meu pai mandô eu i no Nazaré
    buscá u'a quarta de farinha
    eu e o meu irmão Zé Bento
    vinha andano a pé
    mãe lua magrinha qui está no céu
    será qui cuano eu chegue
    in minha terra
    aína vô incontra o qui é meu
    será qui Deus do céu aqui na terra
    de nosso povo intonce se isqueceu
    na catinga morreu tudo
    qui nem percisô caxão
    meu compadre João Barbudo
    num cumpriu a obrigação

    Comente
    user 300 caracteres restantes. Enviar

    Todas as letras de Xangai

    Publicidade
    A Pergunta - Xangai - VAGALUME
    Play
    PLAY

    Tropeiro
    O Quilimero assunta meu irirmão
    iantes mêrmo que nóis dois saudemo
    eu te pregunto naquele refrão
    qui na fartura nóis sempre cantemo
    na cantiga tá chuveno?
    ribeirão estão incheno?
    na catinga tá chuveno?
    ribeirão estão incheno?
    me arresponda meu irirmão
    cuma o povo de lá tão.

    Quilimero
    Só a terra que você dexô
    quinda tá lá num ritirou-se não
    os povos as gente
    os bichos as coisa tudo
    uns ritirou-se in pirigrinação
    os ôtro os mais velho mais cabiçudo
    voltaro pru qui era pru pó do chão
    adispois de cumê tudo
    cumêr' precata surrão
    cumêr' côro de rabudo
    cumêr' cururú rodão
    e as cacimbas do ri Gavião
    já deu mais de duas cova d'um cristão
    inté aquela a da cara fêa
    se veno só dexô a tyerra alêa
    foi nas pidrinha cova de serêa
    vê sua madrinha
    evêi de mão c'ua vea
    na catinga morreu tudo
    qui nem percisô caxão
    meu compadre João Barbudo
    num cumpriu obrigação
    vai prá mais de duas lua
    que meu pai mandô eu i no Nazaré
    buscá u'a quarta de farinha
    eu e o meu irmão Zé Bento
    vinha andano a pé
    mãe lua magrinha qui está no céu
    será qui cuano eu chegue
    in minha terra
    aína vô incontra o qui é meu
    será qui Deus do céu aqui na terra
    de nosso povo intonce se isqueceu
    na catinga morreu tudo
    qui nem percisô caxão
    meu compadre João Barbudo
    num cumpriu a obrigação

    Comente
    user 300 caracteres restantes. Enviar

    Todas as letras de Xangai

    Publicidade
    A Pergunta - Xangai - VAGALUME
    Play
    PLAY

    Tropeiro
    O Quilimero assunta meu irirmão
    iantes mêrmo que nóis dois saudemo
    eu te pregunto naquele refrão
    qui na fartura nóis sempre cantemo
    na cantiga tá chuveno?
    ribeirão estão incheno?
    na catinga tá chuveno?
    ribeirão estão incheno?
    me arresponda meu irirmão
    cuma o povo de lá tão.

    Quilimero
    Só a terra que você dexô
    quinda tá lá num ritirou-se não
    os povos as gente
    os bichos as coisa tudo
    uns ritirou-se in pirigrinação
    os ôtro os mais velho mais cabiçudo
    voltaro pru qui era pru pó do chão
    adispois de cumê tudo
    cumêr' precata surrão
    cumêr' côro de rabudo
    cumêr' cururú rodão
    e as cacimbas do ri Gavião
    já deu mais de duas cova d'um cristão
    inté aquela a da cara fêa
    se veno só dexô a tyerra alêa
    foi nas pidrinha cova de serêa
    vê sua madrinha
    evêi de mão c'ua vea
    na catinga morreu tudo
    qui nem percisô caxão
    meu compadre João Barbudo
    num cumpriu obrigação
    vai prá mais de duas lua
    que meu pai mandô eu i no Nazaré
    buscá u'a quarta de farinha
    eu e o meu irmão Zé Bento
    vinha andano a pé
    mãe lua magrinha qui está no céu
    será qui cuano eu chegue
    in minha terra
    aína vô incontra o qui é meu
    será qui Deus do céu aqui na terra
    de nosso povo intonce se isqueceu
    na catinga morreu tudo
    qui nem percisô caxão
    meu compadre João Barbudo
    num cumpriu a obrigação

    Comente
    user 300 caracteres restantes. Enviar

    Todas as letras de Xangai

    Publicidade
    A Pergunta - Xangai - VAGALUME
    Play
    PLAY

    Tropeiro
    O Quilimero assunta meu irirmão
    iantes mêrmo que nóis dois saudemo
    eu te pregunto naquele refrão
    qui na fartura nóis sempre cantemo
    na cantiga tá chuveno?
    ribeirão estão incheno?
    na catinga tá chuveno?
    ribeirão estão incheno?
    me arresponda meu irirmão
    cuma o povo de lá tão.

    Quilimero
    Só a terra que você dexô
    quinda tá lá num ritirou-se não
    os povos as gente
    os bichos as coisa tudo
    uns ritirou-se in pirigrinação
    os ôtro os mais velho mais cabiçudo
    voltaro pru qui era pru pó do chão
    adispois de cumê tudo
    cumêr' precata surrão
    cumêr' côro de rabudo
    cumêr' cururú rodão
    e as cacimbas do ri Gavião
    já deu mais de duas cova d'um cristão
    inté aquela a da cara fêa
    se veno só dexô a tyerra alêa
    foi nas pidrinha cova de serêa
    vê sua madrinha
    evêi de mão c'ua vea
    na catinga morreu tudo
    qui nem percisô caxão
    meu compadre João Barbudo
    num cumpriu obrigação
    vai prá mais de duas lua
    que meu pai mandô eu i no Nazaré
    buscá u'a quarta de farinha
    eu e o meu irmão Zé Bento
    vinha andano a pé
    mãe lua magrinha qui está no céu
    será qui cuano eu chegue
    in minha terra
    aína vô incontra o qui é meu
    será qui Deus do céu aqui na terra
    de nosso povo intonce se isqueceu
    na catinga morreu tudo
    qui nem percisô caxão
    meu compadre João Barbudo
    num cumpriu a obrigação

