Muito mais que só letras de músicas

  • Vagalume
  • A-Z
  • Estilos
  • Top 100
  • Playlists
  • Hot Spots
  • Notícias
  • Play
    PLAY

    Caça Talento sem talento, sem dispor de investimento
    171 nato, de fato, seu menor ressentimento
    Tá por dentro e mesmo atento você cai na armadilha
    Usa filho, filha, te apresenta a sua família
    No cenário empresário, na aparência bem sucedido
    Fudido articulado, similar a um bandido
    Seu contrato tá na mesa, mais não justifica a pressa
    Fala bonito, te promete o mundo inteiro... vai nessa
    Me confessa, será que só eu cai nessa conversa
    Hoje só uma autoridade que pode me tirar dessa
    Diz pros outros que eu sou tratado como filho, filho
    que eu saiba não é capital de giro
    Sua inveja tá na cara também sonha em ser artista
    Faz de tudo pra sair em uma capa de revista
    Tolo, oportunista, pensa que é malandro,
    Esperto, mas perto de quem sabe de verdade,
    analfabeto
    Nome no SPC, Serasa, vários processos
    No fim do ano ele deu sorte, a justiça tá em recesso
    Processado por artista, empresa terceirizada
    Deve almoço, passa cheque, pega grana emprestada
    Carro importado, se denomina presidente de gente
    Ignorante, sem estudo, incompetente
    Tem gente que critica o mercado pornográfico,
    Mas garanto que a sujeira tá no meio fonográfico
    Bebe pra caralho, freqüenta putero, faz duas carreira,
    cheira na frente do espelho
    Tem uma família, mas não dá valor
    Rouba pai de família, explora sofredor
    Então como é que eu faço excelência pra eu me
    libertar
    Me dá um parecer, uma liminar cautelar
    Suborna advogado, me jura de morte, azar nunca tem
    cara, parece até que é sorte
    Ninguém pode me oprimir de forma arbitrária, se não
    tem lei no meu caso, uma medida é necessária.
    Sem falha canalha, só dois tiros na sua testa, acaba
    minha vida, mas dou fim na sua festa.
    Shopping, Disneylândia, seu filho não merece isso,
    enquanto o meu assiste só o meu sacrifício.
    Chega no sofá, na sala de jantar vestido de ovelha pra
    família acreditar
    Se souberem que seu pai fez pacto com o diabo
    Que anda sempre amparado com um demônio de cada lado
    Com certeza iria chocar, simplesmente por um instante, mas depois ia aceitar, pois é sangue do próprio
    sangue.
    Sanguessuga de talento, mais mano eu só lamento
    Pois yeshua é justo e só nele eu me sustento
    Sou preto, você não me comprou com a sua loira nem com
    a sua editora essa bosta de gravadora.
    Me processa seu cuzão com meu próprio dinheiro
    Justifica pra justiça sua fama de caloteiro
    Esse som é pro meu público, pra quem gosta do MAG
    Quem quiser que vá com ele, mas minha rima ainda
    segue
    Excelência, esse foi meu depoimento
    Ou a lei funciona agora ou eu durmo no relento
    Diretor artístico, bosta de empresário, corja de
    bandido, raça do caralho
    Posso até ser um fudido, mas meu jogo limpo é
    E não vou vender minha alma pro anticristo, lúcifer
    Assina o contrato, pega a caneta, não se preocupa
    rubrica com letra legível, se possível abre firma se
    concentra
    Tenta agora não se expor, você vai ficar famoso, tá
    feliz, sempre quis tá com prata no pescoço
    Agora eu sou seu empresário, você é pra mim como um
    filho
    Tá tranqüilo, se deu sorte, faz meu capital de giro
    Sustenta minha família, faz minha ceia de Natal
    100% do que é seu é meu, faz meu carnaval
    Se você souber levar, eu deixo o resto pra você
    Se você quiser ganhar, no começo se vai perder
    Se disser que eu te roubei ninguém vai acreditar
    Porque eu suborno juiz com o dinheiro que você me dá
    Assina o contrato, pega a caneta, não se preocupa
    rubrica com letra legível, se possível abre firma se
    concentra
    Justifico na nota a cota que nós combinamos,
    Se vendeu 500 mil, eu já concretizei meu plano
    Se 500 vezes 10 é igual ao meu conforto, minha casa lá
    na Barra, meu apartamento novo
    Eu durmo mais que tranqüilo, pois não tenho índole,
