Muito mais que só letras de músicas

  • Vagalume
  • A-Z
  • Estilos
  • Top 100
  • Playlists
  • Hot Spots
  • Notícias
  • Informações do Álbum Bia Canta e Conta - Vol. 1
    1. Flor do Mamulengo (Luiz Fidelis)
    2. O Menino que Foi ao Vento Norte (Conto Popular)
    3. A Raposa e a Cegonha (Fábula de Esopo)
    4. A História da Coca (Conto Popular)
    5. A História de Tatê Calanquê Catacan Quixilá...
    6. Feliz Aniversário, Lua (Frank Asch)
    7. O Fazendeiro, Seu Filho e o Burro (Fábula de...)
    8. Uma História sem fim (Conto Popular)

    x
    Ver discografia completa »
    Play
    PLAY

    Uma vez um menino foi fazer compras para a sua mãe e
    quando ele estava voltando para casa carregadinho de
    compras...
    - Não, não, vento! Não, ai esse vento vai me carregar!
    Socorro! Minhas compras! Adeus! Adeus!
    O vento carregou todas as compras do menino. E ele,
    muito chateado, foi lá na casa do Vento Norte

    reclamar:
    - Como é seu Vento Norte?
    Mas isso é coisa, oi, que se faça?
    -O que é que eu vou dizer lá em casa pra mamãe?
    -O que é que vou dizer lá em casa?
    - Ora meu filho! Eu sou o Vento. Eu tenho que ventar!
    Mas olha, em troca eu vou te dar uma toalha mágica.

    Toda a vez que você quiser comer alguma coisa você
    diz:
    -Bota a mesa toalha. E ela vai colocar coisas
    gostosas pra você. Vá menino, vá!
    O menino ficou tão feliz com o presente. Foi embora
    todo contente para mostrar para a mãe dele. Mas já
    estava escurecendo e ele teve que dormir num hotel.
    Quando ele chegou no hotel, ele testou a toalha. Então
    ele disse assim:
    - Bota a mesa toalha!

    Hum! E apareceu bolo de fubá, queijadinha, pastel de
    queijo, pastel de camarão, brigadeiro, tutu de feijão,
    gelatina com creme, marshmello, sorvete de chocolate...
    Nossa! O menino comeu tudo aquilo e foi dormir.
    O dono do hotel era ladrão. Quando ele viu aquilo...
    Ele não agüentou. Enquanto o menino dormia com a
    toalha do lado, ele foi lá e trocou a toalha por uma
    igual, mas que não era mágica.
    O menino não sabia de nada. Foi correndo avisar a mãe
    todo contente.
    - Benção, mãe! Nunca mais nós vamos passar fome aqui
    em casa! Olhe, a toalha é mágica. Foi o vento que me
    deu:
    - Bota a mesa toalha!

    Essa toalha não era mágica e o menino, danado da vida,
    foi correndo pra casa do Vento Norte reclamar:
    - Como é seu Vento Norte?
    Isso não é uma toalha mágica.
    O que é que eu vou dizer lá em casa pra mamãe?
    O que é que eu vou dizer lá em casa?
    - Ora meu filho! Eu te dei uma toalha mágica sim, mas
    já que você não tem mais a toalha eu vou te dar agora
    um carneiro mágico. Toda a vez que precisar de
    dinheiro você diz:
    -Dinheiro carneiro! e ele vai te

    dar moedas de ouro. Vá menino, vá!
    Que presente! O menino ficou maravilhado. Mas foi
    dormir naquele mesmo hotel. Quando chegou lá ele
    testou o carneiro:
    - Dinheiro meu carneiro!
    Mil moedas de ouro apareceram. O menino ficou tão
    feliz! Colocou o carneirinho pro lado e foi dormir.
    O dono do hotel quando viu aquilo... O olho cresceu
    mais ainda. Enquanto o menino dormia, ele foi lá e
    trocou o carneiro... por um igual, mas que não era
    mágico.
    O menino não sabia de nada. Foi correndo no dia
    seguinte avisar a sua mãe:
    - Benção, mãe! Que alegria! Nunca mais vai faltar
    dinheiro aqui em casa, mamãe. O carneiro é mágico.
    Olha:
    - Dinheiro carneiro!
    E o carneiro olhava assim para o menino e só dizia
    mé... mé... Dinheiro que é bom, nada!
    E o menino, danado da vida, foi lá na casa do Vento
    Norte reclamar:
    - Como é seu Vento Norte?
    Isso não é um carneiro mágico.
    O que é que eu vou dizer lá em casa pra mamãe?
    O que é que eu vou dizer lá em casa?
    - Ora menino! Estão fazendo você de bobo. Veja bem: eu
    vou te dar agora uma bengala mágica. Toda a vez que
    você precisar de ajuda você diz:
    -Socorro bengala! E
    ela vai te socorrer. Vá menino, vá!
    O menino não era bobo não. Ele foi para aquele hotel
    só para fingir que estava dormindo. Colocou a bengala
    ao lado e ficou assim esperando. Quando o dono do
    hotel foi ali, pé ante pé para trocar a bengala por
    uma que não era mágica...

    - Socorro bengala! Dá-lhe bengala! Seu olho grande!
    Devolve tudo pra mim. A toalha, o carneiro. Vai
    bengala! Seu olho grande! Viva a bengala!
    E o dono do hotel teve que devolver tudo. O carneiro,
    a toalha e a bengala. E o menino voltou pra casa,
    feliz da vida, com seus presentes.
    E o menino voltou pra casa
    com o carneiro, a toalha
    e a bengala também.
    Feliz da vida com seus presentes
    e essa história termina bem.

    Comente
    user 300 caracteres restantes. Enviar

    Todas as letras de Bia Bedran

    Publicidade
    Notícias
    Mais notícias »
    Hot Spot
    Top Músicas do Vagalume
    Top 100 »

    As informações deste site são postadas integralmente pelos usuários. É importante dizer que é possível que os dados estejam desatualizados ou incorretos, sendo assim, o Vagalume exime-se de qualquer responsabilidade sobre as informações publicadas.Caso haja interesse em remover ou alterar alguma informação, entre em contato conosco.


    É permitida somente a visualização no site das letras de músicas encontradas aqui, vedada sua reprodução através de quaisquer outros meios (Lei 9610/98).Todas as letras de músicas são propriedade dos seus respectivos autores e divulgadas somente para fins educacionais.All lyrics are property and copyright of their owners. All lyrics are provided for educational purposes only.