    Comente
    user 300 caracteres restantes. Enviar

    Todas as letras de Xangai

    Publicidade
    A Pergunta - Xangai - VAGALUME
    Play
    PLAY

    Tropeiro
    O Quilimero assunta meu irirmão
    iantes mêrmo que nóis dois saudemo
    eu te pregunto naquele refrão
    qui na fartura nóis sempre cantemo
    na cantiga tá chuveno?
    ribeirão estão incheno?
    na catinga tá chuveno?
    ribeirão estão incheno?
    me arresponda meu irirmão
    cuma o povo de lá tão.

    Quilimero
    Só a terra que você dexô
    quinda tá lá num ritirou-se não
    os povos as gente
    os bichos as coisa tudo
    uns ritirou-se in pirigrinação
    os ôtro os mais velho mais cabiçudo
    voltaro pru qui era pru pó do chão
    adispois de cumê tudo
    cumêr' precata surrão
    cumêr' côro de rabudo
    cumêr' cururú rodão
    e as cacimbas do ri Gavião
    já deu mais de duas cova d'um cristão
    inté aquela a da cara fêa
    se veno só dexô a tyerra alêa
    foi nas pidrinha cova de serêa
    vê sua madrinha
    evêi de mão c'ua vea
    na catinga morreu tudo
    qui nem percisô caxão
    meu compadre João Barbudo
    num cumpriu obrigação
    vai prá mais de duas lua
    que meu pai mandô eu i no Nazaré
    buscá u'a quarta de farinha
    eu e o meu irmão Zé Bento
    vinha andano a pé
    mãe lua magrinha qui está no céu
    será qui cuano eu chegue
    in minha terra
    aína vô incontra o qui é meu
    será qui Deus do céu aqui na terra
    de nosso povo intonce se isqueceu
    na catinga morreu tudo
    qui nem percisô caxão
    meu compadre João Barbudo
    num cumpriu a obrigação

    Comente
    user 300 caracteres restantes. Enviar

    Todas as letras de Xangai

    Publicidade
    A Pergunta - Xangai - VAGALUME
    Play
    PLAY

    Tropeiro
    O Quilimero assunta meu irirmão
    iantes mêrmo que nóis dois saudemo
    eu te pregunto naquele refrão
    qui na fartura nóis sempre cantemo
    na cantiga tá chuveno?
    ribeirão estão incheno?
    na catinga tá chuveno?
    ribeirão estão incheno?
    me arresponda meu irirmão
    cuma o povo de lá tão.

    Quilimero
    Só a terra que você dexô
    quinda tá lá num ritirou-se não
    os povos as gente
    os bichos as coisa tudo
    uns ritirou-se in pirigrinação
    os ôtro os mais velho mais cabiçudo
    voltaro pru qui era pru pó do chão
    adispois de cumê tudo
    cumêr' precata surrão
    cumêr' côro de rabudo
    cumêr' cururú rodão
    e as cacimbas do ri Gavião
    já deu mais de duas cova d'um cristão
    inté aquela a da cara fêa
    se veno só dexô a tyerra alêa
    foi nas pidrinha cova de serêa
    vê sua madrinha
    evêi de mão c'ua vea
    na catinga morreu tudo
    qui nem percisô caxão
    meu compadre João Barbudo
    num cumpriu obrigação
    vai prá mais de duas lua
    que meu pai mandô eu i no Nazaré
    buscá u'a quarta de farinha
    eu e o meu irmão Zé Bento
    vinha andano a pé
    mãe lua magrinha qui está no céu
    será qui cuano eu chegue
    in minha terra
    aína vô incontra o qui é meu
    será qui Deus do céu aqui na terra
    de nosso povo intonce se isqueceu
    na catinga morreu tudo
    qui nem percisô caxão
    meu compadre João Barbudo
    num cumpriu a obrigação

    Comente
    user 300 caracteres restantes. Enviar

    Todas as letras de Xangai

    Publicidade
    A Pergunta - Xangai - VAGALUME
    Play
    PLAY

    Tropeiro
    O Quilimero assunta meu irirmão
    iantes mêrmo que nóis dois saudemo
    eu te pregunto naquele refrão
    qui na fartura nóis sempre cantemo
    na cantiga tá chuveno?
    ribeirão estão incheno?
    na catinga tá chuveno?
    ribeirão estão incheno?
    me arresponda meu irirmão
    cuma o povo de lá tão.

    Quilimero
    Só a terra que você dexô
    quinda tá lá num ritirou-se não
    os povos as gente
    os bichos as coisa tudo
    uns ritirou-se in pirigrinação
    os ôtro os mais velho mais cabiçudo
    voltaro pru qui era pru pó do chão
    adispois de cumê tudo
    cumêr' precata surrão
    cumêr' côro de rabudo
    cumêr' cururú rodão
    e as cacimbas do ri Gavião
    já deu mais de duas cova d'um cristão
    inté aquela a da cara fêa
    se veno só dexô a tyerra alêa
    foi nas pidrinha cova de serêa
    vê sua madrinha
    evêi de mão c'ua vea
    na catinga morreu tudo
    qui nem percisô caxão
    meu compadre João Barbudo
    num cumpriu obrigação
    vai prá mais de duas lua
    que meu pai mandô eu i no Nazaré
    buscá u'a quarta de farinha
    eu e o meu irmão Zé Bento
    vinha andano a pé
    mãe lua magrinha qui está no céu
    será qui cuano eu chegue
    in minha terra
    aína vô incontra o qui é meu
    será qui Deus do céu aqui na terra
    de nosso povo intonce se isqueceu
    na catinga morreu tudo
    qui nem percisô caxão
    meu compadre João Barbudo
    num cumpriu a obrigação

