Muito mais que só letras de músicas

  • Vagalume
  • A-Z
  • Estilos
  • Top 100
  • Playlists
  • Hot Spots
  • Notícias
  • Play
    PLAY

    Este som é dedicado a todo o emigrante ...
    Portugal
    Espalhados pelos quatro cantos do mundo
    Força e coragem
    Isto é pra vocês

    Eu não sabia o que era a vida de emigrante
    Com a famílias distante
    E a saudade galopante
    Que se vai apoderando, tomando
    Conta de mim

    Eu não sabia que a famílias mais de sangue
    Só nas horas de aperto
    É que me lembro
    O quanto é importante que ele é pra mim

    Acordo de madrugada
    Com o alarme do telemóvel
    Quem me viu
    Quem me vê
    Mereço um prémio nobel

    Não sabia o que era a vida de emigrante
    Mas agora
    Olha para mim
    Pareço um morto andante
    Todo o trabalho que encontro
    É aquele que ninguém quer
    Digam-me que tipo de auto estima
    Vou ter perante a minha mulher
    Que tipo de futuro
    Vou puder dar ao meu puto
    Se da maneira como isto anda
    Daqui a um ano tou maluco

    Tudo o que penso
    Envolve dinheiro
    Então é tudo por ele
    Limpo chão, sanitas até corto cabelo
    Acato as ordens do patrão mas não consigo entendêlo
    Será que o facto de ser emigrante
    Influência as decisões dele
    Frio parece gelo
    E a condição é decadente
    Eu não sei por quanto tempo
    Aguento mais este batente
    Só quero dar o expediente
    Fazer guita suficiente
    Para puder executar objectivos
    Que tenho em mente
    Ma nem sempre na vida
    Corre tudo como queremos
    Há que saber ser feliz
    E aproveitar os momentos
    Vida de pobre todos temos
    Eu já nem reclamo
    Eu vim procurar uma vida melhor
    Pelo menos era esse o plano
    Não vim para depender de um tipo de benificio
    Se quero guita assério tem de haver suor e

    sacrificio
    Agora eu sei o que é a vida de emigrante
    Mas o meu único problema é a saudade galopante

    Eu não sabia o que era a vida de emigrante
    Com a famílias distante
    E a saudade galopante
    Que se vai apoderando, tomando
    Conta de mim

    Eu não sabia que a famílias mais de sangue
    Só nas horas de aperto
    É que me lembro
    O quanto é importante que ele é pra mim

    Eu não sabia o que era a vida de emigrante
    Se eu soubesse tinha levado a minha vida adiante
    Fui ignorante
    Sonhava ser traficante
    E quando quis saber da escola
    Queria que tudo fosse mais interessante
    Tive chance
    Mas não fiz a escolha certa
    Cada vez que penso nisso
    Algo dentro de mim aperta
    Queria ser atleta
    Pensei que era essa a vocação
    Mas...
    Tudo mudou quando obtei pela emigração
    Nove horas no avião
    Nova Iorque era o destino
    Passado nove meses
    Chorava que nem um menino
    Senti falta da famílias
    Falta dos meus amigos
    Saudade Galopante
    Atacou-me todos os sentidos
    Trabalhava ganhava 300 dólares por semana
    Tive aquilo que nunca tive
    Grife de rapper e bandana
    Grana esbanjava como nunca esbanjei antes
    Pobre quando tem dinheiro
    Gasta tudo em instantes
    São humilhantes os anos
    Que passei na burrice
    Mas mais vergonha
    É ter atitudes que não demonstro juizo
    Mantenho o pensamento
    E tento ser alguém melhor do que já fui
    Mas nem assim
    Malabá evolui
    Nem quando possui um trabalho
    Que não diminui no salário
    O facto de ter sido na escola
    Apenas um estagiário
    Podia ser empresário, bancário um burocrata
    Em vez disso tou em pé 12 horas
    A plantar contar batata
    Vida ingrata
    Que aos poucos me mata
    Desgosto me ataca
    Se é este o meu futuro
    Espeta-me já uma faca
    Mete bala que o gatilho
    Desta vez eu puxo
    Tou prestes a explodir
    E a culpa nem é do bules
    Não há luz na minha vida
    Brilho nem coisa parecida
    Custa admitir
    Que a culpa disto
    É toda minha
    Se eu soubesse eu não vinha
    Mas agora eu tou aqui
    E a famílias sempre longe de mim

    Eu não sabia o que era a vida de emigrante
    Com a famílias distante
    E a saudade galopante
    Que se vai apoderando, tomando
    Conta de mim
    Conta de mim

    Eu não sabia que a famílias mais de sangue
    Só nas horas de aperto
    É que me lembro
    O quanto é importante que ele é pra mim

    Eu não sabia, eu não sabia, eu não sabia
    O que era a vida de emigrante
    Desconhecia
    Até um dia
    Sem ter a saudade galopante

    Eu não sabia, eu não sabia, eu não sabia
    O que era a vida de emigrante
    Desconhecia
    Até um dia
    Sem ter a saudade galopante
    Saudade

    Yeh saudade
    Yeh
    Mãe Pai
    Este som é pra vocês
    Dedico este som a toda a minha famílias
    América
    Lá em África
    People la da Tuga
    Zona Pi

    Letra enviada por Dagun
    Comente
    user 300 caracteres restantes. Enviar

    Todas as letras de Dagun

    Publicidade
    Notícias
    Mais notícias »
    Hot Spot
    Top Músicas do Vagalume
    Top 100 »

    As informações deste site são postadas integralmente pelos usuários. É importante dizer que é possível que os dados estejam desatualizados ou incorretos, sendo assim, o Vagalume exime-se de qualquer responsabilidade sobre as informações publicadas.Caso haja interesse em remover ou alterar alguma informação, entre em contato conosco.


    É permitida somente a visualização no site das letras de músicas encontradas aqui, vedada sua reprodução através de quaisquer outros meios (Lei 9610/98).Todas as letras de músicas são propriedade dos seus respectivos autores e divulgadas somente para fins educacionais.All lyrics are property and copyright of their owners. All lyrics are provided for educational purposes only.