Muito mais que só letras de músicas

  • Vagalume
  • A-Z
  • Estilos
  • Top 100
  • Playlists
  • Hot Spots
  • Notícias
  • Play
    PLAY

    Do lado de lá não adianta gritar
    Esforço é inútil não vão te escutar
    De dentro dos muros eu observo o que acontece neste mundo
    sujo e paralelo
    não sei da onde veio, nem como surgiu
    Maldade desonestidade, Puta que pariu
    Universo do Lúcifer cobra coral
    Mundo do crime legião do mal
    Eu quero me livrar, eu quero sair
    Eu quero esquecer de tudo por aqui
    Por que
    A lei não faz, a lei não faz, são dois caras e
    quatro facas, uma rua de número 10 do Carandiru, lugar
    abominável, horrível, lugar temeroso
    Vidas humanas tiradas igual a de um porco
    E o sangue escorre junto aos esgotos
    Santa Madalena no pé do altar
    Ilumina o meu redor quando eu precisar
    Eu tenho a minha missa de corpo presente
    E lavo o meu corpo com água ardente não vai me
    purificar e nem lava a minha alma mas vai evitar que
    minha cabeça role pela escada
    fim de semana, dia de visita muito sorriso no rosto,
    muito homicida
    Uns vê as esposa, outro vê os filhos
    Um rosto familiar sempre é bom neste lugar maldito
    Mas é bom se ligar...
    Se der o milho na visita, é lamentável a fatalidade
    Segunda
    feira é sem lei vão beber seu sangue na maior maldade

    O clima pesa o tempo fecha
    Lugar não se encontra para escapar
    Desta selva de pedra
    Rebelião, acertos de conta batida do choque eu vou,
    passando pelo vale da vida e pela sombra da morte
    Eu sou só mais um envolvido até a alma
    Leão de ferro nesta porra petrificada no meu rosto
    ninguém nunca bateu porque
    Graças a Deus
    A minha honra eu guardo com a minha vida
    A minha cadeia é oito, mas ela se multiplica
    Eu tenho meu veneno para destilar e ele pode ser
    mortal se precisar
    um mano sangue bom tava indo embora de vencida, mas
    fez a cena nem um pá
    Agora ele tem um 121 para sumariar
    Cada lugar um lugar, cada lugar uma lei
    Besteira, a própria lei é você quem faz, para
    sobreviver no mundo do Satanás
    Um sorriso na cara o odor da morte no corpo 24, 48, um
    pior que o outro
    Eu tenho que tar mais ligeiro, eu tenho que me livrar
    Tem uma pá de pé de breque lá pra atrasar
    Será que este ano eu saio de condicional
    Será que em casa vou passar o Natal
    Os direitos humanos pra nós é cruel
    Para as autoridades somos só papel
    Com tantos espelhos vocês não enxergam
    Cidade pombal por você espera
    Siga a minha sombra seja a minha imagem
    Logo você será só mais um triagem
    Zona leste, oeste, norte ou sul
    Cohab Carandiru você será só mais um
    Vestido de mulher se não tiver atitude
    Ladrão que é ladrão não nunca se ilude
    O sistema abala mas ele não me intimida
    Camaradas é uma coisa inimigos eu não perco de vista
    Eu sou um cara pacífico se é que você me entende
    Ao mesmo tempo sou estimulado e radiado pela maldade
    da mente
    Se pra você ta legal eu tou muito louco dessa vida
    Seu currículo criminoso eu rasgo e mijo em cima
    Um moleque primário era humildão
    E foi estuprado no oitavo pavilhão
    Não teve atitude,não, não mostrou instinto
    E foi morar no pavilhão quinto
    Chegou o grande dia estou indo embora, fulano riu
    primeiro
    Primeiro ele chora
    Eu mando esse salvo pros seus camaradas
    Logo ele vai embora em um caixão de lata
    Eu não acredito, ele não é o cão
    Ele está lá na rua
    E eu estou na Detenção
    Terça
    feira, seis horas, fulano, carta, agora você vai
    embora em um caixão de lata
    Eu matei a sua mãe, sua mulher e seus filhos
    Com seu pai e seu irmão é o oitavo homicídio
    A notícia foi foda, não agüento a pressão
    Estuprador de cadeia morreu na detenção
    Do lado de lá não adianta gritar, o esforço é inútil,
    não vão te escutar
    Eu estou na minha, andando no campo sigilosamente eu
    estou pensando se jogo a tia em uma das muralhas, mas
    a minha cabeça os guardas estraçalham
    Deixa isso para lá, eu não vou dar motivo
    Lá da muralha eles não erram um tiro
    Às vezes eu quero aprender voar para escapar deste
    lugar
    No mundo cadeia la se vegeta, abala sua mente como
    atmosfera
    Almas desviadas, perdidas, penadas...
    No seu universo o lúcifer da risada
    Diz o mandamento: Amem uns aos outros,
    Mas ate pela sombra você pode ser morto
    Novela real, que a globo não mostra
    A loção francesa que lá fede a bosta
    Pilantra safado estuprado dá o rabo
    E o código do crime lá dentro é embaçado
    Nosso lema é um só ele não se converte
    Pregamos a verdade o crime no "Rap"
    Sinfonia é satânica chega mais perto Detentos do Rap...

    O Som do Inferno.

    Comente
    user 300 caracteres restantes. Enviar

    Todas as letras de Detentos do Rap

    Publicidade
    Notícias
    Mais notícias »
    Hot Spot
    Top Músicas do Vagalume
    Top 100 »

    As informações deste site são postadas integralmente pelos usuários. É importante dizer que é possível que os dados estejam desatualizados ou incorretos, sendo assim, o Vagalume exime-se de qualquer responsabilidade sobre as informações publicadas.Caso haja interesse em remover ou alterar alguma informação, entre em contato conosco.


    É permitida somente a visualização no site das letras de músicas encontradas aqui, vedada sua reprodução através de quaisquer outros meios (Lei 9610/98).Todas as letras de músicas são propriedade dos seus respectivos autores e divulgadas somente para fins educacionais.All lyrics are property and copyright of their owners. All lyrics are provided for educational purposes only.