    Comente
    user 300 caracteres restantes. Enviar

    Todas as letras de Xangai

    Publicidade
    A Pergunta - Xangai - VAGALUME
    Play
    PLAY

    Tropeiro
    O Quilimero assunta meu irirmão
    iantes mêrmo que nóis dois saudemo
    eu te pregunto naquele refrão
    qui na fartura nóis sempre cantemo
    na cantiga tá chuveno?
    ribeirão estão incheno?
    na catinga tá chuveno?
    ribeirão estão incheno?
    me arresponda meu irirmão
    cuma o povo de lá tão.

    Quilimero
    Só a terra que você dexô
    quinda tá lá num ritirou-se não
    os povos as gente
    os bichos as coisa tudo
    uns ritirou-se in pirigrinação
    os ôtro os mais velho mais cabiçudo
    voltaro pru qui era pru pó do chão
    adispois de cumê tudo
    cumêr' precata surrão
    cumêr' côro de rabudo
    cumêr' cururú rodão
    e as cacimbas do ri Gavião
    já deu mais de duas cova d'um cristão
    inté aquela a da cara fêa
    se veno só dexô a tyerra alêa
    foi nas pidrinha cova de serêa
    vê sua madrinha
    evêi de mão c'ua vea
    na catinga morreu tudo
    qui nem percisô caxão
    meu compadre João Barbudo
    num cumpriu obrigação
    vai prá mais de duas lua
    que meu pai mandô eu i no Nazaré
    buscá u'a quarta de farinha
    eu e o meu irmão Zé Bento
    vinha andano a pé
    mãe lua magrinha qui está no céu
    será qui cuano eu chegue
    in minha terra
    aína vô incontra o qui é meu
    será qui Deus do céu aqui na terra
    de nosso povo intonce se isqueceu
    na catinga morreu tudo
    qui nem percisô caxão
    meu compadre João Barbudo
    num cumpriu a obrigação

    Comente
    user 300 caracteres restantes. Enviar

    Todas as letras de Xangai

    Publicidade
    A Pergunta - Xangai - VAGALUME
    Play
    PLAY

    Tropeiro
    O Quilimero assunta meu irirmão
    iantes mêrmo que nóis dois saudemo
    eu te pregunto naquele refrão
    qui na fartura nóis sempre cantemo
    na cantiga tá chuveno?
    ribeirão estão incheno?
    na catinga tá chuveno?
    ribeirão estão incheno?
    me arresponda meu irirmão
    cuma o povo de lá tão.

    Quilimero
    Só a terra que você dexô
    quinda tá lá num ritirou-se não
    os povos as gente
    os bichos as coisa tudo
    uns ritirou-se in pirigrinação
    os ôtro os mais velho mais cabiçudo
    voltaro pru qui era pru pó do chão
    adispois de cumê tudo
    cumêr' precata surrão
    cumêr' côro de rabudo
    cumêr' cururú rodão
    e as cacimbas do ri Gavião
    já deu mais de duas cova d'um cristão
    inté aquela a da cara fêa
    se veno só dexô a tyerra alêa
    foi nas pidrinha cova de serêa
    vê sua madrinha
    evêi de mão c'ua vea
    na catinga morreu tudo
    qui nem percisô caxão
    meu compadre João Barbudo
    num cumpriu obrigação
    vai prá mais de duas lua
    que meu pai mandô eu i no Nazaré
    buscá u'a quarta de farinha
    eu e o meu irmão Zé Bento
    vinha andano a pé
    mãe lua magrinha qui está no céu
    será qui cuano eu chegue
    in minha terra
    aína vô incontra o qui é meu
    será qui Deus do céu aqui na terra
    de nosso povo intonce se isqueceu
    na catinga morreu tudo
    qui nem percisô caxão
    meu compadre João Barbudo
    num cumpriu a obrigação

    Comente
    user 300 caracteres restantes. Enviar

    Todas as letras de Xangai

    Publicidade
    A Pergunta - Xangai - VAGALUME
    Play
    PLAY

    Tropeiro
    O Quilimero assunta meu irirmão
    iantes mêrmo que nóis dois saudemo
    eu te pregunto naquele refrão
    qui na fartura nóis sempre cantemo
    na cantiga tá chuveno?
    ribeirão estão incheno?
    na catinga tá chuveno?
    ribeirão estão incheno?
    me arresponda meu irirmão
    cuma o povo de lá tão.

    Quilimero
    Só a terra que você dexô
    quinda tá lá num ritirou-se não
    os povos as gente
    os bichos as coisa tudo
    uns ritirou-se in pirigrinação
    os ôtro os mais velho mais cabiçudo
    voltaro pru qui era pru pó do chão
    adispois de cumê tudo
    cumêr' precata surrão
    cumêr' côro de rabudo
    cumêr' cururú rodão
    e as cacimbas do ri Gavião
    já deu mais de duas cova d'um cristão
    inté aquela a da cara fêa
    se veno só dexô a tyerra alêa
    foi nas pidrinha cova de serêa
    vê sua madrinha
    evêi de mão c'ua vea
    na catinga morreu tudo
    qui nem percisô caxão
    meu compadre João Barbudo
    num cumpriu obrigação
    vai prá mais de duas lua
    que meu pai mandô eu i no Nazaré
    buscá u'a quarta de farinha
    eu e o meu irmão Zé Bento
    vinha andano a pé
    mãe lua magrinha qui está no céu
    será qui cuano eu chegue
    in minha terra
    aína vô incontra o qui é meu
    será qui Deus do céu aqui na terra
    de nosso povo intonce se isqueceu
    na catinga morreu tudo
    qui nem percisô caxão
    meu compadre João Barbudo
    num cumpriu a obrigação

    Comente
    user 300 caracteres restantes. Enviar

    Todas as letras de Xangai

    Publicidade
    A Pergunta - Xangai - VAGALUME
    Play
    PLAY

    Tropeiro
    O Quilimero assunta meu irirmão
    iantes mêrmo que nóis dois saudemo
    eu te pregunto naquele refrão
    qui na fartura nóis sempre cantemo
    na cantiga tá chuveno?
    ribeirão estão incheno?
    na catinga tá chuveno?
    ribeirão estão incheno?
    me arresponda meu irirmão
    cuma o povo de lá tão.

