Muito mais que só letras de músicas

  • Vagalume
  • A-Z
  • Estilos
  • Top 100
  • Playlists
  • Rádios
  • Hot Spots
  • Notícias
  • Play
    PLAY

    Este som é dedicado a todo o emigrante ...
    Portugal
    Espalhados pelos quatro cantos do mundo
    Força e coragem
    Isto é pra vocês

    Eu não sabia o que era a vida de emigrante
    Com a famílias distante
    E a saudade galopante
    Que se vai apoderando, tomando
    Conta de mim

    Eu não sabia que a famílias mais de sangue
    Só nas horas de aperto
    É que me lembro
    O quanto é importante que ele é pra mim

    Acordo de madrugada
    Com o alarme do telemóvel
    Quem me viu
    Quem me vê
    Mereço um prémio nobel

    Não sabia o que era a vida de emigrante
    Mas agora
    Olha para mim
    Pareço um morto andante
    Todo o trabalho que encontro
    É aquele que ninguém quer
    Digam-me que tipo de auto estima
    Vou ter perante a minha mulher
    Que tipo de futuro
    Vou puder dar ao meu puto
    Se da maneira como isto anda
    Daqui a um ano tou maluco

    Tudo o que penso
    Envolve dinheiro
    Então é tudo por ele
    Limpo chão, sanitas até corto cabelo
    Acato as ordens do patrão mas não consigo entendêlo
    Será que o facto de ser emigrante
    Influência as decisões dele
    Frio parece gelo
    E a condição é decadente
    Eu não sei por quanto tempo
    Aguento mais este batente
    Só quero dar o expediente
    Fazer guita suficiente
    Para puder executar objectivos
    Que tenho em mente
    Ma nem sempre na vida
    Corre tudo como queremos
    Há que saber ser feliz
    E aproveitar os momentos
    Vida de pobre todos temos
    Eu já nem reclamo
    Eu vim procurar uma vida melhor
    Pelo menos era esse o plano
    Não vim para depender de um tipo de benificio
    Se quero guita assério tem de haver suor e

    sacrificio
    Agora eu sei o que é a vida de emigrante
    Mas o meu único problema é a saudade galopante

    Eu não sabia o que era a vida de emigrante
    Com a famílias distante
    E a saudade galopante
    Que se vai apoderando, tomando
    Conta de mim

    Eu não sabia que a famílias mais de sangue
    Só nas horas de aperto
    É que me lembro
    O quanto é importante que ele é pra mim

    Eu não sabia o que era a vida de emigrante
    Se eu soubesse tinha levado a minha vida adiante
    Fui ignorante
    Sonhava ser traficante
    E quando quis saber da escola
    Queria que tudo fosse mais interessante
    Tive chance
    Mas não fiz a escolha certa
    Cada vez que penso nisso
    Algo dentro de mim aperta
    Queria ser atleta
    Pensei que era essa a vocação
    Mas...
    Tudo mudou quando obtei pela emigração
    Nove horas no avião
    Nova Iorque era o destino
    Passado nove meses
    Chorava que nem um menino
    Senti falta da famílias
    Falta dos meus amigos
    Saudade Galopante
    Atacou-me todos os sentidos
    Trabalhava ganhava 300 dólares por semana
    Tive aquilo que nunca tive
    Grife de rapper e bandana
    Grana esbanjava como nunca esbanjei antes
    Pobre quando tem dinheiro
    Gasta tudo em instantes
    São humilhantes os anos
    Que passei na burrice
    Mas mais vergonha
    É ter atitudes que não demonstro juizo
    Mantenho o pensamento
    E tento ser alguém melhor do que já fui
    Mas nem assim
    Malabá evolui
    Nem quando possui um trabalho
    Que não diminui no salário
    O facto de ter sido na escola
    Apenas um estagiário
    Podia ser empresário, bancário um burocrata
    Em vez disso tou em pé 12 horas
    A plantar contar batata
    Vida ingrata
    Que aos poucos me mata
    Desgosto me ataca
    Se é este o meu futuro
    Espeta-me já uma faca
    Mete bala que o gatilho
    Desta vez eu puxo
    Tou prestes a explodir
    E a culpa nem é do bules
    Não há luz na minha vida
    Brilho nem coisa parecida
    Custa admitir
    Que a culpa disto
    É toda minha
    Se eu soubesse eu não vinha
    Mas agora eu tou aqui
    E a famílias sempre longe de mim

    Eu não sabia o que era a vida de emigrante
    Com a famílias distante
    E a saudade galopante
    Que se vai apoderando, tomando
    Conta de mim
    Conta de mim

    Eu não sabia que a famílias mais de sangue
    Só nas horas de aperto
    É que me lembro
    O quanto é importante que ele é pra mim

    Eu não sabia, eu não sabia, eu não sabia
    O que era a vida de emigrante
    Desconhecia
    Até um dia
    Sem ter a saudade galopante

    Eu não sabia, eu não sabia, eu não sabia
    O que era a vida de emigrante
    Desconhecia
    Até um dia
    Sem ter a saudade galopante
    Saudade

    Yeh saudade
    Yeh
    Mãe Pai
    Este som é pra vocês
    Dedico este som a toda a minha famílias
    América
    Lá em África
    People la da Tuga
    Zona Pi

    Letra enviada por DaGun
    Encontrou algum erro na letra? Por favor, envie uma correção »


    Comente
    user 300 caracteres restantes. Enviar

    Todas as letras de Dagun

    Publicidade
    Notícias
    Mais notícias »
    Hot Spot
    Top Músicas do Vagalume
    Top 100 »

    As informações deste site são postadas integralmente pelos usuários. É importante dizer que é possível que os dados estejam desatualizados ou incorretos, sendo assim, o Vagalume exime-se de qualquer responsabilidade sobre as informações publicadas.Caso haja interesse em remover ou alterar alguma informação, entre em contato conosco.


    É permitida somente a visualização no site das letras de músicas encontradas aqui, vedada sua reprodução através de quaisquer outros meios (Lei 9610/98).Todas as letras de músicas são propriedade dos seus respectivos autores e divulgadas somente para fins educacionais.All lyrics are property and copyright of their owners. All lyrics are provided for educational purposes only.