    ética
    Credicard, pago em dia minha assistência médica
    Invisto em você foi fruto de outro calote só que
    quando aplicado com requinte você pode
    Até argumentar, arrumar um bom advogado, daqueles bem
    escolado, que defende só safado
    Culpado ou inocente, quem será o infeliz, o réu fez
    seu papel, mas já compraram o juiz
    Aquele homem que falava bonito na reunião
    Lembra Antônio Salieri, lembra a imagem do cão
    Deus meu, meu juiz, eis aqui meu álibi, mas se
    possível afaste de mim esse cálice
    Não é pela fama, não é nada disso, é porque o senhor
    não sabe o que que é se sentir um lixo
    Leptospirose, gripe, gastrite, mais se o senhor for
    tão humilde, aceite o meu convite
    Nasce da minha mãe, vai dormir na rua, vem desmaiar de
    fome, cai, come carne crua
    Yeshua eu sei, que o pai é vingativo, mas tem filha da
    puta que ainda continua vivo
    Eu num vivo, sobrevivo esperando sua justiça
    Porque se eu dependesse só da corte ou da policia,
    Não teria argumento porque a minha pele é preta,
    Dinheiro é respeito, e sem respeito é muita treta.
    Mas meu Deus, meu juiz, me estenda sua mão
    Te imploro humildemente com meu joelho no chão
    Porque contra a sua justiça, não tem quem me diga não
    Já vi câncer, acidente, infarto no coração
    Deus me deu meu dom, se tá fudido
    Seu anticristo, racista, anjo caído
    Não sou especial, sei que não sou único
    Mas canto pra quem quer me ouvir, respeito meu
    público
    Seu contrato é a mesma coisa que um pacto com o diabo
    Firmado com testemunha, estilo ritual macabro
    Posso até ser um fudido, mas meu jogo limpo é
    E não vou vender minha alma pro anticristo, lúcifer
    Assina o contrato, pega a caneta, não se preocupa
    rubrica com letra legível, se possível abre firma se
    concentra
    Tenta agora não se expor, você vai ficar famoso, tá
    feliz, sempre quis tá com prata no pescoço
    Agora eu sou seu empresário, você é pra mim como um
    filho
    Tá tranqüilo, se deu sorte, faz meu capital de giro
    Sustenta minha família, faz minha ceia de Natal
    100% do que é seu é meu, faz meu carnaval
    Se você souber levar, eu deixo o resto pra você
    Se você quiser ganhar, no começo se vai perder
    Se disser que eu te roubei ninguém vai acreditar
    Porque eu suborno juiz com o dinheiro que você me dá
    Assina o contrato, pega a caneta, não se preocupa
    rubrica com letra legível, se possível abre firma se
    concentra
    Eu não entendo meu talento,
    Se só desperta inveja, discórdia, recalque, uma
    proposital amnésia
    Entendo que na cabeça de qualquer empresário, o
    artista é o bobo da corte em troca do seu salário.
    Coluna de jornal, programa de fofoca, se não paga não
    aparece, se não dá jabá não toca.
    Infelizmente, ou felizmente, eu sou uma rara exceção,
    levo a música simplesmente como a minha profissão
    Evito ostentação, fama, entrevista, um artista nasce
    pronto, não se fabrica na revista
    Photoshop na cara, uma pose sensual, bom fotógrafo e
    qualquer um é símbolo sexual
    Golpe do baú, namoro combinado, pra fazer ensaio nu,
    pra crescer come viado.
    Que sujeira do caralho, mas um pouco e eu vomito
    Tanta gente equivocada, eu não minto, nem me omito
    Tenho OAMB número 5-691, e não seria capaz de mentir
    pra esse tribunal, de jeito algum
    Eu confundo a palavra empresário, com estelionatário.
    Estelionatário com salafrário e artista como otário
    Já assinei vários contratos, com empresários,
    gravadora, produtora equivocada, patrocínios,
    editora.
    Nunca tive muita sorte, sorte que eu acordei
    Baixo a cabeça pro meu Deus, mas pra esses cú eu não
    baixei
    Mas se tudo é QI, e se a fama tem um preço, eu não
    tenho pai famoso, então vai ver que eu não mereço.
    Num vou comer viado, vou cantar o que eu quiser, não
    vou fazer tipinho pra agradar sua mulher.
    Me escute quem quiser, não sou dono da razão, não fico
    chateado se você expor sua opinião.