    Quilimero
    Só a terra que você dexô
    quinda tá lá num ritirou-se não
    os povos as gente
    os bichos as coisa tudo
    uns ritirou-se in pirigrinação
    os ôtro os mais velho mais cabiçudo
    voltaro pru qui era pru pó do chão
    adispois de cumê tudo
    cumêr' precata surrão
    cumêr' côro de rabudo
    cumêr' cururú rodão
    e as cacimbas do ri Gavião
    já deu mais de duas cova d'um cristão
    inté aquela a da cara fêa
    se veno só dexô a tyerra alêa
    foi nas pidrinha cova de serêa
    vê sua madrinha
    evêi de mão c'ua vea
    na catinga morreu tudo
    qui nem percisô caxão
    meu compadre João Barbudo
    num cumpriu obrigação
    vai prá mais de duas lua
    que meu pai mandô eu i no Nazaré
    buscá u'a quarta de farinha
    eu e o meu irmão Zé Bento
    vinha andano a pé
    mãe lua magrinha qui está no céu
    será qui cuano eu chegue
    in minha terra
    aína vô incontra o qui é meu
    será qui Deus do céu aqui na terra
    de nosso povo intonce se isqueceu
    na catinga morreu tudo
    qui nem percisô caxão
    meu compadre João Barbudo
    num cumpriu a obrigação

    Comente
    user 300 caracteres restantes. Enviar

    Todas as letras de Xangai

    Publicidade
    A Pergunta - Xangai - VAGALUME
    Play
    PLAY

    Tropeiro
    O Quilimero assunta meu irirmão
    iantes mêrmo que nóis dois saudemo
    eu te pregunto naquele refrão
    qui na fartura nóis sempre cantemo
    na cantiga tá chuveno?
    ribeirão estão incheno?
    na catinga tá chuveno?
    ribeirão estão incheno?
    me arresponda meu irirmão
    cuma o povo de lá tão.

    Quilimero
    Só a terra que você dexô
    quinda tá lá num ritirou-se não
    os povos as gente
    os bichos as coisa tudo
    uns ritirou-se in pirigrinação
    os ôtro os mais velho mais cabiçudo
    voltaro pru qui era pru pó do chão
    adispois de cumê tudo
    cumêr' precata surrão
    cumêr' côro de rabudo
    cumêr' cururú rodão
    e as cacimbas do ri Gavião
    já deu mais de duas cova d'um cristão
    inté aquela a da cara fêa
    se veno só dexô a tyerra alêa
    foi nas pidrinha cova de serêa
    vê sua madrinha
    evêi de mão c'ua vea
    na catinga morreu tudo
    qui nem percisô caxão
    meu compadre João Barbudo
    num cumpriu obrigação
    vai prá mais de duas lua
    que meu pai mandô eu i no Nazaré
    buscá u'a quarta de farinha
    eu e o meu irmão Zé Bento
    vinha andano a pé
    mãe lua magrinha qui está no céu
    será qui cuano eu chegue
    in minha terra
    aína vô incontra o qui é meu
    será qui Deus do céu aqui na terra
    de nosso povo intonce se isqueceu
    na catinga morreu tudo
    qui nem percisô caxão
    meu compadre João Barbudo
    num cumpriu a obrigação

    Comente
    user 300 caracteres restantes. Enviar

    Todas as letras de Xangai

    Publicidade
    A Pergunta - Xangai - VAGALUME
    Play
    PLAY

    Tropeiro
    O Quilimero assunta meu irirmão
    iantes mêrmo que nóis dois saudemo
    eu te pregunto naquele refrão
    qui na fartura nóis sempre cantemo
    na cantiga tá chuveno?
    ribeirão estão incheno?
    na catinga tá chuveno?
    ribeirão estão incheno?
    me arresponda meu irirmão
    cuma o povo de lá tão.

    Quilimero
    Só a terra que você dexô
    quinda tá lá num ritirou-se não
    os povos as gente
    os bichos as coisa tudo
    uns ritirou-se in pirigrinação
    os ôtro os mais velho mais cabiçudo
    voltaro pru qui era pru pó do chão
    adispois de cumê tudo
    cumêr' precata surrão
    cumêr' côro de rabudo
    cumêr' cururú rodão
    e as cacimbas do ri Gavião
    já deu mais de duas cova d'um cristão
    inté aquela a da cara fêa
    se veno só dexô a tyerra alêa
    foi nas pidrinha cova de serêa
    vê sua madrinha
    evêi de mão c'ua vea
    na catinga morreu tudo
    qui nem percisô caxão
    meu compadre João Barbudo
    num cumpriu obrigação
    vai prá mais de duas lua
    que meu pai mandô eu i no Nazaré
    buscá u'a quarta de farinha
    eu e o meu irmão Zé Bento
    vinha andano a pé
    mãe lua magrinha qui está no céu
    será qui cuano eu chegue
    in minha terra
    aína vô incontra o qui é meu
    será qui Deus do céu aqui na terra
    de nosso povo intonce se isqueceu
    na catinga morreu tudo
    qui nem percisô caxão
    meu compadre João Barbudo
    num cumpriu a obrigação

    Comente
    user 300 caracteres restantes. Enviar

    Todas as letras de Xangai

    Publicidade
    A Pergunta - Xangai - VAGALUME
    Play
    PLAY

    Tropeiro
    O Quilimero assunta meu irirmão
    iantes mêrmo que nóis dois saudemo
    eu te pregunto naquele refrão
    qui na fartura nóis sempre cantemo
    na cantiga tá chuveno?
    ribeirão estão incheno?
    na catinga tá chuveno?
    ribeirão estão incheno?
    me arresponda meu irirmão
    cuma o povo de lá tão.

    Quilimero
    Só a terra que você dexô
    quinda tá lá num ritirou-se não
    os povos as gente
    os bichos as coisa tudo
    uns ritirou-se in pirigrinação
    os ôtro os mais velho mais cabiçudo
    voltaro pru qui era pru pó do chão
    adispois de cumê tudo
    cumêr' precata surrão
    cumêr' côro de rabudo
    cumêr' cururú rodão
    e as cacimbas do ri Gavião
    já deu mais de duas cova d'um cristão
    inté aquela a da cara fêa
    se veno só dexô a tyerra alêa
    foi nas pidrinha cova de serêa
    vê sua madrinha
    evêi de mão c'ua vea
    na catinga morreu tudo
    qui nem percisô caxão
    meu compadre João Barbudo
    num cumpriu obrigação
    vai prá mais de duas lua
    que meu pai mandô eu i no Nazaré
    buscá u'a quarta de farinha
    eu e o meu irmão Zé Bento
    vinha andano a pé
    mãe lua magrinha qui está no céu
    será qui cuano eu chegue
    in minha terra
    aína vô incontra o qui é meu
    será qui Deus do céu aqui na terra
    de nosso povo intonce se isqueceu
    na catinga morreu tudo
    qui nem percisô caxão
    meu compadre João Barbudo
    num cumpriu a obrigação

    Comente
    user 300 caracteres restantes. Enviar

    Todas as letras de Xangai

    Publicidade
    A Pergunta - Xangai - VAGALUME
    Play
    PLAY

    Tropeiro
    O Quilimero assunta meu irirmão
    iantes mêrmo que nóis dois saudemo
    eu te pregunto naquele refrão
    qui na fartura nóis sempre cantemo
    na cantiga tá chuveno?
    ribeirão estão incheno?
    na catinga tá chuveno?
    ribeirão estão incheno?
    me arresponda meu irirmão
    cuma o povo de lá tão.

    Quilimero
    Só a terra que você dexô
    quinda tá lá num ritirou-se não
    os povos as gente
    os bichos as coisa tudo
    uns ritirou-se in pirigrinação
    os ôtro os mais velho mais cabiçudo
    voltaro pru qui era pru pó do chão
    adispois de cumê tudo
    cumêr' precata surrão
    cumêr' côro de rabudo
    cumêr' cururú rodão
    e as cacimbas do ri Gavião
    já deu mais de duas cova d'um cristão
    inté aquela a da cara fêa
    se veno só dexô a tyerra alêa
    foi nas pidrinha cova de serêa
    vê sua madrinha
    evêi de mão c'ua vea
    na catinga morreu tudo
    qui nem percisô caxão
    meu compadre João Barbudo
    num cumpriu obrigação
    vai prá mais de duas lua
    que meu pai mandô eu i no Nazaré
    buscá u'a quarta de farinha
    eu e o meu irmão Zé Bento
    vinha andano a pé
    mãe lua magrinha qui está no céu
    será qui cuano eu chegue
    in minha terra
    aína vô incontra o qui é meu
    será qui Deus do céu aqui na terra
    de nosso povo intonce se isqueceu
    na catinga morreu tudo
    qui nem percisô caxão
    meu compadre João Barbudo
    num cumpriu a obrigação

    Comente
    user 300 caracteres restantes. Enviar

    Todas as letras de Xangai

    Publicidade
    A Pergunta - Xangai - VAGALUME
    Play
    PLAY

    Tropeiro
    O Quilimero assunta meu irirmão
    iantes mêrmo que nóis dois saudemo
    eu te pregunto naquele refrão
    qui na fartura nóis sempre cantemo
    na cantiga tá chuveno?
    ribeirão estão incheno?
    na catinga tá chuveno?
    ribeirão estão incheno?
    me arresponda meu irirmão
    cuma o povo de lá tão.

    Quilimero
    Só a terra que você dexô
    quinda tá lá num ritirou-se não
    os povos as gente
    os bichos as coisa tudo
    uns ritirou-se in pirigrinação
    os ôtro os mais velho mais cabiçudo
    voltaro pru qui era pru pó do chão
    adispois de cumê tudo
    cumêr' precata surrão
    cumêr' côro de rabudo
    cumêr' cururú rodão
    e as cacimbas do ri Gavião
    já deu mais de duas cova d'um cristão
    inté aquela a da cara fêa
    se veno só dexô a tyerra alêa
    foi nas pidrinha cova de serêa
    vê sua madrinha
    evêi de mão c'ua vea
    na catinga morreu tudo
    qui nem percisô caxão
    meu compadre João Barbudo
    num cumpriu obrigação
    vai prá mais de duas lua
    que meu pai mandô eu i no Nazaré
    buscá u'a quarta de farinha
    eu e o meu irmão Zé Bento
    vinha andano a pé
    mãe lua magrinha qui está no céu
    será qui cuano eu chegue
    in minha terra
    aína vô incontra o qui é meu
    será qui Deus do céu aqui na terra
    de nosso povo intonce se isqueceu
    na catinga morreu tudo
    qui nem percisô caxão
    meu compadre João Barbudo
    num cumpriu a obrigação

    Comente
    user 300 caracteres restantes. Enviar

    Todas as letras de Xangai

    Publicidade
    A Pergunta - Xangai - VAGALUME
    Play
    PLAY

    Tropeiro
    O Quilimero assunta meu irirmão
    iantes mêrmo que nóis dois saudemo
    eu te pregunto naquele refrão
    qui na fartura nóis sempre cantemo
    na cantiga tá chuveno?
    ribeirão estão incheno?
    na catinga tá chuveno?
    ribeirão estão incheno?
    me arresponda meu irirmão
    cuma o povo de lá tão.