    Mas juiz, antes de eu terminar o meu depoimento, te
    apresento meu advogado e um novo documento.
    1ª cláusula excelência, o senhor fulano de tal, havia
    se comprometido a divulgar o artista em todo
    território nacional.
    De forma que nunca foi cumprida essa cláusula do
    contrato qualifico o pagamento da multa por dano
    moral.
    2ª cláusula excelência, o artista foi chantageado,
    ameaçado pelo diretor artístico, a assinar 16
    contratos.
    Como meu cliente não assinou, por não entender o
    documento, a gravadora e o empresário, em parceria,
    não realizaram o seu pagamento.
    3ª cláusula juiz, de forma racista e sem respeito,
    sempre deixaram bem claro e exposto o preconceito,
    nunca agindo direito em relação ao pagamento do
    artista, utilizaram sem a autorização do mesmo, sua
    foto em jornais e revistas.
    4ª cláusula excelência, seu disco nunca foi produzido,
    e não efetuando seu pagamento, seria mais uma maneira
    da gravadora e o empresário de certa forma unidos,
    levarem o artista a sua total falência financeira.
    Pois dessa forma o artista, voltaria rastejando com
    medo, aceitando qualquer condição pela falta de
    emprego, pois o mesmo sem fazer show, ficaria
    totalmente acuado, e sem dinheiro se quer para o
    honorário de um bom advogado.
    5ª cláusula excelência eu te peço mesmo em recesso,
    que observe a conduta desses dois cidadões do
    processo, que seja feita a justiça em relação a esse
    contrato, pois meu cliente foi vítima de um crime de
    estelionato.
    Posso até ser um fudido, mas meu jogo limpo é...
    Posso até ser um fudido, mas meu jogo limpo é...
    E não vou vender minha alma pro anticristo, lúcifer
    Assina o contrato, pega a caneta, não se preocupa
    rubrica com letra legível, se possível abre firma se
    concentra
    Tenta agora não se expor, você vai ficar famoso, tá
    feliz, sempre quis tá com prata no pescoço
    Agora eu sou seu empresário, você é pra mim como um
    filho
    Tá tranqüilo, se deu sorte, faz meu capital de giro
    Sustenta minha família, faz minha ceia de Natal
    100% do que é seu é meu, faz meu carnaval
    Se você souber levar, eu deixo o resto pra você
    Se você quiser ganhar, no começo se vai perder
    Se disser que eu te roubei ninguém vai acreditar
    Porque eu suborno juiz com o dinheiro que você me dá
    Assina o contrato, pega a caneta, não se preocupa
    rubrica com letra legível, se possível abre firma se
    concentra
    Tenta agora não se expor, você vai ficar famoso, tá
    feliz, sempre quis tá com prata no pescoço
    Agora eu sou seu empresário, você é pra mim como um
    filho
    Tá tranqüilo, se deu sorte, faz meu capital de giro
    Sustenta minha família, faz minha ceia de Natal
    100% do que é seu é meu, faz meu carnaval
    Se você souber levar, eu deixo o resto pra você
    Se você quiser ganhar, no começo se vai perder
    Se disser que eu te roubei ninguém vai acreditar
    Porque eu suborno juiz com o dinheiro que você me dá
    Ei MAG...
    Caça Talento sem talento, sem dispor de investimento
    171 nato, de fato, seu menor ressentimento...

    Comente
    user 300 caracteres restantes. Enviar

    Todas as letras de Mag

    Publicidade
    Notícias
    Mais notícias »
    Hot Spot
    Top Músicas do Vagalume
    Top 100 »

    As informações deste site são postadas integralmente pelos usuários. É importante dizer que é possível que os dados estejam desatualizados ou incorretos, sendo assim, o Vagalume exime-se de qualquer responsabilidade sobre as informações publicadas.Caso haja interesse em remover ou alterar alguma informação, entre em contato conosco.


    É permitida somente a visualização no site das letras de músicas encontradas aqui, vedada sua reprodução através de quaisquer outros meios (Lei 9610/98).Todas as letras de músicas são propriedade dos seus respectivos autores e divulgadas somente para fins educacionais.All lyrics are property and copyright of their owners. All lyrics are provided for educational purposes only.