    Quilimero
    Só a terra que você dexô
    quinda tá lá num ritirou-se não
    os povos as gente
    os bichos as coisa tudo
    uns ritirou-se in pirigrinação
    os ôtro os mais velho mais cabiçudo
    voltaro pru qui era pru pó do chão
    adispois de cumê tudo
    cumêr' precata surrão
    cumêr' côro de rabudo
    cumêr' cururú rodão
    e as cacimbas do ri Gavião
    já deu mais de duas cova d'um cristão
    inté aquela a da cara fêa
    se veno só dexô a tyerra alêa
    foi nas pidrinha cova de serêa
    vê sua madrinha
    evêi de mão c'ua vea
    na catinga morreu tudo
    qui nem percisô caxão
    meu compadre João Barbudo
    num cumpriu obrigação
    vai prá mais de duas lua
    que meu pai mandô eu i no Nazaré
    buscá u'a quarta de farinha
    eu e o meu irmão Zé Bento
    vinha andano a pé
    mãe lua magrinha qui está no céu
    será qui cuano eu chegue
    in minha terra
    aína vô incontra o qui é meu
    será qui Deus do céu aqui na terra
    de nosso povo intonce se isqueceu
    na catinga morreu tudo
    qui nem percisô caxão
    meu compadre João Barbudo
    num cumpriu a obrigação

    Comente
    user 300 caracteres restantes. Enviar

    Todas as letras de Xangai

    Publicidade
    A Pergunta - Xangai - VAGALUME
    Play
    PLAY

    Tropeiro
    O Quilimero assunta meu irirmão
    iantes mêrmo que nóis dois saudemo
    eu te pregunto naquele refrão
    qui na fartura nóis sempre cantemo
    na cantiga tá chuveno?
    ribeirão estão incheno?
    na catinga tá chuveno?
    ribeirão estão incheno?
    me arresponda meu irirmão
    cuma o povo de lá tão.

    Quilimero
    Só a terra que você dexô
    quinda tá lá num ritirou-se não
    os povos as gente
    os bichos as coisa tudo
    uns ritirou-se in pirigrinação
    os ôtro os mais velho mais cabiçudo
    voltaro pru qui era pru pó do chão
    adispois de cumê tudo
    cumêr' precata surrão
    cumêr' côro de rabudo
    cumêr' cururú rodão
    e as cacimbas do ri Gavião
    já deu mais de duas cova d'um cristão
    inté aquela a da cara fêa
    se veno só dexô a tyerra alêa
    foi nas pidrinha cova de serêa
    vê sua madrinha
    evêi de mão c'ua vea
    na catinga morreu tudo
    qui nem percisô caxão
    meu compadre João Barbudo
    num cumpriu obrigação
    vai prá mais de duas lua
    que meu pai mandô eu i no Nazaré
    buscá u'a quarta de farinha
    eu e o meu irmão Zé Bento
    vinha andano a pé
    mãe lua magrinha qui está no céu
    será qui cuano eu chegue
    in minha terra
    aína vô incontra o qui é meu
    será qui Deus do céu aqui na terra
    de nosso povo intonce se isqueceu
    na catinga morreu tudo
    qui nem percisô caxão
    meu compadre João Barbudo
    num cumpriu a obrigação

    Comente
    user 300 caracteres restantes. Enviar

    Todas as letras de Xangai

    Publicidade
    A Pergunta - Xangai - VAGALUME
    Play
    PLAY

    Tropeiro
    O Quilimero assunta meu irirmão
    iantes mêrmo que nóis dois saudemo
    eu te pregunto naquele refrão
    qui na fartura nóis sempre cantemo
    na cantiga tá chuveno?
    ribeirão estão incheno?
    na catinga tá chuveno?
    ribeirão estão incheno?
    me arresponda meu irirmão
    cuma o povo de lá tão.

    Quilimero
    Só a terra que você dexô
    quinda tá lá num ritirou-se não
    os povos as gente
    os bichos as coisa tudo
    uns ritirou-se in pirigrinação
    os ôtro os mais velho mais cabiçudo
    voltaro pru qui era pru pó do chão
    adispois de cumê tudo
    cumêr' precata surrão
    cumêr' côro de rabudo
    cumêr' cururú rodão
    e as cacimbas do ri Gavião
    já deu mais de duas cova d'um cristão
    inté aquela a da cara fêa
    se veno só dexô a tyerra alêa
    foi nas pidrinha cova de serêa
    vê sua madrinha
    evêi de mão c'ua vea
    na catinga morreu tudo
    qui nem percisô caxão
    meu compadre João Barbudo
    num cumpriu obrigação
    vai prá mais de duas lua
    que meu pai mandô eu i no Nazaré
    buscá u'a quarta de farinha
    eu e o meu irmão Zé Bento
    vinha andano a pé
    mãe lua magrinha qui está no céu
    será qui cuano eu chegue
    in minha terra
    aína vô incontra o qui é meu
    será qui Deus do céu aqui na terra
    de nosso povo intonce se isqueceu
    na catinga morreu tudo
    qui nem percisô caxão
    meu compadre João Barbudo
    num cumpriu a obrigação

    Comente
    user 300 caracteres restantes. Enviar

    Todas as letras de Xangai

    Publicidade
    A Pergunta - Xangai - VAGALUME
    Play
    PLAY

    Tropeiro
    O Quilimero assunta meu irirmão
    iantes mêrmo que nóis dois saudemo
    eu te pregunto naquele refrão
    qui na fartura nóis sempre cantemo
    na cantiga tá chuveno?
    ribeirão estão incheno?
    na catinga tá chuveno?
    ribeirão estão incheno?
    me arresponda meu irirmão
    cuma o povo de lá tão.

    Quilimero
    Só a terra que você dexô
    quinda tá lá num ritirou-se não
    os povos as gente
    os bichos as coisa tudo
    uns ritirou-se in pirigrinação
    os ôtro os mais velho mais cabiçudo
    voltaro pru qui era pru pó do chão
    adispois de cumê tudo
    cumêr' precata surrão
    cumêr' côro de rabudo
    cumêr' cururú rodão
    e as cacimbas do ri Gavião
    já deu mais de duas cova d'um cristão
    inté aquela a da cara fêa
    se veno só dexô a tyerra alêa
    foi nas pidrinha cova de serêa
    vê sua madrinha
    evêi de mão c'ua vea
    na catinga morreu tudo
    qui nem percisô caxão
    meu compadre João Barbudo
    num cumpriu obrigação
    vai prá mais de duas lua
    que meu pai mandô eu i no Nazaré
    buscá u'a quarta de farinha
    eu e o meu irmão Zé Bento
    vinha andano a pé
    mãe lua magrinha qui está no céu
    será qui cuano eu chegue
    in minha terra
    aína vô incontra o qui é meu
    será qui Deus do céu aqui na terra
    de nosso povo intonce se isqueceu
    na catinga morreu tudo
    qui nem percisô caxão
    meu compadre João Barbudo
    num cumpriu a obrigação

    Comente
    user 300 caracteres restantes. Enviar

    Todas as letras de Xangai

    Publicidade
    A Pergunta - Xangai - VAGALUME
    Play
    PLAY

    Tropeiro
    O Quilimero assunta meu irirmão
    iantes mêrmo que nóis dois saudemo
    eu te pregunto naquele refrão
    qui na fartura nóis sempre cantemo
    na cantiga tá chuveno?
    ribeirão estão incheno?
    na catinga tá chuveno?
    ribeirão estão incheno?
    me arresponda meu irirmão
    cuma o povo de lá tão.

    Quilimero
    Só a terra que você dexô
    quinda tá lá num ritirou-se não
    os povos as gente
    os bichos as coisa tudo
    uns ritirou-se in pirigrinação
    os ôtro os mais velho mais cabiçudo
    voltaro pru qui era pru pó do chão
    adispois de cumê tudo
    cumêr' precata surrão
    cumêr' côro de rabudo
    cumêr' cururú rodão
    e as cacimbas do ri Gavião
    já deu mais de duas cova d'um cristão
    inté aquela a da cara fêa
    se veno só dexô a tyerra alêa
    foi nas pidrinha cova de serêa
    vê sua madrinha
    evêi de mão c'ua vea
    na catinga morreu tudo
    qui nem percisô caxão
    meu compadre João Barbudo
    num cumpriu obrigação
    vai prá mais de duas lua
    que meu pai mandô eu i no Nazaré
    buscá u'a quarta de farinha
    eu e o meu irmão Zé Bento
    vinha andano a pé
    mãe lua magrinha qui está no céu
    será qui cuano eu chegue
    in minha terra
    aína vô incontra o qui é meu
    será qui Deus do céu aqui na terra
    de nosso povo intonce se isqueceu
    na catinga morreu tudo
    qui nem percisô caxão
    meu compadre João Barbudo
    num cumpriu a obrigação

    Comente
    user 300 caracteres restantes. Enviar

    Todas as letras de Xangai

    Publicidade
    A Pergunta - Xangai - VAGALUME
    Play
    PLAY

    Tropeiro
    O Quilimero assunta meu irirmão
    iantes mêrmo que nóis dois saudemo
    eu te pregunto naquele refrão
    qui na fartura nóis sempre cantemo
    na cantiga tá chuveno?
    ribeirão estão incheno?
    na catinga tá chuveno?
    ribeirão estão incheno?
    me arresponda meu irirmão
    cuma o povo de lá tão.

    Quilimero
    Só a terra que você dexô
    quinda tá lá num ritirou-se não
    os povos as gente
    os bichos as coisa tudo
    uns ritirou-se in pirigrinação
    os ôtro os mais velho mais cabiçudo
    voltaro pru qui era pru pó do chão
    adispois de cumê tudo
    cumêr' precata surrão
    cumêr' côro de rabudo
    cumêr' cururú rodão
    e as cacimbas do ri Gavião
    já deu mais de duas cova d'um cristão
    inté aquela a da cara fêa
    se veno só dexô a tyerra alêa
    foi nas pidrinha cova de serêa
    vê sua madrinha
    evêi de mão c'ua vea
    na catinga morreu tudo
    qui nem percisô caxão
    meu compadre João Barbudo
    num cumpriu obrigação
    vai prá mais de duas lua
    que meu pai mandô eu i no Nazaré
    buscá u'a quarta de farinha
    eu e o meu irmão Zé Bento
    vinha andano a pé
    mãe lua magrinha qui está no céu
    será qui cuano eu chegue
    in minha terra
    aína vô incontra o qui é meu
    será qui Deus do céu aqui na terra
    de nosso povo intonce se isqueceu
    na catinga morreu tudo
    qui nem percisô caxão
    meu compadre João Barbudo
    num cumpriu a obrigação

    Comente
    user 300 caracteres restantes. Enviar

    Todas as letras de Xangai

    Publicidade
    A Pergunta - Xangai - VAGALUME
    Play
    PLAY

    Tropeiro
    O Quilimero assunta meu irirmão
    iantes mêrmo que nóis dois saudemo
    eu te pregunto naquele refrão
    qui na fartura nóis sempre cantemo
    na cantiga tá chuveno?
    ribeirão estão incheno?
    na catinga tá chuveno?
    ribeirão estão incheno?
    me arresponda meu irirmão
    cuma o povo de lá tão.

    Quilimero
    Só a terra que você dexô
    quinda tá lá num ritirou-se não
    os povos as gente
    os bichos as coisa tudo
    uns ritirou-se in pirigrinação
    os ôtro os mais velho mais cabiçudo
    voltaro pru qui era pru pó do chão
    adispois de cumê tudo
    cumêr' precata surrão
    cumêr' côro de rabudo
    cumêr' cururú rodão
    e as cacimbas do ri Gavião
    já deu mais de duas cova d'um cristão
    inté aquela a da cara fêa
    se veno só dexô a tyerra alêa
    foi nas pidrinha cova de serêa
    vê sua madrinha
    evêi de mão c'ua vea
    na catinga morreu tudo
    qui nem percisô caxão
    meu compadre João Barbudo
    num cumpriu obrigação
    vai prá mais de duas lua
    que meu pai mandô eu i no Nazaré
    buscá u'a quarta de farinha
    eu e o meu irmão Zé Bento
    vinha andano a pé
    mãe lua magrinha qui está no céu
    será qui cuano eu chegue
    in minha terra
    aína vô incontra o qui é meu
    será qui Deus do céu aqui na terra
    de nosso povo intonce se isqueceu
    na catinga morreu tudo
    qui nem percisô caxão
    meu compadre João Barbudo
    num cumpriu a obrigação

    Comente
    user 300 caracteres restantes. Enviar

    Todas as letras de Xangai

    Publicidade
    A Pergunta - Xangai - VAGALUME
    Play
    PLAY

    Tropeiro
    O Quilimero assunta meu irirmão
    iantes mêrmo que nóis dois saudemo
    eu te pregunto naquele refrão
    qui na fartura nóis sempre cantemo
    na cantiga tá chuveno?
    ribeirão estão incheno?
    na catinga tá chuveno?
    ribeirão estão incheno?
    me arresponda meu irirmão
    cuma o povo de lá tão.

    Quilimero
    Só a terra que você dexô
    quinda tá lá num ritirou-se não
    os povos as gente
    os bichos as coisa tudo
    uns ritirou-se in pirigrinação
    os ôtro os mais velho mais cabiçudo
    voltaro pru qui era pru pó do chão
    adispois de cumê tudo
    cumêr' precata surrão
    cumêr' côro de rabudo
    cumêr' cururú rodão
    e as cacimbas do ri Gavião
    já deu mais de duas cova d'um cristão
    inté aquela a da cara fêa
    se veno só dexô a tyerra alêa
    foi nas pidrinha cova de serêa
    vê sua madrinha
    evêi de mão c'ua vea
    na catinga morreu tudo
    qui nem percisô caxão
    meu compadre João Barbudo
    num cumpriu obrigação
    vai prá mais de duas lua
    que meu pai mandô eu i no Nazaré
    buscá u'a quarta de farinha
    eu e o meu irmão Zé Bento
    vinha andano a pé
    mãe lua magrinha qui está no céu
    será qui cuano eu chegue
    in minha terra
    aína vô incontra o qui é meu
    será qui Deus do céu aqui na terra
    de nosso povo intonce se isqueceu
    na catinga morreu tudo
    qui nem percisô caxão
    meu compadre João Barbudo
    num cumpriu a obrigação

    Comente
    user 300 caracteres restantes. Enviar

    Todas as letras de Xangai

    Publicidade
    A Pergunta - Xangai - VAGALUME
    Play
    PLAY

    Tropeiro
    O Quilimero assunta meu irirmão
    iantes mêrmo que nóis dois saudemo
    eu te pregunto naquele refrão
    qui na fartura nóis sempre cantemo
    na cantiga tá chuveno?
    ribeirão estão incheno?
    na catinga tá chuveno?
    ribeirão estão incheno?
    me arresponda meu irirmão
    cuma o povo de lá tão.

    Quilimero
    Só a terra que você dexô
    quinda tá lá num ritirou-se não
    os povos as gente
    os bichos as coisa tudo
    uns ritirou-se in pirigrinação
    os ôtro os mais velho mais cabiçudo
    voltaro pru qui era pru pó do chão
    adispois de cumê tudo
    cumêr' precata surrão
    cumêr' côro de rabudo
    cumêr' cururú rodão
    e as cacimbas do ri Gavião
    já deu mais de duas cova d'um cristão
    inté aquela a da cara fêa
    se veno só dexô a tyerra alêa
    foi nas pidrinha cova de serêa
    vê sua madrinha
    evêi de mão c'ua vea
    na catinga morreu tudo
    qui nem percisô caxão
    meu compadre João Barbudo
    num cumpriu obrigação
    vai prá mais de duas lua
    que meu pai mandô eu i no Nazaré
    buscá u'a quarta de farinha
    eu e o meu irmão Zé Bento
    vinha andano a pé
    mãe lua magrinha qui está no céu
    será qui cuano eu chegue
    in minha terra
    aína vô incontra o qui é meu
    será qui Deus do céu aqui na terra
    de nosso povo intonce se isqueceu
    na catinga morreu tudo
    qui nem percisô caxão
    meu compadre João Barbudo
    num cumpriu a obrigação

    Comente
    user 300 caracteres restantes. Enviar

    Todas as letras de Xangai

    Publicidade
    A Pergunta - Xangai - VAGALUME